Risco de contaminação internacional do coronavírus e os últimos destaques

BRASIL EM FOCO 

Os possíveis impactos econômicos da disseminação do coronavírus, em especial à economia chinesa, repercutiu no Brasil com a bolsa caindo fortemente e o dólar em alta. O  Ibovespa terminou o dia aos 114.481,84 pontos, registrando queda de 3,29%. O dólar Ptax era cotado a R$  4,2196, subindo mais de 1%. No mercado de juros, o DI para janeiro de 2025 ficou próximo da estabilidade aos 6,28%.

A aversão ao risco afetou, principalmente, os setores de mineração e siderurgia, que são muito dependentes da economia chinesa. As empresas desses setores caíram fortemente no pregão de segunda, o que pesou no desempenho negativo do Ibovespa, devido à ponderação do índice. Gerdau PN recuou 7,94%, CSN ON (-7,78%) e Gerdau Metalúrgica PN (-7,51%). Os papéis da Vale recuaram 6,12%. (Valor)

A Superintendência-Geral do Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) aprovou sem restrições o acordo entre a Embraer e a americana Boeing. O acordo envolve duas movimentações societárias. Em uma delas, a Boeing, passará a ter 80% da área de aviação comercial da Embraer pelo valor de US$ 4,2 bilhões, e passará a ser chamar “Boeing Brasil – Commercial”). Em outra movimentação, a Boeing terá 49% da EB Defense —empresa a ser criada em conjunto com a Embraer (que terá 51%) para as atividades voltadas à KC-390, aeronave de defesa e segurança. O governo brasileiro manterá seus direitos preferenciais – “golden share” – sobre a Embraer, mas não sobre o negócio de aviação comercial, que passará ao controle exclusivo da Boeing. (Folha)

OBSERVATÓRIO INTERNACIONAL 

As incertezas em relação a epidemia de coronavírus fez os índices americanos terminarem o dia em quedas acentuadas de mais de 1%. O S&P 500  caiu 1,57% aos 3.243,63 pontos.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) reavaliou o risco para o coronavírus e passou a classificar como “elevado” o risco internacional de contaminação. A organização esclareceu que, por um “erro de formulação”, havia apontado o risco como “moderado”. (G1)

A agência de notícias chinesa Xinhua anunciou que um paciente que havia contraído pneumonia pelo novo coronavírus (2019-nCoV) foi o primeiro a receber alta. O homem de 38 anos que esteve na província de Hubei, entre 3-5 de janeiro, foi diagnosticado e internado no dia 23. Ele recebeu alta do hospital ontem (27). (Xinhua)

Na ausência de notícias positivas, os investidores seguem na defensiva e, nesta manhã, com os mercados fechados em grande parte na Ásia, as bolsas recuam 0,5% no Japão. Na Europa, as bolsas operam sem direção definida. O viés dos índices de Wall Street é de leve alta.

RESUMO DOS MERCADOS 

Dólar PTAX R$ 4,2196 + 1,02%
DI Fut Jan/25 6,28% – 1 bps 
Ibovespa  114.481,84 pts  – 3,29%
S&P 500 3.243,63 pts  – 1,57%
As informações contidas neste material têm caráter meramente informativo, não constitui e nem deve ser interpretado como solicitação de compra ou venda, oferta ou recomendação de qualquer ativo financeiro, investimento, sugestão de alocação ou adoção de estratégias por parte dos destinatários. Este material é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da Órama Investimentos, incluindo agentes autônomos e clientes, podendo também ser  divulgado no site e/ou em outros meios de comunicação da Órama. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da Órama.

Deixe uma resposta