Como investir na crise #invistacontracrise

Não bastasse a recessão econômica acentuada e o desconcerto político entre o Governo e o Congresso, que impede a aprovação dos ajustes necessários para sairmos desse ciclo vicioso, a S&P, agência classificadora de risco, rebaixou a nota do Brasil, deixando o país ainda mais vulnerável frente aos investidores estrangeiros.

Além disso, também cresce a preocupação dos investidores brasileiros. Até quanto vai subir o dólar? Será que a inflação vai recuar no ano que vem? E os investimentos em ações, quando vão recuperar as perdas acumuladas? Por isso, preparei esse post com o objetivo de ajudar os investidores a administrar suas aplicações financeiras enquanto não temos as resposta para todas essas perguntas.

Blindar a reserva para emergências e recursos de curto prazo

As reservas para as emergências devem ser mantidas em aplicações que possibilitem resgates imediatos (em até um dia).

Em geral, muita gente mantém esse dinheiro aplicado na Caderneta de Poupança. No entanto, com a taxa de juros em 14,25% ao ano, o rendimento da Poupança está deixando a desejar.   Enquanto o retorno esperado dos títulos atrelados à Selic ou ao CDI, como títulos privados, públicos e Fundos Referenciados DI para os próximos 12 meses, está entre 10% e 12% líquido, a Caderneta vai render entre 7% e 7,5% no período.

No atual cenário econômico, com a inflação alta, cada real adicional faz a diferença nas contas. Além do mais, devemos tirar proveito da alta taxa de juros, que, segundo o Banco Central, deve permanecer elevada por um período suficientemente prolongado.

O mesmo vale para os recursos de curto prazo, aqueles que vão ser utilizados em breve ou em um futuro muito próximo.

Combater a inflação

A inflação é sempre um fator determinante nos investimentos e, quanto mais alta, maior deve ser o cuidado com as aplicações financeiras.  Caso contrário, o esforço de poupar e investir será em vão.

Se a inflação for maior do que o retorno dos seus investimentos, você não vai conseguir manter o poder de compra, ou seja, o bem ou serviço que você tem dinheiro para bancar hoje estará mais caro no futuro, a ponto de você ter que abrir mão dele ou ter que substitui-lo por um de qualidade inferior.

Para driblar a inflação alta, os títulos indexados à variação do IPCA (índice oficial de inflação) mais juros prefixados, públicos ou privados e Fundos Renda Fixa Índice são os produtos mais apropriados.

Construir patrimônio

Acumular riqueza é um objetivo de muitos investidores. No cenário atual,  fica mais difícil alcançar esse objetivo, porém ele não deve sair do foco. Alongar o prazo para atingir a meta é uma saída. Você vai precisar se esforçar mais, mas não é impossível.

Devido à situação econômica atual, o investidor que busca crescimento do patrimônio tem que pensar em diversificação global, pois, enquanto o Brasil está em recessão, há países em fase de recuperação econômica e outros com a economia já expandindo.

Diversificar é uma técnica de gerenciamento de risco que combina diversos investimentos dentro de uma carteira. Essa técnica é utilizada com o objetivo de maximizar o retorno e minimizar o risco do investimento como um todo.

Nesse caso, Fundos Multimercado que investem em ativos no exterior atendem bem, sobretudo os investidores com recursos limitados, pois esses Fundos oferecem acesso ao mercado global e de maneira diversificada.

Pensar no futuro

Como os investidores são movidos pelo que desejam conquistar no futuro, a situação atual desafiadora não pode limitar o horizonte de investimento. Devemos continuar pensando nos objetivos de médio e longo prazos e aproveitar as boas taxas de remuneração que estão sendo oferecidas.

O acervo de títulos privados disponíveis com rendimentos bastante atraentes é amplo.  É possível obter retorno de mais de 1% líquido ao mês, basta pesquisar e ficar atento aos custos.

Concluindo

Espero que o evento do rebaixamento da nota de classificação de risco do Brasil seja um incentivo para nossos governantes e políticos se empenharem para mudar o rumo da economia. Enquanto isso, temos que cuidar bem do dinheiro que conquistamos até aqui.

Como você tem administrado seus investimentos nesse cenário turbulento? #invistacontracrise

Se tiver alguma dúvida, entre em contato comigo através do canal de consultoria fale com a sandra.

Escrito por

Consultora de investimentos da Órama autorizada pela CVM, CFP® e autora de diversos livros.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s