Melhora na perspectiva sobre o acordo comercial e os últimos destaques

BRASIL EM FOCO 

A melhoria de perspectiva sobre o acordo comercial impulsionou o índice brasileiro e o Ibovespa fechou em máxima histórica com alta de 1,23%, a 110.300 pontos. O dólar PTAX cedeu 0,20% a R$ 4,1946.  No mercado de juros futuros, a taxa do contrato DI para janeiro de 2025 foi de 6,42%, uma queda de 5 pontos base.

A produção industrial registrou alta pelo terceiro mês consecutivo, com crescimento de 0,8% em outubro de 2019, na comparação com o mês anterior. Contudo, a recuperação do último trimestre não conseguiu superar o resultado negativo do setor que acumula queda de 1,1% no ano e 1,3% de recuo nos últimos 12 meses.  (IBGE)

Por 10 a 1, o Supremo Tribunal Federal aprovou o compartilhamento dos dados bancários e fiscais do contribuinte obtidos pela Receita Federal e pela Unidade de Inteligência Financeira (UIF) com o Ministério Público e com as autoridades policiais, sem a necessidade de autorização prévia do Poder Judiciário. (STF)

Contrariando o que havia sido combinado entre Rodrigo Maia e David Alcolumbre, a presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, senadora Simone Tebet (MDB-MS), pautou o Projeto de Lei do Senado (PLS) 166/18, para a próxima terça (10). Esse projeto, visa alterar o Código de Processo Penal para disciplinar a prisão após condenação em segunda instância. O entendimento entre as casas era que o Senado esperaria a análise, na Câmara, da PEC 199/19, do deputado Alex Manente (Cidadania-SP), que trata do mesmo tema. (Agência Brasil)

OBSERVATÓRIO INTERNACIONAL 

Com uma perspectiva mais otimista em relação ao desfecho da Guerra Comercial, o S&P 500 fechou em alta de 0,63% aos 3.112,76 pontos.

Apesar do barulho da declaração de Trump sobre o fato de não ter pressa para fechar o acordo comercial  com a China, pessoas ligadas às negociações afirmam que ainda é provável que se chegue à fase 1 do acordo até 15 de dezembro. Além disso, essas mesmas fontes acreditam que as polêmicas em relação a Hong Kong e Xinjiang não devem atrapalhar as negociações sobre o comércio. (Bloomberg)

Do lado chinês, contudo, assessores do governo, não parecem dar como certo que os atos aprovados pelo governo americano que violariam a soberania chinesa sobre os territórios de Hong Kong e Xinjiang vão passar ilesos nas negociações comerciais.(South China Morning Post)

Nesta manhã, as ações de mineradoras e siderúrgicas sobem no Japão após o primeiro-ministro Shinzo Abe anunciar um pacote de US$ 239 bilhões para estimular o crescimento em função da queda das exportações, desastres naturais e aumentos de tarifas. Na Europa, as bolas operam em alta e o viés dos futuros de Wall Street é positivo.

RESUMO DOS MERCADOS 

Dólar PTAX R$ 4,1946  – 0,20% 
DI Fut Jan/25 6,42% – 5 bps 
Ibovespa 110.300 pts  + 1,23%
S&P 500 3.112,76 + 0,63%

ÓRAMA NA MÍDIA

A nossa estrategista-chefe Sandra Blanco dedica sua coluna no Valor Investe a explicar a mudança no cenário de juros e como isso alterou a dinâmica dos investimentos no Brasil. Compreender que precisamos adaptar a mentalidade é um passo essencial para a tomada de decisão.

As informações contidas neste material têm caráter meramente informativo, não constitui e nem deve ser interpretado como solicitação de compra ou venda, oferta ou recomendação de qualquer ativo financeiro, investimento, sugestão de alocação ou adoção de estratégias por parte dos destinatários. Este material é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da Órama Investimentos, incluindo agentes autônomos e clientes, podendo também ser  divulgado no site e/ou em outros meios de comunicação da Órama. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da Órama.

Deixe uma resposta