Produtos – Parte 1

Enfim chegamos aos produtos! Hoje é dia de falar de Poupança, Títulos Públicos, CDB, LC, LCI e LCA. Vamos começar:

Poupança

A Poupança é o investimento mais tradicional e conhecido no Brasil. Vamos entender melhor as suas características.

Dá uma conferida nesse raio X:

Onde encontrar: bancos.
Prazo: sem carência ou prazo de vencimento.
Liquidez: é diária — você pode resgatar quando desejar.
Investimento mínimo: não tem — você aplica o valor que desejar.
Impostos: isenta.
Taxas: não tem.

Remuneração

Para depósitos efetuados até 03/05/12:

Juros de 6% ao ano + TR.

Para depósitos efetuados a partir de 04/05/12:

Se a taxa Selic for superior a 8,5% ao ano: juros de 6% ao ano + TR.

Se a taxa Selic for igual ou inferior a 8,5% ao ano: juros de 70% da taxa Selic ao ano + TR.

O cálculo da TR (Taxa Referencial) é feito a partir da média ponderada das taxas diárias de juros dos CDBs prefixados das 30 maiores financeiras brasileiras de maior porte — taxas que se aproximam da Selic. O governo também usa um redutor, que ele próprio define, para calculá-la. É comum que a TR seja próxima ou igual ao zero, mas ela nunca negativa.

Riscos envolvidos

Risco de crédito

Tem cobertura do FGC, o Fundo Garantidor de Créditos, que te devolve seu dinheiro caso o banco venha a quebrar.*

*Valor limitado a R$250 mil por CPF por instituição, respeitado o limite de cobertura total de R$1 milhão a cada quatro anos. 

O que significa mesmo FGC? Confira nesse vídeo.

Risco de mercado

Nesse caso, está atrelado às variações da TR e da taxa Selic.

Risco de liquidez

É muito baixo. A liquidez é imediata.

Fique atento(a)!

  • Caso decida fazer o saque antes do aniversário do depósito, você deixa de ganhar os juros que seu dinheiro teria rendido no mês.
  • O valor do rendimento pode ser inferior ao de outros produtos e, com frequência, à inflação do período — fazendo com que você perca poder de compra.

Títulos Públicos

Os títulos públicos são emitidos pelo Tesouro Nacional com a finalidade de ajudar a financiar iniciativas públicas. Ou seja, ao investir em um desses, você empresta seu dinheiro para o governo e ele te devolve com juros. 

São investimentos de Renda Fixa.

Onde encontrar: nas instituições financeiras habilitadas, listadas no site do Tesouro Direto.
Prazo: o prazo de vencimento varia conforme o título.
Liquidez: é diária, por meio da recompra pelo Tesouro Nacional. Você pode vender o título quando quiser, caso não deseje aguardar o vencimento para resgatar o valor principal acrescido de juros.*
Investimento mínimo: R$ 30.

*Como a recompra é feita pelos preços de mercado no dia do saque, seu rendimento pode ser afetado. Compreenda bem o que pode contribuir para a valorização ou desvalorização do título, enquanto estiver com ele.

Remuneração

Títulos públicos pré-fixados

Tesouro Prefixado ou LTN & Tesouro Prefixado com Juros Semestrais ou NTNF

No momento da compra, você já sabe os juros que receberá no vencimento. São ideiais para metas de médio e longo prazos.

Dê o play pra saber mais sobre eles:

Títulos públicos pós-fixados

Tesouro Selic ou LFT

Os juros vão depender do valor da taxa Selic no vencimento. Recomendados para reserva de emergência e objetivos de curto prazo. São os que possuem o menor risco em caso de venda antecipada.

Títulos públicos de inflação

Tesouro IPCA+ ou NTNB Principal & Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais ou NTNB

Pagam juros semestrais: uma taxa já estabelecida no momento da aquisição acrescida da taxa de inflação no vencimento. Uma boa opção para investimentos de longo de longo prazo.

Riscos

Risco de crédito

No mundo, em geral, o risco de crédito oferecido pelo governo é considerado o menor do mercado, pois cabe a ele próprio o controle dos principais fatores do âmbito econômico.

Risco de mercado

Aqui, está relacionado principalmente às variações da Selic e do IPCA.

Risco de liquidez

É o risco de você sair perdendo dinheiro caso você precise sacar antes do vencimento. 

Impostos

Imposto sobre Operação Financeira (IOF): tabela regressiva. O imposto incide sobre os rendimentos. 96% a 3%, caso o resgate seja efetuado antes de completados 30 dias da aplicação.

Imposto de Renda: tabela regressiva. Imposto incide sobre os rendimentos.

Até 6 meses 22,5%
6 meses — 1 ano 20%
1 — 2 anos 17,5%
Mais de 2 anos 15%

Taxas

Taxa de custódia: cobrada pela B3, de 0,30% ao ano sobre o valor dos títulos.

Taxa de administração: cobrada pela instituição financeira que administra seus recursos; varia de uma para outra.

Fonte: Ambima

Para entender melhor como funciona o mercado de títulos públicos, confira a explicação do vídeo: 

CDB

Os CDBs, Certificados de Depósito Bancário, são títulos privados emitidos por bancos para captar dinheiro para financiar empréstimos bancários aos seus clientes. Você empresta seu dinheiro a um banco, que te paga depois com juros. 

São investimentos de Renda Fixa.

Onde encontrar: bancos, corretoras e distribuidoras de títulos e valores mobiliários.
Prazo: o prazo de vencimento varia de acordo com a instituição. Pode ter carência para resgate — saque ser permitido passado certo período.
Liquidez: geralmente é diária após a carência.*
Investimento mínimo: varia, mas costuma ser de pelo menos R$ 200.

*Saques anteriores ao vencimento podem estar sujeitos a penalidades, a depender do CDB.

Remuneração

Prefixados:

Oferecem juros atrelados a uma taxa definida no momento da compra.

Pós-fixados:

Oferecem juros atrelados à variação de uma taxa, que geralmente é a Taxa DI.

Riscos

Risco de crédito

É atenuado pela garantia do FGC — do qual já falamos lá em cima, na parte da Poupança. 

Risco de mercado

Associa-se à variação da taxa à qual o título está atrelado.

Risco de liquidez

Ele existe quando o CDB apresenta prazos de carência, de vencimento ou para resgate. 

Impostos

Imposto sobre Operação Financeira (IOF): tabela regressiva. O imposto incide sobre os rendimentos. 96% a 3%, caso o resgate seja efetuado antes de completados 30 dias da aplicação.

Imposto de Renda: tabela regressiva. Imposto incide sobre os rendimentos.

Taxas

Taxa de custódia: pode ser cobrada por corretoras ou distribuidoras.

Comissões: uma parcela do seu rendimento pode ser cobrada pela instituição que gere seu investimento. 

LC

Letra de Câmbio é uma espécie de título privado que as financeiras emitem para obter recursos para financiar empréstimos aos seus clientes. É aquela história: você empresta seu dinheiro a uma financeira, e ela te devolve o valor acrescido de juros.

É um investimento de Renda Fixa.

Onde encontrar: financeiras, corretoras e distribuidoras de títulos e valores mobiliários.
Prazo: o prazo de vencimento varia de acordo com a instituição. Pode ter carência para resgate — saque ser permitido passado certo período.
Liquidez: pode ser diária após a carência, mas geralmente só permite que se efetue o resgate o resgate no vencimento.
Investimento mínimo: varia, mas você consegue encontrar a partir de R$ 500.

Remuneração

Prefixadas:

Oferecem juros atrelados a uma taxa definida no momento da compra.

Pós-fixadas:

Oferecem juros atrelados à variação de uma taxa, que geralmente é a Taxa DI.

Riscos

Risco de crédito

É minimizado pela cobertura do FGC.

Risco de mercado

Depende da variação da taxa à qual o título está atrelado.

Risco de liquidez

Ele existe quando a LC tem prazos de carência ou para resgate. 

Impostos

Imposto sobre Operação Financeira (IOF): tabela regressiva. O imposto incide sobre os rendimentos. 96% a 3%, caso o resgate seja efetuado antes de completados 30 dias da aplicação.

Imposto de Renda: tabela regressiva. Imposto incide sobre os rendimentos.

Taxas

Taxa de custódia: pode ser cobrada por corretoras ou distribuidoras.

Comissões: uma parcela do seu rendimento pode ser cobrada pela instituição que gere seu investimento. 

Fique atento(a)!

  • Dos títulos de Renda Fixa, é um dos que geralmente oferece as melhores taxas; no entanto, seu risco de crédito é um dos maiores entre os demais.

LCI e LCA

A Letra de Crédito Imobiliário e a Letra de Crédito Agrícola são títulos emitidos por bancos para captar recursos para projetos imobiliários (no caso das LCIs) e agrícolas (no caso das LCAs). Você empresta seu dinheiro a um banco, que te paga depois com juros. 

São investimentos de Renda Fixa.

Onde encontrar: bancos, corretoras e distribuidoras de títulos e valores mobiliários.
Prazo: o prazo de vencimento varia de acordo com a instituição, mas o Banco Central institui um prazo mínimo de 90 dias. Os prazos de carência para saque podem ser extensos.
Liquidez: geralmente é diária, após a carência.*
Investimento mínimo: varia, mas você consegue encontrar a partir de R$ 1000.

*Pode acontecer de o saque, mesmo autorizado após a carência, ser suscetível a taxas.

Remuneração

Prefixadas:

Oferecem juros atrelados a uma taxa definida no momento da compra.

Pós-fixadas:

Oferecem juros atrelados à variação de uma taxa, que geralmente é a Taxa DI.

Riscos

Risco de crédito

É reduzido pela cobertura do FGC.

Risco de mercado

Depende da variação da taxa à qual o título está atrelado.

Risco de liquidez

Ele existe quando a LC tem prazos de carência ou para resgate. 

Impostos

São incentivadas pelo governo e seus rendimentos são isentos de Imposto de Renda para pessoas físicas!

Taxas

Taxa de custódia: pode ser cobrada por corretoras ou distribuidoras.

Comissões: uma parcela do seu rendimento pode ser cobrada pela instituição que gere seu investimento. 

Fonte: Ambima

Vamos fechar o módulo de hoje do jeito que a gente gosta: com um vídeo!

Acesse o próximo post para aprender sobre Debêntures, CRI, CRA, Ações, Derivativos e COE!

 

Um comentário em “Produtos – Parte 1

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s