Dólar acima de R$ 4. E agora?

Há vários fatores que afetam a cotação de uma moeda. O comércio com o exterior, o nível da taxa de juros e a inflação, a política fiscal e a intervenção governamental estão entre os principais. A taxa de câmbio é uma variável importante do sistema econômico, porque está diretamente relacionada ao processo de desenvolvimento de um país.

Com o início da campanha eleitoral n o Brasil, a divulgação de pesquisas de intenção de voto e a espera da decisão do TSE sobre a candidatura do ex-presidente Lula, as incertezas sobre como será governado o país levaram à uma forte desvalorização do real em agosto. A cotação da moeda em relação ao dólar já ultrapassou R$ 4.

Neste cenário, o que fazer quando é preciso tomar uma decisão financeira referenciada em dólar? Abaixo, seguem algumas orientações básicas:

  1. Como guardar dinheiro para viajar ou fazer intercâmbio?

Caso a viagem já esteja marcada e com data próxima, o mais indicado é ir comprando a moeda e fazer uma cotação média. Se deixar para comprar na última hora, corre o risco de comprar pelo preço mais alto.

Tomemos como exemplo uma viagem para Disney, por 15 dias, estimada em US$ 5.000. Com o dólar acima de R$ 4, talvez você tenha até que adiar a viagem. Quanto maior for a cotação do dólar, mais reais vai precisar para converter na quantidade de dólares necessária para a viagem.

Se o plano é viajar mais para frente, o dinheiro pode ser aplicado em um fundo cambial, em vários aportes, que podem ser mensais ou quando você tiver dinheiro disponível. Dessa forma, também a aquisição da moeda estrangeira vai sair pela cotação média.

O fundo cambial de dólares é um instrumento financeiro que ajuda a proteger o dinheiro da variação cambial. A aplicação permite manter o poder de compra na moeda americana.

  1. O que fazer se tiver alguma dívida em dólares?

A estratégia para quem tem um compromisso referenciado na moeda estrangeira é muito semelhante à de quem está juntando dinheiro para viajar ou fazer intercâmbio.

Se o dinheiro não estiver aplicado para se proteger contra a oscilação do preço da moeda, pode ser que a conta fique muito mais cara do que o planejado, com você tendo que de desembolsar muito mais com a cotação do dólar acima de R$ 4.

Quanto mais o dólar sobe, maior fica a dívida.

  1.  Como ganhar dinheiro com a alta do dólar?

Com a taxa de juros americana em trajetória ascendente, o dólar se fortalece em relação às demais moedas, principalmente frente às divisas dos emergentes, como o real.

A situação econômica e política do país também entra na formação do câmbio, e é por isso que, devido às incertezas em relação ao próximo governo, os fundos cambiais, os multimercado que operem com moedas ou os COE(Certificado de Operações Estruturadas) referenciados em dólar se tornam boas opções de investimento.

No entanto, como essa alta não é linear, a trajetória do câmbio apresenta um grau elevado de volatilidade, é preciso ter muita cautela no tamanho das posições atreladas ao dólar. E cuidado ao entrar num investimento após uma forte alta, pois um movimento de realização de lucro se torna mais provável e pode levar a prejuízos.

  1. A diversificação global é essencial?

Os fundos que aplicam no exterior, além de obter retornos com os ativos (por exemplo, ações do S&P500), podem incrementar a rentabilidade com a alta do dólar. São os fundos que não fazem hedge cambial, ou seja, ficam expostos à oscilação da moeda. O que é muito conveniente quando a tendència da moeda americana é de alta.  

No entanto, como a variação cambial traz mais volatilidade para o fundo, para anular a variação do dólar, há fundos que utilizam mecanismos de proteção, e os resultados são a combinação da variação do CDI com o retorno dos ativos no qual o fundo investe, por exemplo, CDI+3% ou CDI+4%.

Há também aqueles fundos em que, após uma avaliação macroeconômica, a equipe de gestão pode decidir pela proteção ou não, com o objetivo de ganhar nas duas pontas sempre. Essa estratégia é mais arriscada, pois não é incomum não acertar o timing das oscilações do câmbio.

O importante é saber se o fundo em que você investe e aplica recursos no exterior faz hedge cambial total ou parcial. Com essa informação, será mais fácil compreender o desempenho do fundo e escolher o que melhor se encaixa ao seu perfil e aquele que complementa a sua estratégia de investimento.

Se você tem alguma outra dúvida, pode nos mandar. Nossa missão é ajudar você a fazer boas escolhas financeiras nos mais diversos cenários econômicos.

Escrito por

Consultora de investimentos da Órama autorizada pela CVM, CFP® e autora de diversos livros.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s