Planejamento financeiro – o que é e como fazer?

Todo mundo quer saber como melhorar de vida, ganhar mais dinheiro, onde investir e como investir. Essa busca por informações financeiras é super legítima e cada vez mais recorrente no Brasil.

Mas, antes de tudo isso, existe uma etapa fundamental nesse processo, que é o chamado planejamento financeiro.

Quando alguém vai abrir um negócio, por exemplo, uma loja, faz um planejamento. Estuda o mercado, vê o ponto ideal, define os preços praticados, a margem de lucro, o número de funcionários e por aí, vai… Quando viajamos, também nos planejamos. Traçamos um roteiro, pesquisamos preço de passagens e hotéis, compramos tickets de eventos, roupas adequadas etc. No orçamento pessoal ou familiar, não é diferente.

O planejamento financeiro pessoal ou o planejamento financeiro familiar é uma condição necessária, um pré-requisito para quem deseja investir de modo consciente e, assim, alcançar os melhores resultados quando se trata de ganhar e acumular dinheiro. É uma ferramenta muito útil financeiramente.

Diferentemente do que se pensa, não é nada difícil montar um planejamento financeiro. Pelo contrário: fazer um planejamento financeiro é simples, requer apenas organização e disciplina. Depois, vira um hábito. Um hábito saudável. E nunca é tarde para começar a organizar as contas e separar um dinheiro para realizar investimentos, independentemente se você tem muito ou pouco dinheiro.

planejamento financeiro pessoal

Neste artigo, vamos dar algumas dicas valiosas e um passo a passo para quem quer montar um planejamento financeiro – pessoal ou familiar – e, a partir daí, começar a investir para atingir seus objetivos e realizar seus sonhos.

Vamos responder aqui, de forma clara e detalhada, as três perguntas abaixo:

  1. O que é planejamento financeiro?
  2. Por que fazer um planejamento financeiro?
  3. Como fazer um planejamento financeiro?

1)      O que é planejamento financeiro?

 

O planejamento financeiro não é um procedimento pontual, único, isolado. É um processo contínuo, em que definimos metas, traçamos as estratégias para alcançá-las e devemos periodicamente revisar.

Um planejamento financeiro é um como se fosse um mapa, em que o conhecimento e o ajuste de todas as nossas receitas e despesas nos levarão diretamente ao “tesouro”, ou seja, aos nossos objetivos, sejam eles quais forem: um carro zero, um apartamento novo, uma viagem ao redor do mundo, uma renda mensal na aposentadoria etc.

sonho realizado

Desta forma, comparando todas as receitas e despesas que realizamos diariamente, conseguimos avançar na direção de um equilíbrio financeiro, sempre guardando um dinheiro para investir e crescer financeiramente.

Uma das primeiras lições, essencial para o crescimento financeiro, é aprender a fazer um planejamento com disciplina.

2)      Por que fazer um planejamento financeiro?

Aderir a listas, planilhas, com o Excel, e apps de planejamento financeiro é uma decisão sábia e muito importante para ter o controle e tomar as rédeas dos nossos gastos e das nossas receitas. Se cuidamos, periodicamente, da saúde física e emocional, por que não cuidar também da saúde financeira? O planejamento financeiro faz parte dessa rotina.

Somente desta maneira pragmática, poderemos saber precisamente quando e o quanto teremos de dinheiro disponível para comprar um bem ou pagar por um serviço desejado.

O planejamento financeiro é uma forma organizada de atingir objetivos, de tornar concretos os sonhos, de realizar desejos de uma forma muito prática.

É, mais ou menos, como conectar o presente ao futuro, dando alguma previsibilidade, estabilidade e segurança às nossas finanças pessoais, melhorando, em última instância, nossa qualidade de vida. Quem não quer?    

3)      Como fazer um planejamento financeiro?

         

Esta é a parte prática do planejamento financeiro. De modo resumido: é preciso começar alinhando as contas, traçando metas e procurando os produtos financeiros certos para investir, adequados ao seu perfil, faixa de renda e objetivos. A boa notícia é que existe muita diversidade hoje no mercado, a caderneta de poupança não é mais a única opção.

Uma dica de ouro, antes do passo a passo, é ter um controle efetivo dos gastos, sem querer tapar o sol com a peneira. Nada de autoengano ou auto sabotagem. Com esse hábito saudável do planejamento financeiro, é possível conhecer onde estão os excessos dos gastos e, portanto, onde é possível fazer cortes.

controle de gastos

 

O passo a passo do planejamento financeiro:

Passo 1: Receitas

Estime sua renda total no ano. Coloque, mês a mês, as rendas de salário, incluindo férias, décimo terceiro, eventuais bônus, rendas de aluguel e quaisquer outros recursos previstos, como, por exemplo, a restituição de imposto de renda.

Passo 2: Despesas

Projete também todos os seus gastos mensais. Da mesma forma que as receitas, as despesas precisam ser previstas no planejamento financeiro. Contas fixas (condomínio, aluguel), gastos com educação, energia, comunicação, alimentação, transporte, lazer etc. Aqui entram quaisquer tipos de despesas, inclusive o pagamento de dívidas e juros bancários, se houver.

Passo 3: Acompanhamento detalhado

Acompanhe as entradas desses recursos e, principalmente, os gastos mensais, da maneira mais detalhada que você puder. Deste modo, você conseguirá ter um mapeamento real das suas finanças, com o autoconhecimento do quanto você efetivamente ganha, o quanto gasta e – isso é importantíssimo – como e em que gasta. Contracheques e extratos bancários ajudam nesse levantamento inicial das receitas, bem como comprovantes de compras e do cartão de crédito do lado das despesas efetuadas.

Passo 4: Valor para investir

Estipule um valor para ser poupado todos os meses. O valor para investir não deve ser jamais a sobra. Ao contrário, ele deve ser separado sistematicamente antes da efetivação de muitos dos nossos gastos, sobretudo os supérfluos. Para começar o processo, é interessante acumular uma quantia equivalente a seis meses das suas despesas mensais para formar uma reserva de emergência. Por exemplo, se você gasta R$ 5 mil por mês, a reserva de emergência deve ser de R$ 30 mil. Esse dinheiro será a sua segurança em caso de eventualidades e imprevistos, como acidentes, demissão, doenças etc.

Passo 5: Metas

Trace suas metas. Pode ser a compra do carro zero, a mudança de apartamento, a troca do celular, uma viagem de férias, o intercâmbio do filho, a renda da aposentadoria… Pesquise o valor de cada um dos seus sonhos e objetivos. Quanto custa? Fazer essa pergunta é fundamental, porque o valor é o primeiro passo na direção de materializar nossos desejos. Eles começam a ficar reais e palpáveis.

Passo 6: Investimentos

Agora é a hora de pesquisar e escolher onde investir, com que instituição financeira vai investir e em que produto. Cada produto financeiro tem características próprias, de rentabilidade, liquidez, prazos etc. Nesse quesito, é importante escolher produtos adequados aos seus objetivos, à sua faixa de renda e ao seu perfil de investidor (conservador, moderado ou arrojado). Nem sempre os bancos são as instituições que oferecem as melhores oportunidades ao investidor. Plataformas independentes de investimento como a Órama fornecem informações e suporte técnico e profissional para que essa escolha seja feita da melhor forma. Um exemplo: aquele valor da reserva de emergência, citado no passo 4, deve estar disponível a qualquer momento, ou seja, ele precisa estar em investimentos conservadores e com boa liquidez.

Passo 7: Replanejamento

Como vivemos num mundo bastante dinâmico, pelo menos uma vez por ano é preciso fazer uma avaliação geral das receitas e despesas e, consequentemente, um novo planejamento financeiro. O planejamento financeiro não só pode, como deve ser sempre reajustado, realinhado. É possível, por exemplo, renegociar dívidas, se os juros que você estiver pagando estiverem altos. Ou trocar de investimentos, para outros mais rentáveis, quando o cenário econômico muda. E, muitas vezes, isso não é raro, nossos objetivos e sonhos também mudam com o tempo.

Agora é só começar. Atualmente, existem várias planilhas e vários aplicativos que ajudam a montar o planejamento financeiro, seja ele pessoal ou familiar. O planejamento financeiro é um instrumento único e crucial para quem quer investir de uma forma consciente e alcançar resultados satisfatórios, crescer, avançar nas finanças. Um hábito necessário para a nossa saúde financeira. Mãos à obra.

Um comentário em “Planejamento financeiro – o que é e como fazer?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s