Empreendedorismo em 5 passos

Você tem um sonho de abrir um negócio? Nossa consultora de investimentos, Sandra Blanco, preparou um artigo, para o portal ADVFN, sobre 5 passos para quem quer empreender.

Tem mais alguma dica para dar a quem quer se aventurar em ter uma empresa? Deixe nos nossos comentários.

“Ter um negócio próprio é um desejo que sempre figura na lista dos maiores sonhos dos brasileiros. A dificuldade de botar as ideias em prática, no entanto, começa com a ausência de conhecimento geral sobre empreendedorismo. Assim como não há educação financeira nas escolas, também não temos aulas de como empreender e administrar o negócio próprio. Nesse contexto, muitos obstáculos surgem no caminho de quem almeja abrir uma empresa, sobretudo em relação a impedimentos financeiros.

Para ajudar aqueles que sonham ser bem sucedidos em seus negócios, preparei este post com cinco pontos importantes que devem constar no plano de negócios desse desafio:

1) Estime um valor mínimo

Este é o primeiro passo para se abrir uma empresa: determinar qual é o valor necessário para começar a operar o negócio. Nem todo mundo vai conseguir escrever uma história de sucesso com R$ 20 mil do cheque especial, como fez Flavio Augusto, criador da Wise Up e fundador do meuSucesso.com.

Para chegar a um valor aproximado, é preciso levantar os custos do aluguel do ponto, a reforma do local, os materiais ou equipamentos e o pessoal necessário. Mesmo que seja um negócio 100% online, haverá algum investimento inicial. Dependendo do segmento em que for atuar, alguns setores exigem um montante maior para começar.

2) Determine o retorno do investimento

Quanto você espera obter de renda mensal com o seu negócio? Em quanto tempo você pensa ter o capital investido de volta? Será que o seu empreendimento é viável?

É preciso ser realista na fase de planejamento. Muitos negócios fecham antes de completar cinco anos por falta de um plano detalhado.

3) Mantenha uma reserva para emergência

Antes de ousar, acumule uma reserva mínima de 12 a 24 vezes os gastos mensais, de forma que consiga manter o padrão de vida, especialmente se tiver família e dependentes financeiros.

Esse capital deve estar aplicado em investimentos de baixo risco e alta liquidez, pois vai gerar a renda necessária ou complementar a receita enquanto o negócio ainda estiver em fase de estabilização e não estiver gerando lucros.

4) Separe as contas de pessoas física e jurídica

É comum misturar essas contas. E, com frequência, pequenos empresários cobrem as emergências de casa com o dinheiro da empresa e vice-versa.

Para obter sucesso no seu empreendimento, é imprescindível manter esses valores sob controle e em contas separadas.

5) Pense na aposentadoria

Todo empresário deve, desde cedo, se preocupar com o seu futuro financeiro. Os constantes reinvestimentos no negócio para mantê-lo em atividade e em expansão, além das crises econômicas que cruzam seus caminhos ao longo da vida, impedem os donos de pequenos negócios de enxergar o longo prazo, colocando em risco a fase da aposentadoria.

Pensar em se aposentar não costuma ser uma preocupação dos empreendedores, que, em geral, são bem ativos e imaginam que vão trabalhar a vida toda. Por isso, se forçar a dar atenção a esse tema pode permitir que você continue seguindo seus sonhos, eles mudam com o passar do tempo.

Considere fazer um plano de previdência privada ou aplicar regularmente em fundos multimercado e de ações para usufruir quando desejar “pendurar as chuteiras”.

Abrir um negócio não é uma tarefa fácil. Mais desanimadoras ainda são as estatísticas que mostram que muitos negócios fecham antes de completar o quinto ano. Faça a pesquisa de mercado e elabore um plano de negócios bem detalhado antes de tomar a decisão de seguir em frente ou não com seu projeto.

O Brasil estimula pouco o empreendedorismo. Mesmo que a internet ajude bastante, quem se aventura a abrir uma empresa ainda vai encontra muitos obstáculos no caminho.

Mudanças na legislação recente, porém, favoreceram o ambiente empreendedor. A Lei Geral da Micro e Pequena Empresa e o Simples Nacional reduziram a carga tributária dos negócios de pequeno porte. A criação do Microempreendedor Individual permitiu o trabalhador informal legalizar sua situação. Procurar o Sebrae também pode ajudar.

O negócio próprio é bem arrojado, até mais arriscado do que investir em ações, já que vender ações é mais fácil do que se livrar de um negócio de pequeno porte. É possível que você seja muito bem sucedido abrindo uma franquia ou outro negócio qualquer, no entanto, sendo bem otimista, é difícil ter lucros antes de completar um ano de atividade, sem falar que você deverá se dedicar de corpo e alma e ter muita persistência até obter o retorno. Mas se é o seu sonho, preparando-se bem você vai conseguir.

Boa sorte!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s