Dia das Mães

Mães e investimentos

Navegando na internet e pensando no que escrever para o Dia da Mães, encontrei os resultados de uma enquete no site Creditcards.com, que achei interessante comentar e compartilhar com vocês, mães e filhos.

A pesquisa* foi realizada por telefone com uma amostra de representatividade nacional de 1.000 adultos, de 18 anos ou mais, morando nos EUA. Apesar de os americanos serem mais avançados do que nós em educação financeira e investimentos, temos algumas semelhanças nas questões práticas e de comportamento, diante da tomada de decisões.

A mãe é uma influência financeira

Eu sempre achei isso! Costumo dizer que a maneira mais eficiente de ensinar os filhos sobre como administrar o dinheiro é sendo um exemplo. Eles não herdam apenas a aparência física dos pais, mas também valores e atitudes. A chance de mães controladas criarem filhos poupadores é maior do que mães esbanjadoras fazerem o mesmo (muito embora, eu já tenha visto muitos filhos disciplinados com as contas por viverem em casa cujo modelo era oposto).

Conforme a referida enquete, para um terço dos jovens adultos, a mãe tem o papel de orientador financeiro mais relevante em suas vidas. Elas são a principal influência financeira para grande parte dos entrevistados com idade entre 18 e 29 anos.

Embora tenham crescido cercados por mais recursos tecnológicos do que as gerações precedentes e com um grande número de amigos no Facebook, muitos Millennials, última geração nascida no século XX, reiteraram que suas mães sabem o que é melhor. A mesma constatação já tinha sido verificada anteriormente, em pesquisa realizada em 2011.

A mãe é uma conselheira confiável

É tão bom ter a confirmação da mãe quando temos que tomar uma decisão! E quando tratamos de assuntos financeiros, isso não é diferente. Dá conforto, talvez por saber que há com quem buscar apoio na hipótese de algo não ter o resultado esperado. Provavelmente, é por isso que, quando perguntados sobre assuntos de despesas domésticas e compras de grandes valores, os Millennials expressaram forte preferência pelas orientações das mães.

As pessoas com mais de 30 anos indicaram os cônjuges em suas respostas para essa pergunta. É compreensível discutir as questões de dinheiro com a outra parte. Foi a resposta que deram as pessoas de ambos os gêneros, de todas as raças, nível de educação e com renda anual acima de US$ 30.000 dólares. E, mesmo nessa faixa etária, as mães reforçaram sua importância: vieram em segundo lugar.

Feliz Dia das Mães

Este dia pode não ser o mais indicado para falar sobre dinheiro, mas que tal começar a pensar no futuro, incluindo o dela? Com a Reforma da Previdência, teremos que nos preocupar mais com o assunto e, o quanto antes começarmos, será melhor para toda família.

É importante que todos alcancem certa independência financeira. Pais que se prepararem para aposentadoria não serão um peso para os filhos no futuro; e filhos que também se planejarem vão dar folga no orçamento dos pais. Nos EUA ou aqui, as famílias que se comunicam mais claramente sobre dinheiro e se organizam com horizonte de longo prazo são aquelas que têm mais chances de alcançar o sucesso financeiro.

* Pesquisa conduzida pela Princeton Survey Research Associates Internacional, em abril de 2015.

Escrito por

Consultora de investimentos da Órama autorizada pela CVM, CFP® e autora de diversos livros.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s