Onde Investir em Momentos de Juros em Alta?

Com mais uma alta da Selic, a taxa básica de juros da nossa economia, na quarta-feira da semana passada (03/12), os investimentos mais recomendados para o momento são aqueles que acompanham a variação dessa taxa, conhecidos como investimentos pós-fixados.

Mas por que estes produtos são mais indicados para aplicar nesse cenário? É sobre isso que vou tratar neste post, mas antes é preciso entender de forma breve porque a taxa de juros sobe.

Por que a Selic está subindo?

A alta que foi anunciada para a Selic já era esperada pelos especialistas, pois a taxa de juros é o principal instrumento de controle da inflação. Este índice, que é medido pelo IPCA, está há muito tempo girando em torno do teto da meta estabelecido para o país, ou seja, ao redor de 6,5% ao ano.

A inflação atual é explicada pelo descompasso entre oferta e demanda de bens e, sobretudo, de serviços. Durante muito tempo o consumo foi estimulado com crédito abundante e baixa taxa de juros, mas a oferta não acompanhou a demanda, porque os investimentos necessários para aumentar a produção não ocorreram como o esperado e o resultado foi uma inflação acima da meta.

No cenário atual, o dólar valorizado pressiona ainda mais a inflação pois torna mais cara a matéria-prima utilizada na produção de bens e serviços.

Com a inflação no patamar atual, as previsões dos especialistas são de que a Selic deva continuar subindo até chegar a 12,50% ou 13% ao ano em 2015. Esta não seria a taxa de juros necessária para trazer a inflação de volta ao patamar próximo do centro da meta (4,5%), porém ajudaria no controle, evitando que ela extrapole o teto.

Por que é o momento de aplicar nos investimentos pós-fixados?

O fraco desempenho da economia brasileira e a volatilidade mais alta no mercado de ações nos próximos meses devido aos escândalos envolvendo a Petrobras somados à expectativa de alta dos juros americanos e os dados mais fracos da economia global reforçam a recomendação de que a maior parcela dos seus próximos investimentos deva ser aplicada em ativos de renda fixa pós-fixados.

O mercado de ações tradicionalmente mais volátil tem exigido seleção ainda mais rigorosa de ativos para realização de lucros no longo médio e longo prazos.

Além disso, no mercado de câmbio, carregar investimentos em dólar está cada vez mais arriscado dado o patamar da taxa de juros. Assim sendo, reforço que o momento está mais para investimentos mais conservadores.

Por que vale a pena investir em produtos pós-fixados?

Os investimentos pós-fixados são aqueles que acompanham a alta da taxa de juros. Desta forma, ao contrário do que acontece com quem investe em renda fixa prefixada, a alta da Selic traz ganhos para o investidor em ativos pós-fixados.

Além disso, os investimentos em renda fixa pós-fixada são os menos voláteis do mercado e, por isso, é possível prever o retorno futuro com o maior grau de certeza.

Quais são os investimentos pós-fixados?

Os investimentos pós-fixados mais comuns no mercado são as LFTs, que são títulos públicos emitidos pelo Tesouro; os fundos DI, que são fundos de investimento que aplicam nas LFTs; alguns CDBs; e também as letras de crédito, LCI e LCA.

Os Fundos DI que cobram taxa de administração inferior a 1% ao ano são ótimas escolhas para o investidor que busca segurança, mas também precisa de liquidez. Conforme os juros sobem, estes produtos se tornam ainda mais vantajosos para o investidor, pois a diferença de rentabilidade entre eles e a poupança aumenta. O Fundo Órama DI Tesouro Master, por exemplo, cobra taxa de administração de apenas 0,3% ao ano, no atual patamar da taxa de juros o retorno mensal estimado é de 0,92% e nunca apresentará rentabilidades negativas.

As letras de crédito (LCI e LCA) também são excelentes investimentos para quem pode deixar o dinheiro aplicado por períodos entre seis meses e um ano, pois estes títulos privados são isentos de imposto de renda para o investidor pessoa física e são garantidos pelo FGC (o mesmo fundo que protege os investidores de poupança) até o limite de R$ 250 mil por emissor e por CPF. A única recomendação é que você pesquise as taxas de remuneração antes de investir.

Na Órama você encontra LCI e LCA com retorno líquido de mais de 93% para aportes iniciais de R$ 5 mil.

Diversificar é sempre a melhor opção

Entretanto, é bom atentar que, mesmo que o momento demande uma maior parcela dos seus investimentos aplicada em produtos de renda fixa pós-fixados, diversificar é sempre a melhor escolha.

Não aplique o total dos seus recursos num mesmo ativo ou produto de renda fixa pós-fixado. Devemos sempre manter cerca de, pelo menos, 10% do valor da carteira em produtos com maior potencial de valorização, como os fundos de ações ou fundos multimercado.

Ainda tem dúvidas?

Se você ainda não se sente confortável para escolher os melhores investimentos de acordo com o seu perfil de investidor e objetivos ou se ainda tem dúvidas sobre por que os investimentos pós-fixados são os mais recomendados para o momento atual, entre em contato comigo através do canal “Fale com a Sandra”, no site da Órama.

Escrito por

Consultora de investimentos da Órama autorizada pela CVM, CFP® e autora de diversos livros.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s