Por que Fundos de Ações?

O número de investidores em ações insatisfeitos com os retornos alcançados nos últimos anos é grande. Quem investe em fundos de ações selecionados não tem do que reclamar, pois segue valorizando seu patrimônio. Neste texto vou apresentar as principais diferenças entre investir em ações diretamente e através de fundos.

Há mais ou menos 10 anos, uma carteira constituída por ações da Petrobras, Vale, setores de siderurgia, financeiro e energia elétrica era considerada bem diversificada, gerava bons dividendos e, principalmente, boa valorização. Mas quem mantém carteira com alocação semelhante até os dias de hoje amarga prejuízos. Petrobras acumula queda de aproximadamente 50% desde maio de 2008, quando o preço da ação era R$ 43,50. Vale caiu 24% no mesmo período. Em maio de 2008 a ação valia R$ 46,92. A queda de CSN é de mais de 60% desde 2008. Os bancos sofrem com a queda da taxa de juros. E hoje, as empresas de energia elétricas que atravessaram bem a crise e eram consideradas porto seguro, padecem com a Medida Provisória editada sobre as concessões a vencer em breve – o que pode impactar em seus resultados, levando para baixo os preços de ações do segmento, principalmente Cesp, Cemig, Eletrobras e Transmissão Paulista. Aqueles investidores que tentam reverter as perdas com opções, tornam o estrago ainda maior. Todavia, fundos de ações apresentam retornos positivos neste período.

Administrar carteira própria de ações é uma atividade prazerosa, eu também acho. Analisar dados, fazer interpretações e projeções faz bem para memória, para o ego e pensamos que faz bem para o bolso. Porém, na maioria das vezes, os acertos são apenas reflexos de tendência de alta que aprecia todas as ações. Quando o mercado está sem tendência definida, as escolhas subjetivas e a preferência pessoal, que na maioria das vezes pesa mais do que os fundamentos, não geram bons resultados e é isso o que tem acontecido desde que a crise começou lá atrás, em 2008. O investidor não segue uma filosofia de investimento, mas sim adapta conforme as opiniões dos seus mais próximos ou do momento do mercado. A falta de disciplina também rema contra bons resultados e abre espaço para a emoção dar a direção. Por último, os custos são ignorados para facilitar os cálculos ou para não piorar ainda mais a performance. Assim, por estas e outras razões, investir em ações através de fundos é mais eficiente, porque você conta com o profissionalismo de gestores.

Selecionar empresas para investir requer muita pesquisa, análise e, consequentemente, tempo para dedicar-se à atividade. É preciso acompanhar a divulgação dos resultados das empresas, os dados de produção, confiança do empresário e consumidor e os noticiários com pronunciamento de economistas e políticos importantes. Analistas com habilidades e conhecimentos complementares coletam informações diretamente com os executivos e também com os operários da empresa, seus familiares, fornecedores, clientes e, principalmente, seus concorrentes. Participam de seminários, congressos, trocam informações com outros profissionais. Seguem as etapas de processos definidos com disciplina. São aptos e experientes para identificar as mudanças, como, por exemplo, o aumento da importância de determinado setor, como aconteceu com construção civil e consumo interno. Conseguem antecipar ou aproveitar as oportunidades, lucram com os ativos e depois voltam a comprar a preços mais baixos, pois conseguem combinar os números e dados e elaborar uma estratégia de investimento.

Preparei uma tabela com as principais diferenças entre investir em ações através de fundos ou com carteira própria. Vai ajudá-lo a tomar a decisão antes do seu próximo investimento:

Resumindo, as principais vantagens de investir em fundos de ações são: diversificação, que reduz o risco total dos investimentos, e gestão profissional. Pagar taxa de administração e performance vale a pena, já que as chances de alcançar retornos significativos no longo prazo são muito maiores.

Neste mês lançamos mais um fundo de ações, o ÓRAMA Bogari. Com ele, totalizamos oito Fundos na prateleira de renda variável da Órama. Ainda temos dois fundos multimercado, mas que só operam no mercado de ações, inclusive com classificação tributária de fundo de ações, o ÓRAMA JGP Equity e o ÓRAMA Claritas Long Short.

Para conhecer o Órama Bogari Value, clique aqui
Para conhecer o Órama JGP Equity, clique aqui
Para conhecer o Órama Claritas Long Short, clique aqui

Escrito por

Consultora de investimentos da Órama autorizada pela CVM, CFP® e autora de diversos livros.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s