Os Investimentos em Maio de 2015

Em maio, os investimentos em títulos públicos prefixados e dólar foram os destaques e trouxeram ganhos relevantes para os fundos multimercado. O discurso do Banco Central para combater a inflação contribuiu para o mercado exigir prêmios menores para os títulos com vencimentos mais longos e refletiu em ganhos para os investidores e fundos.

A alta do dólar é explicada pela aversão ao risco internacional diante da situação da Grécia, mas também pela interpretação do mercado, após discurso dos membros do FED (banco central americano) de que a taxa de juros americana deve iniciar ciclo de alta ainda em 2015.

 Bolsa

O Ibovespa fechou maio com queda de 6,17%, pressionado por ações de peso como a de grandes bancos, Petrobrás e Vale. Apesar da queda no mês, o Ibovespa ainda acumula alta de 5,51% no ano. As ações dos bancos sofreram em maio, principalmente com as medidas do Conselho Monetário Nacional (CMN) e Banco Central para estimular o crédito imobiliário e rural, o aumento de CSLL (Contribuição Social sobre Lucro Líquido) de 15% para 20% e o risco da retirada do benefício fiscal sobre os juros sobre capital próprio. Petrobras e Vale caíram com vendas de investidores que realizaram lucro e também por divulgação de resultados fracos no trimestre. .

Apesar da forte queda do Ibovespa, os Fundos de Ações da Órama registraram desempenho melhor, devido às suas carteiras diversificadas, incluindo setores que performaram bem no mês, como educação e papel e celulose.

 Internacional

Diferentemente da bolsa brasileira, os principais índices de ações do mercado americano encerraram o mês com valorização. Já as bolsas europeias fecharam o mês em baixa diante da proximidade do vencimento da dívida da Grécia, ainda sem chegar a um acordo com os credores.

Os números do mês:

Diante do exposto acima, o CDI valorizou 0,98% e a poupança rendeu apenas 0,62%. O Dólar registrou alta de 5,80% frente ao real e o Ibovespa registrou queda de 6,17% em maio.

Os melhores fundos Órama no mês de maio foram:

  1. Órama Ouro – 5,29%

Em maio, o ouro subiu 0,7% no mercado internacional, após três meses de queda. Uma possível explicação para este movimento de alta foi a retração da economia americana no primeiro trimestre. Todavia, o que explica o bom resultado do Fundo Órama Ouro no mês foi a valorização de 5,8% do dólar frente ao real.

  1. Órama Gávea Macro – 4,07%

A carteira do Fundo Órama Gávea Macro concentra maior parte do risco nas estratégias de moedas,

80% do risco do fundo está alocado em câmbio dos quais 30% em dólar contra o real. Dessa forma, a valorização da moeda americana frente ao real e em relação a outras moedas globais foi a principal razão da alta do fundo.

  1. Órama SPX Nimitz – 2,74%

O Fundo Órama SPX Nimitz tem seu ótimo resultado de maio explicado pela posição comprada em dólar contra várias moedas, inclusive o real. Também contribuiu para a performance do Fundo uma pequena posição vendida em bolsa brasileira.

  1. Órama GAP Absoluto – 2,20%

O posicionamento do fundo no mercado de juros, com títulos prefixados, é responsável pelo bom desempenho do Órama Gap Absoluto. As estratégias em moedas globais e juros de países emergentes incrementaram levemente a rentabilidade do fundo.

  1. Órama GAP Hedge – 1,75%

A valorização do Órama Gap Hedge é resultado de investimentos defensivos do fundo nos mercados de juros e câmbio.

Perspectivas e recomendações para seus próximos investimentos

 A situação aqui continua na dependência da aprovação e implantação dos ajustes fiscais. O mercado aguarda por sinais mais definitivos para melhorar sua percepção de futuro e, consequentemente aumentar o apetite por risco.

No aguardo da decisão do Fed sobre quando vai começar a elevar a taxa dos juros americanos, é mais prudente manter parte relevante dos investimentos alocado em renda fixa, tanto para se proteger da volatilidade de curto prazo e aproveitar a taxa Selic que está bastante alta e atraente.

Investidores conservadores

 Para os investidores conservadores, minha recomendação são investimentos em LCIs, LCAs e CDBs para quem pode deixar o dinheiro aplicado por mais de um ano Para quem precisa de liquidez e também para os que buscam um investimento seguro e mais rentável do que a poupança para aplicar a reserva para as emergências, sugiro o Fundo Órama DI Tesouro Master.

 Investidores moderados

 Aos investidores moderados e com horizonte de investimento de longo prazo, sugiro o Órama Opportunity Total, Órama Inflação e Órama BTG Pactual Hedge Plus, pois estes Fundos podem incrementar suas rentabilidades com posições no mercado de câmbio e com títulos prefixados e atrelados à inflação.

 Investidores agressivos

 Para os investidores que buscam maiores retornos no longo prazo, sobretudo para aqueles que fazem aplicações regulares, sugiro o Fundo Órama JGP Equity, Órama Bogari Value e Órama IP Participações.

Sempre há oportunidades no mercado acionário e são nos momentos de incertezas que surgem as melhores.

Escrito por

Consultora de investimentos da Órama autorizada pela CVM, CFP® e autora de diversos livros.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s