O drama turco

Em meio a um universo de incerteza global, aumento no números de atentados no solo europeu, entre outros, muitas nações acabam sendo afetadas diretamente. No dia 15/07 a Turquia sofreu uma tentativa de golpe militar, deixando 265 mortos e mais de 1000 feridos e nas palavras do primeiro-ministro turco, Binali Yildirim a tentativa foi “uma mancha na história da democracia da Turquia”.  Porém a verdadeira mancha foi trazida posteriormente pelo presidente turco Recep Tayyip Erdogan.

Enquanto fugia durante a tentativa de golpe, o presidente “convocou” o povo para tomar as ruas e lutar pela democracia, deixando então o povo lutar “lutar” pela democracia em seu lugar. Ao voltar para Istambul (após as explosões pararem) Erdogan se declarou vitorioso e decretou estado de emergência, que dá ao presidente amplos poderes, o mesmo disse que usaria os poderes entregues a ele para “enfrentar as ameaças à democracia, porém o mesmo vem usando tais poderes para consolidar cada vez mais seus poderes. Prendendo mais de 40 jornalistas por terem “relação” com a tentativa de golpe, além de fechar diversas escolas e revogar as licenças de mais de 20.000 professores com a mesma justificativa.  Porém quem seria o “head” do golpe?

De acordo com as mídias turcas e com o presidente, o mentor seria Fethullah Gulen, um padre que vive exilado nos USA desde 1999, quando desfez relações com Erdogan, porém Gulen alega que a tentativa foi ministrada pelo próprio presidente buscando consolidar seus poderes e então atacando diretamente as forças armadas, polícia, poder judiciário e o sistema de educação do país.

Após a tentativa de golpe, a S&P (Standard & Poor’s) rebaixou a nota de crédito da Turquia de BB+ para BB com perspectiva negativa, deixando cada vez mais próxima do grau especulativo, outras agências como Fitch e Moody’s ainda estão avaliando o impacto do acontecido visando um possível rebaixamento. O preço da Lira Turca perante o dólar também obteve recentes desvalorizações, chegando ao menor nível dos últimos anos.  O título de dívida turca de 10 anos também enfrente uma alta de quase 10%, seu nível mais alto desde que o primeiro-ministro Ahmet foi deposto em maio. Mostrando uma queda na confiança global na estabilidade econômica da Turquia. Esta acarretada pelo índice Borsa Istambul 100 (índice que reúne as 100 melhores empresas turcas cotadas na bolsa), o qual caiu mais de 10% desde a tentativa, mostrando também um aumento dos riscos políticos do país.

O povo turco vive um verdadeiro drama em sua caminhada recente, sendo um país assolado pelo Estado Islâmico em diversas de suas localidades, tendo uma tentativa de golpe militar recente e vivendo agora um drama econômico, com o banco central turco negando qualquer efeito negativo e mantendo previsão de diversos indicadores iguais. Nas próximas semanas o presidente turco deve se encontrar com Vladimir Putin (presidente da Rússia) visando estreitar laços econômicos e aumentar seus esforços pela “luta pela democracia”.

 

Arthur Lemos: Estudante de Economia do IBMEC. Chefe da área de Análise Macroeconômica do Cemec, empresa júnior vinculada ao IBMEC, que tem como proposta principal realizar estudos e pesquisas sobre o mercado financeiro.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s