Risco e Retorno: como encontrar o melhor investimento?

|

O investidor que quiser ganhar mais terá de arriscar mais. Mas quanto de risco é necessário adicionar para conseguir o melhor retorno? Vamos descobrir?

O retorno é sempre desejado

Vários estudos realizados ao longo de muitos anos confirmam que o público em geral ou os investidores não profissionais dão mais importância aos retornos. Retorno é sempre desejado, o risco não. Só que risco é parte inseparável dos investimentos.

Há vários indicadores de risco, mas o mais simples e empregado na análise e gestão de risco financeiro é o desvio padrão, também conhecido como volatilidade, uma medida estatística de dispersão dos retornos em relação à média. É sempre um número positivo e quanto menor esse número, menos disperso são os dados.

Entendendo a volatilidade e o risco

Saber que o retorno médio anual de um investimento é de 10% não ajuda na tomada de decisão. Precisamos também da informação de desvio padrão (volatilidade). Então vamos lá, suponha uma aplicação com retorno médio anual de 10% e volatilidade anualizada de 0,40%, muito próxima de zero, temos um produto com risco muito baixo. A possibilidade de um retorno anual ser negativo é tão ínfima quanto uma valorização surpreendentemente positiva. Ou seja, você não vai perder dinheiro, mas também não espere ganhar 15% num ano. O retorno anual será sempre muito próximo à média anual.

O desvio padrão é igual a zero quando todos os retornos são iguais. No mundo real, não existe investimento com volatilidade igual a zero, isto é, totalmente sem risco. Os retornos nunca serão sempre iguais. Até a volatilidade os ativos considerados livres de risco, como os títulos públicos federais, é diferente de zero.

Observe a relação risco-retorno

No mercado encontramos diversos produtos financeiros com diferentes relações risco-retorno. Há vários indicadores que nos permitem fazer comparações e tomar decisões. Para avaliar os investimentos da sua carteira, ou das aplicações que está pensando em fazer, comece examinando o retorno esperado e a volatilidade correspondente. São informações facilmente encontradas.

Em seguida, faça uma reflexão sobre o impacto das variações nas suas obrigações financeiras caso ocorra um evento inesperado. A parcela dos seus investimentos que está mais exposta ao risco é adequada? Há necessidade de correr mais risco para atingir seus objetivos? Com essas informações, poderá decidir qual a volatilidade aceitável para seus investimentos

É verdade que dados passados não são garantia de ganhos futuros, mas eles nos dão uma boa ideia de como as coisas poderão ser. É importante reavaliar os investimentos periodicamente, pelo menos uma vez por ano, pois os retornos não são estacionários. Assim, o risco também varia com o tempo. Outro ponto importante é que o risco diminui quando acrescentamos o elemento tempo. Mas este será o tema para o próximo post.

No site você encontra as volatilidades dos Fundos Órama. Clique aqui para a Lista de Fundos.

Posts Similares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.