Expansão do limite do saque do FGTS e os últimos destaques

BRASIL EM FOCO 

Com a perspectiva do acordo comercial entre China e Estados Unidos e com a queda dos juros na última reunião do Copom do ano, o Ibovespa bateu novo recorde fechando a 112.199,74 pontos, uma alta de 1,11%. O dólar PTAX encerrou a R$ 4,1092 em queda de 0,15%. O. contrato de DI para janeiro de 2025 foi negociado a 6,39%, abrindo 7 pontos base. 

Em Brasília, o presidente Jair Bolsonaro sancionou a MP 889 que expande o limite do saque do FGTS de R$ 500 para R$ 998. Esses valores serão pagos até o fim do ano e deverão injetar cerca de R$ 3 bilhões na economia, segundo o governo. A medida também revoga, definitivamente, o adicional de 10% sobre o FGTS que era pago pelas empresas ao governo, em caso de demissão sem justa causa. (Valor)

A Caixa anunciou a redução de juros do crédito imobiliário e cheque especial. Para o primeiro, a redução é de 0,25 ponto percentual na taxa mínima, passando de 6,75% para 6,5% ao ano. A medida vale para o cliente que optar por receber os seus vencimentos no banco e manter relacionamento com a Caixa. Os juros passam a valer na segunda-feira (16). As taxas para o cheque especial vão cair de 8,99% para 8% ao mês para os clientes que não optarem pelo pacote de relacionamento. Aos correntistas que optam por receber seus salários na Caixa, haverá redução de 4,99% para 4,95% ao mês. As novas taxas começam a valer no dia 2 de janeiro de 2020.  (Poder 360)

Em outubro de 2019, o volume de serviços no Brasil teve crescimento de 0,8% frente a setembro, na série livre de influências sazonais. Esse é o maior percentual para o mês desde 2012. Na comparação com igual mês do ano anterior, o volume do setor de serviços avançou 2,7% em outubro de 2019. (IBGE)

OBSERVATÓRIO INTERNACIONAL 

Quinta-feira também foi dia de recorde em Nova York e o S&P 500 fechou o pregão em alta de 0,86%, a 3.168,57 pontos

O otimismo do mercado se intensificou com o presidente Donald Trump, em sua conta no Twitter, dizendo que os EUA estavam “MUITO próximos de um GRANDE ACORDO com a China”. Segundo a Bloomberg, os especialistas ouvidos afirmam que os termos do acordo já foram fechados e inclui o adiamento das tarifas que entrariam em vigor no dia 15 de dezembro, um cronograma de reversão de algumas das existentes e uma promessa dos chineses de comprar mais produtos agrícolas dos EUA. Contudo, ainda falta Trump assinar o documento oficial.

Como esperado o BC manteve a taxa de juro inalterada, com compromisso de continuar recomprando € 20 bilhões de euros por mês de ativos financeiros. Christine Lagarde, em sua primeira coletiva de imprensa como presidente do Banco Central Europeu disse que a política monetária vai continuar a acomodatícia, até a inflação se animar, uma vez que o repasse do crescimento do salário para os preços é lento. Ela também disse que uma revisão da estratégia monetária do banco será ajustada a cada marco, mas que será encerrada em 2020.  (G1)

Boris Johnson retorna ao poder no Reino Unido, com a maioria absoluta do Parlamento.  O Partido Conservador elegeu 364 parlamentares. O Trabalhista, do líder esquerdista Jeremy Corbyn, ficou com apenas 203 assentos. O primeiro-ministro disse que vai executar o Brexit e tirar o Reino Unido da União Europeia no próximo mês. (BBC)

Para fechar a semana, as ações sobem nas bolsas ao redor do mundo e os bonds flutuam, na expectativa que EUA e China anunciem um acordo parcial para evitar a imposição de novas tarifas. Na Ásia, a alta foi de mais de 2% em Hong Kong e no Japão. Na Europa, as bolsas sobem mais de 1%. Os futuros dos índices das bolsas de Wall Street apontam para um dia de alta firme. 

A libra esterlina valoriza 1,8% com a vitória de Boris Johnson, a moeda está cotada 1,3387 US$/£ e o índice FTSE 250 avança mais de 5%.

RESUMO DOS MERCADOS 

Dólar PTAX  R$ 4,1092 – 0,15%
DI Fut Jan/25 6,39% + 7 bps 
Ibovespa 112.199,74 pts + 1,11%
S&P 500 3.168,57 pts + 0,86%
As informações contidas neste material têm caráter meramente informativo, não constitui e nem deve ser interpretado como solicitação de compra ou venda, oferta ou recomendação de qualquer ativo financeiro, investimento, sugestão de alocação ou adoção de estratégias por parte dos destinatários. Este material é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da Órama Investimentos, incluindo agentes autônomos e clientes, podendo também ser  divulgado no site e/ou em outros meios de comunicação da Órama. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da Órama.

Deixe uma resposta