PGBL e VGBL – Entenda a diferença e o que significam as siglas

A aposentadoria e a previdência privada são assuntos super em alta no Brasil. O debate sobre a Reforma da Previdência reforça a preocupação com o futuro, já que depender apenas do INSS pode ficar cada vez mais complicado. É natural, portanto, um crescimento na procura por uma opção complementar para a aposentadoria, como a previdência privada, que é uma das alternativas preferidas dos investidores.

Com o aumento dessa procura por planos de previdência, multiplicam-se também as dúvidas sobre o assunto. Qual a diferença entre PGBL e VGBL e o que essas siglas significam são algumas das perguntas mais comuns quando se fala de previdência privada.

Este artigo tem como objetivo esclarecer de uma vez por todas essas dúvidas e ajudar você a entender melhor como funcionam os planos de previdência, para que você possa escolher a melhor opção.

Você vai ver:

  1. O que significam as siglas PGBL e VGBL?
  2. Qual a diferença entre PGBL e VGBL?
  3. A tributação da previdência privada
  4. Qual é o melhor plano de previdência privada?

O que significam as siglas PGBL e VGBL?

Essa sopa de letras forma duas siglas que, na verdade, são muito menos complexas do que parece. O mais importante é entender o conceito de cada um dos planos mas, para matar a curiosidade, vamos dizer o que elas significam.

A sigla PGBL significa Plano Gerador de Benefício Livre. Já a sigla VGBL significa Vida Gerador de Benefício Livre. Tá vendo? O nome por si só não diz muita coisa, então vamos focar no conceito.

Uma boa forma para entender como a previdência privada funciona é através de uma comparação com o INSS, a aposentadoria social, que a maioria das pessoas já conhece. A contribuição oficial para a Previdência Social é obrigatória, com raras exceções. Os valores de contribuição são determinados de acordo com o salário do contribuinte, e o teto do benefício é de R$ 5.839,45, em 2019.

Na previdência privada, esses valores, tanto de contribuição quanto o teto, são totalmente maleáveis. O valor de contribuição é determinado pelo próprio contribuinte, e consequentemente, não existe um teto para o benefício.

A previdência privada possui outras características, como portabilidade, resgate antecipado, recebimento de benefício mensal ou único e, é claro, a não existência de uma idade mínima para a aposentadoria.

Assim, a previdência privada oferece uma alternativa para complementar a aposentadoria social, permitindo uma maior capitalização.

Mas, afinal, qual é a diferença entre os planos PGBL e VGBL?

Qual a diferença entre PGBL e VGBL?

A diferença entre o PGBL e o VGBL gira principalmente em torno do Imposto de Renda.

Isso quer dizer a forma de recolhimento do imposto, que pode ser apenas em cima da rentabilidade, como no caso do VGBL, ou sobre o montante total investido, que é o caso do PGBL. Neste último, existe também a possibilidade de usar a contribuição como um benefício fiscal.

Vamos aos detalhes sobre os planos PGBL e VGBL.

No VGBL, o imposto incide apenas sobre os rendimentos auferidos com o plano de previdência. Além disso, as contribuições feitas ao plano não podem ser usadas para dedução na declaração de Imposto de Renda anual. Por isso, esse plano é mais recomendado para quem faz a declaração pelo modelo simplificado ou para quem já ultrapassou o limite de 12% de renda bruta dedutível.

Já o PGBL é um plano em que o imposto incide diretamente sobre o valor total que irá ser resgatado ou recebido em forma de renda. A principal vantagem dessa opção é que o valor contribuído pode ser deduzido da base tributável do Imposto de Renda, dentro do limite de 12% de renda bruta anual. Para isso, é preciso fazer a declaração no modelo completo e contribuir para o INSS.

A tributação da previdência privada

Uma característica interessante da previdência privada, comum aos dois planos, PGBL e VGBL, é a possibilidade de escolher a forma de tributação. É importante entender bem esse ponto para o contribuinte encontrar a melhor combinação entre plano, tributação, seus objetivos, sua de idade e seu plano de vida.

A primeira forma de tributação é a regressiva. Nesse caso, há menor incidência do imposto de renda, de acordo com o tempo de aplicação. Ou seja, quanto maior o tempo, menor a alíquota. A tabela regressiva é a seguinte:

Prazo de investimento Alíquota do IR
até 2 anos 35%
de 2 a 4 anos 30%
de 4 a 6 anos 25%
de 6 a 8 anos 20%
de 8 a 10 anos 15%
acima de 10 anos 10%

A segunda forma de tributação é a progressiva. Aqui, a alíquota varia de acordo com o valor dos recursos que serão resgatados. Ou seja, quanto maior o valor resgatado maior é a incidência do imposto.

No momento do resgate, será efetuada uma tributação fixa de 15%, independentemente do valor resgatado. O ajuste ocorrerá na declaração do imposto de renda, de acordo com a seguinte tabela: 

Base de cálculo Alíquota de IR Parcela a deduzir até
Até R$ 1.903,98 Isento Isento
De R$ 1.903,98 até R$ 2.826,65 7,5% R$ 142,80
De R$ 2.826,26 até R$ 3,751,05 15% R$ 354,80
De R$ 3,751,05 até R$ 4.664,68 22,5% R$ 636,13
Acima de R$ 4.664.68 27,5% R$ 869,36

Qual é o melhor plano de previdência privada?

Por conta dessas diferenças, a escolha da forma de tributação (tabela regressiva ou tabela progressiva) e do plano de previdência privada depende das expectativas e dos objetivos de cada um. A ideia é sempre alinhar o objetivo com a menor alíquota possível de Imposto de Renda.

Por exemplo, a tabela regressiva é recomendada para quem procura ganhos a longo prazo, visto que sua menor alíquota, 10%, ocorre para um prazo superior a 10 anos.

Já a tabela progressiva é recomendada para quem deseja receber renda ou efetuar resgates no curto prazo, com valores que mantenham a sua renda mensal muito próxima a faixa dos 7,5%. Por isso, no momento de escolher, você pode comparar as tabelas e encontrar a melhor opção para o seu rendimento e o seu plano de vida.

Por isso, a contratação do melhor plano de previdência privada depende de você. Cada um dos planos tem características específicas, e a escolha da forma de tributação também depende apenas do seu planejamento de vida.

A Órama oferece diversas opções de planos, em PGBL e VGBL, para que você possa escolher o plano de previdência ideal para a sua situação.

Para contratar os planos de previdência, crie ou acesse a sua conta na Órama. Você completa o cadastro em cerca de 7 minutos e, em até 4 horas, após aprovado, você já pode investir.

Você também encontra o simulador de previdência privada para achar o melhor caminho para a sua aposentadoria, analisando diversos fatores como a sua idade atual, quando você pretende se aposentar, a rentabilidade que deseja ter, entre outros.

Agora que você já sabe como a previdência privada funciona, pode explorar as possibilidades e encontrar o plano de previdência ideal. Não é preciso pagar nada para abrir e manter uma conta na Órama e você pode consultar os planos de previdência e usar as ferramentas sem compromisso. Confira e se planeje para um futuro mais tranquilo!

Um comentário em “PGBL e VGBL – Entenda a diferença e o que significam as siglas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s