Os Investimentos em Março de 2015

Em março os investimentos atrelados ao dólar foram destaques. Nos EUA, dados de inflação e emprego reforçaram a visão dos mercados de que o aquecimento da economia americana vai se destacar frente ao dos demais países. Com isso, o dólar manteve tendência de valorização frente às principais moedas internacionais.

Frente ao real, a moeda americana subiu 11,80%. As dúvidas quanto a aprovação das medidas necessárias para o ajuste fiscal, os dados ruins da economia brasileira e a crise política contribuíram para a desvalorização do câmbio. Esses fatos também trouxeram volatilidade aos mercados.

Juros

No mercado de juros, as taxas prefixadas subiram em relação ao mês de fevereiro. Os mesmos fatores que impulsionaram o dólar também afetaram o mercado de juros. Diante das incertezas o mercado pede um prêmio maior pelo risco.

Bolsa

O Ibovespa, principal índice da bolsa brasileira, registrou queda de 0,84% em março. O índice foi puxado para baixo por papéis do setor bancário, que além de sofrerem com um ajuste técnico depois de fortes altas nos meses anteriores, foram contaminados pela piora das perspectivas quanto ao mercado de crédito, dada a conjuntura da economia brasileira e o grau de endividamentos das famílias.

As ações da Vale também se destacaram negativamente no mês. Dados fracos sobre a economia chinesa e queda do preço do minério no mercado internacional justificam o resultado.

Apesar dos destaques negativos, empresas do setor de serviços financeiros como Cielo e BVMF obtiveram boas performances no mês, assim como as BDRs – ações de empresas estrangeiras negociadas na Bovespa.

Mercado externo

Se a bolsa brasileira fechou em queda em março, não podemos dizer o mesmo das bolsas internacionais. Na Europa e na Ásia as bolsas fecharam com excelentes resultados em resposta à implementação dos programas de flexibilização monetária para aquecer as economias.

Os números do mês

Diante do exposto acima, o CDI fechou o mês de março com valorização de 1,04% enquanto a poupança rendeu 0,63%. O dólar subiu 11,80% frente ao real e o Ibovespa registrou queda de 0,84%

Os melhores fundos Órama no mês de março foram:

Órama Ouro < 8,91% >

A alta rentabilidade do fundo Órama Ouro no mês é consequência da forte valorização do dólar frente ao real, já que o preço do ouro no mercado internacional caiu 2,44%.

Órama SPX Nimitz <5,04%>

O destaque positivo do fundo Órama SPX Nimitz foi sua a posição comprada em dólares frente uma cesta de moedas.  No entanto, o Fundo Órama SPX Nimitz está fechado para novas aplicações.

Órama Gávea Macro <3,78%>

A maior contribuição para a boa performance do fundo Órama Gávea Macro no mês veio da estratégia da gestora com moedas, principalmente com dólares e moedas de países desenvolvidos.

Órama Studio <2,88%>

O fundo Órama Studio teve um excelente desempenho em março, dado que o Ibovespa caiu quase 1%. O bom resultado é explicado sobretudo pelas valorizações das ações de Equatorial e Cielo.

Órama Bogari Value <2,69%>

As ações de empresas como Equatorial, que subiu 12,7%, Suzano e Fibria, que valorizaram mais de 22% e Ser Educacional, que registrou alta de 16,48%, foram as que mais contribuíram para o bom desempenho do fundo Órama Bogari Value.

Perspectivas para abril e recomendações para seus próximos investimentos

Os embates políticos devem continuar determinando o comportamento dos investidores, principalmente no mercado acionário e cambial. Diante disso, minha recomendação para seus próximos investimentos são:

Para os investidores conservadores

Para investidores com perfil de risco conservador ou ainda para aqueles em bisca de produtos para diversificação, as letras de crédito (LCI e LCA) continuam sendo a aplicação mais rentável entre os produtos de renda fixa como (CDB, títulos do Tesouro e fundos de renda fixa), pois é isenta de imposto de renda. As LCIs e LCAs são produtos seguros, já que contam com a cobertura do FGC até R$ 250 mil por emissor e CPF.

Para os investidores moderados

Já para os investidores de perfil moderado e com horizonte de investimento de médio prazo, sugiro os Fundos Órama Inflação, Órama Opportunity Total e Órama Gávea Macro.

Para os investidores agressivos

Para investidores com perfil de risco mais agressivo, minhas recomendações são os fundos o Órama JGP Equity, Órama Bogari Value e Órama IP Participações.

Bons investimentos!

Escrito por

Consultora de investimentos da Órama autorizada pela CVM, CFP® e autora de diversos livros.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s