Os Investimentos em Janeiro de 2015

Em janeiro, o dólar foi o ativo que mais se valorizou, principalmente frente às moedas de países desenvolvidos. A alta do dólar frente ao euro foi de 6,67%. Com o crescimento global lento, a melhora relativa da economia americana valorizou o dólar frente às principais moedas do mundo trazendo ganhos para as carteiras com posições na moeda americana.

Renda Fixa

O Comitê de Política Monetária (Copom), preocupado com a inflação, subiu novamente o juro na sua primeira reunião do ano A Selic, a taxa básica de juros, foi elevada para 12,25% ao ano. A nova alta impulsiona a rentabilidade das aplicações em renda fixa pós-fixada como Letras de Crédito (LCI e LCA) e o Fundo Órama DI Tesouro Master, que tiveram boa rentabilidade no mês.

Os títulos de renda fixa prefixados também entregaram boa rentabilidade no mês, já que as taxas negociadas no mercado de futuros caíram com os anúncios da nova equipe econômica. O IMA-B, principal índice de referência para as NTN-Bs, títulos atrelados ao IPCA e com componente de juros prefixados registrou variação de 3,12% no mês puxado pela rentabilidade dos títulos com vencimentos mais longos.

Bolsa

Os ventos que sopraram no mercado de ações não foram os mesmos dos mercados de câmbio e renda fixa.  O Ibovespa, principal índice da bolsa, fechou o mês com queda de 6,2%. A performance negativa é explicada pelas crises elétrica e hídrica, pela queda do preço das commodities no mercado internacional, pela perspectiva de queda na atividade global e pelos desdobramentos da Operação Lava-Jato.

Petrobras registrou queda de 18,36% e contaminou outros setores como o bancário. Estima-se que os quatro principais bancos nacionais tenham juntos uma exposição ao setor petroquímico de R$ 141 bilhões.

Os números do mês

O dólar se valorizou 1,10%, seguido pelo CDI que variou 0,93% enquanto a poupança rendeu 0,59% no mês. Do lado negativo, o Ibovespa caiu 6,20%. As bolsas no exterior caíram também.

Os melhores fundos do mês de janeiro foram:

Órama Gávea Macro <4,35%>

O Órama Gávea Macro tem a boa performance explicada por sua alocação em câmbio. Posições compradas em dólar contra o real e contra moedas de países desenvolvidos foram as que mais contribuíram para o desempenho do fundo.

Órama SPX Nimitz <2,50%>

O desempenho do Órama SPX Nimitz reflete as posições compradas em dólar, sobretudo contra o euro, dólar canadense e dólar australiano. Todas estas moedas cederam frente à moeda americana em janeiro.

Órama Kondor Max <2,16%>

Órama Kondor ganhou no mês de janeiro com a exposição comprada em dólares americanos contra o euro. A moeda europeia fechou o mês no menor patamar relativo ao dólar dos últimos 11 anos.

Órama Inflação <1,55%>

A boa performance do Órama Inflação é atribuída à valorização das NTN-Bs, títulos do Tesouro atrelados ao IPCA e com componente prefixado. Os preços destes títulos subiram durante o mês após as primeiras medidas da nova equipe econômica, que contribuíram para baixar as expectativas para a inflação de curto e médio prazos.

Órama BTG Pactual Local <1,30%>

O fundo Órama BTG Pactual Local ganhou este mês porque tinha uma posição tática em câmbio.

Perspectivas para Fevereiro e recomendações para seus próximos investimentos

A volatilidade deve permanecer alta nos vários mercados no mês de fevereiro. Todavia, a incerteza que ronda a economia há um bom tempo, também gera oportunidades. Ativos com bons fundamentos, mas bastante desvalorizados neste ambiente de alta aversão a risco e baixa confiança do investidor, são investimentos com potencial de valorização no médio e longo prazos.

Para os investidores conservadores

As letras de crédito que permanecem isentas de imposto de renda para pessoas físicas, são uma excelente escolha para investidores de perfil conservador e também para os demais que estão em busca de bons produtos para diversificar suas carteiras de investimento.

O Órama DI Tesouro Master também é outra excelente opção de investimento para este perfil de investidor. Com o patamar atual da Selic, o fundo rende mais que a poupança para qualquer horizonte de investimentos e quanto mais a Selic sobe, maior essa diferença.

Para os investidores moderados

Para os investidores com perfil de risco moderado e horizonte de aplicação de médio prazo, minhas recomendações para as próximas aplicações são os Fundos Órama Gávea Macro, Órama Opportunity Total e Órama Kondor Max. Lembro que estes fundos podem apresentar variações negativas no curto prazo.

Para os investidores agressivos

Para os investidores com perfil de risco mais agressivo, recomendo que façam suas próximas aplicações nos fundos Órama JGP Equity, Órama Bogari Value e Órama STK Ações. O horizonte para essas aplicações deve ser de pelo menos cinco anos.

Bons investimentos e até o próximo mês!

Escrito por

Consultora de investimentos da Órama autorizada pela CVM, CFP® e autora de diversos livros.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s