Renda Variável – O que é e como investir?

Renda Variável – O que é e como investir? 

No mundo dos investimentos, nos deparamos com muitas possibilidades de aplicação, mas nem sempre a opção mais atrativa à primeira vista é aquela que combina melhor com nossos objetivos. É necessário estudar e conhecer tudo que o mercado oferece, para alcançar com sucesso as metas traçadas! 

A Renda Variável é uma das diferentes modalidades de investimento disponíveis no mercado. Nesse post iremos explicar um pouco mais as características desse tipo de investimento, para que você entenda qual o melhor tipo de aplicação para seu bolso. 

Vem com a gente! 

 O que é Renda Variável?

3.gif

Renda Variável é um dos tipos de investimentos com maior retorno esperado, porém, com uma grande questão: não é possível prever o seu retorno. São aplicações que apresentam  volatilidade, ou seja, propícias às oscilações. Por isso, é necessário entender bem do que se trata antes de entrar nesse novo universo, para que você não se depare com prejuízo!!

De modo geral, as aplicações em Renda Variável são mais arriscadas e costumam rentabilizar melhor no médio e longo prazos. Mas isso não é uma regra

Existem diversos tipos de produtos de Renda Variável que você pode escolher para aplicar, entre eles títulos e fundos

No decorrer do texto, iremos esclarecer os tipos de investimento que você tem como opções.   

O que é um título de Renda Variável?

O título mais comum na renda variável são as ações, mas existem outras opções rentáveis também:

  • Ações: ao comprar ações de uma empresa, você se torna um dos seus acionistas.  Elas são emitidas por empresas que desejam captar recursos para realizar novos investimentos produtivos ou desenvolver projetos que viabilizem o seu crescimento. Isso significa que você pode ganhar dinheiro sendo acionista, com direito a eventuais parcelas de lucros e dividendos, ou comprando ou vendendo as ações no mercado.
  • Contratos futuros: no mercado de futuros, você negocia contratos com prazos e preços determinados. Ou seja, o investidor firma um contrato para comprar ou vender determinado ativo, a um preço pré-definido e em uma data futura estipulada. Os ajustes positivos ou negativos dos preços dos contratos são realizados diariamente.
  • Opções: são um modelo de investimento onde o investidor fecha contratos que lhes confere o direito de comprar ou  vender ativos por um preço fixo, em um determinado período. Essa é uma boa alternativa para quem busca proteger suas aplicações em ações, por exemplo. Mas as opções também podem ser utilizadas para alavancar as posições.

 

Além desses, existem outros tipos de títulos em Renda Variável. Para conhecer mais sobre cada título de Renda Variável oferecido pela Órama, acesse a nossa página de títulos

No entanto, antes de falar sobre alguns outros exemplos de Renda Variável, é muito importante entender primeiro o que é o Home Broker, um sistema muito presente em investimentos de Renda Variável.

O Home Broker é o principal meio de acesso à Bolsa de Valores. Trata-se de uma plataforma de investimentos que viabiliza a realização de negociações de compra e venda de ações e outros ativos financeiros, como ofertas públicas, através da internet. A Órama criou o seu próprio sistema de Home Broker, para acessá-lo, basta visitar o nosso site. 

Renda Variável: exemplos de investimento

4.gif

Além dos títulos, existem outras formas de investir em Renda Variável. Não pense que você precisa se limitar a apenas uma modalidade de aplicação. A diversificação da sua carteira é algo que conta muito para o desempenho, rentabilidade e segurança do seu dinheiro!

Veja alguns outros exemplos de Renda Variável no mercado:

  • Fundos de Investimento: os fundos são, na verdade, uma modalidade de aplicação financeira coletiva que reúne capital de diversos cotistas (como são chamados os investidores que aplicam em fundos). Os cotistas querem obter ganhos a partir dessas aplicações no mercado financeiro. Os fundos de Renda Variável podem ser, por exemplo, fundos de ações ou fundos cambiais.  Na página de fundos da Órama, você tem acesso aos melhores fundos de Renda Variável que contam com alta segurança, liquidez e rentabilidade!
  • Ofertas Públicas: nada mais são que um processo de disponibilização de determinada quantidade de ações de uma companhia ao mercado, com o objetivo de captar recursos. Essas ações são negociadas diretamente na Bolsa de Valores. 
  • ETFs: os ETFs são fundos de ações que buscam acompanhar os índices, como o Ibovespa, e suas cotas também podem ser negociadas, assim como as ações. Para aplicar em ETFs (sigla para Exchange Traded Funds), o investidor deve primeiro acessar sua plataforma de Home Broker e, através dela, poderá comprar o ETF que desejar. Ao fazer isso, ele não compra todas as ações de uma empresa, mas, sim, todas as ações de um índice específico
  •  Câmbio: a negociação de câmbio é uma modalidade de investimento bastante conhecida. Ela é uma operação de troca de moeda de um país pela moeda de outro país. 

Na Órama, você encontra as melhores opções para rentabilizar o seu dinheiro. Conheça nossa página de Renda Variável e veja mais sobre os produtos.

A liquidez da Renda Variável 

1.gif

Chamamos de liquidez a facilidade de conversão de um ativo em dinheiro sem perda significativa do seu valor. Quando, durante essa conversão, existe menos perda de dinheiro e maior facilidade de resgate do dinheiro em curto prazo, falamos que essa aplicação tem uma alta liquidez. Já quando acontece o contrário, falamos que a aplicação tem baixa liquidez

É preciso ter em mente que a Renda Variável não costuma ter a liquidez imediata. Mas não veja isso com maus olhos! Liquidez é diferente de rentabilidade, e as melhores taxas de retorno costumam se encontrar em aplicações de longo prazo, que não podem ser sacadas a qualquer momento. 

Então, por mais que o investimento que esteja sendo feito em Renda Variável não gere retorno nem resgate imediato, ele pode render bons frutos no futuro. E, enquanto isso, para diversificar sua carteira de investimentos, o investidor pode procurar saber mais sobre diferentes modalidades de investimento.

Como investir em Renda Variável 

Se interessou por Renda Variável e está pensando em começar a investir? Ótimo! Mas antes, uma dica: não é indicado aplicar todo o seu capital nesse tipo de investimento, já que os retornos podem oscilar

Apesar da rentabilidade desses investimentos indicar melhor retorno, muitas vezes são mais elevadas que a da Renda Fixa, mas não são previsíveis. São investimentos de risco e, por isso, é importante prezar pela segurança do seu capital antes de se animar com a expectativa de ganhar muito. Da mesma maneira que as oscilações podem ser positivas, gerando ganhos, elas podem ser negativas, resultando em perdas. O aconselhável é que você diversifique sua carteira, conhecendo um pouco mais sobre outros produtos. 

Produtos de Renda Fixa e Tesouro Direto são também uma boa opção para balancear os seus investimentos e, assim, administrar com mais segurança as oscilações da Renda Variável. Eles ajudam a compor uma carteira de investimentos equilibrada e balanceada. Ao mesclar Renda Variável com outros produtos que te oferecem maior segurança, você passa a preservar o seu dinheiro. E ter uma reserva de segurança para eventuais necessidades também é bastante indicado. 

Os produtos de Renda Variável costumam rentabilizar melhor no médio e longo prazos. É necessário, no entanto, ter paciência para que seus investimentos atinjam bons resultados! Tirar dinheiro antes da hora pode ser uma má decisão nesse tipo de aplicação. 

Defina o seu perfil 

Antes de tudo, é importante analisar seus objetivos e sua propensão ao risco para descobrir em qual perfil de investidor você se enquadra.

Os perfis são traçados para ajudar o investidor a aproveitar ao máximo o seu capital através do conhecimento de onde é mais rentável investir o seu dinheiro de acordo com os seus objetivos. Eles são divididos em 3 tipos: 

  • Arrojado: perfil que  se enquadram as pessoas que estão mais dispostas  a arriscar no mercado. São aquelas que não têm o sono afetado com as oscilações da bolsa e compreender que, ocasionalmente, podem ocorrer variações negativas.  Por isso, este tipo de investidor tende a ser mais propenso a realizar investimentos em Renda Variável.
  • Moderado:  é o perfil de pessoas que estão dispostas a aceitar variações em seus investimentos para atingir uma melhor rentabilidade, mas ainda assim prezam pela segurança.
  • Conservador: o perfil conservador engloba as pessoas que buscam segurança nos seus investimentos acima de tudo, não estão dispostas a arriscar.

Existem investimentos diferentes, indicados para cada tipo de perfil e de acordo com os seus objetivos e disposição para correr riscos. É importante traçar seu perfil antes de escolher em qual investimento aplicar, para que não haja frustração financeira nem perdas desnecessárias. Cautela e informação são muito importantes nessa hora! 

Conclusão

Agora que você já tem uma boa noção sobre o conceito de Renda Variável, pesquise e compare para descobrir quais são os melhores tipos de investimento para a sua carteira, sempre de acordo com o seu perfil de investidor.

Leve em consideração prazos, riscos, liquidez, rentabilidade e segurança. Esses são fatores primordiais para serem ponderados! E lembre-se também da importância de diversificar sua carteira.

Em caso de dúvidas, acesse nosso site ou acione nosso setor de Atendimento. Esperamos ter te ajudado! 

Até mais e bons investimentos,

Equipe Órama.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s