Coronavírus: bolsa em baixa é momento para começar a investir e pensar no futuro, alertam economistas

Head comercial da Órama, Hugo Azevedo, e o economista da plataforma, Alexandre Espirito Santo, responderam dúvidas e analisaram a recuperação do mercado em live no perfil da Órama no Instagram.

O head comercial da Órama, Hugo Azevedo, e o economista da plataforma, Alexandre Espirito Santo, debateram o histórico do mercado e a queda da Bolsa brasileira nas últimas semanas, como reflexo da pandemia do coronavírus, em mais uma live no perfil da Órama no Instagram. Eles aproveitaram para responder dúvidas dos seguidores e apontar as oportunidades do cenário atual aos novos investidores.

A plataforma de investimentos está promovendo uma série de lives no Instagram, diariamente às 18h30, para analisar os impactos da Covid-19 na economia nacional, no mercado financeiro e no universo dos investimentos. A programação completa conta, além das lives, com diversos conteúdos (veja ao fim do texto).

Segundo Espirito Santo, muitos investidores com pouca experiência em operar na Bolsa pensaram em vender suas Ações neste momento de baixa. Ele propõe justamente o contrário. “Se a pessoa vendeu no dia em que a Bolsa bateu o mínimo, no desespero, saiba que ela já subiu mais de 10% nesta semana. Não vamos nos precipitar, porque Bolsa é investimento de longo prazo”, comenta.

De acordo com Azevedo, não há como prever se haverá novas quedas nas próximas semanas, com os brasileiros em isolamento social. “O governo anunciando que vai colocar recursos ajuda a mitigar essa queda. Em momentos de crise, não há fundamentos. Hoje o mercado está barato, o Ibovespa tem cerca de 30% das empresas trabalhando abaixo do seu valor patrimonial. Isso mostra que é um desespero, os preços estão errados”, coloca.

O economista pede que os investidores avaliem se seguirão confortáveis em continuar a operar, tendo enfrentado essa crise inesperada da pandemia com a queda do preço do petróleo. “No entanto, para os mais jovens, essa é uma oportunidade ímpar: começar a investir agora para fazer sua carteira para a aposentadoria”, indica.

Os dois especialistas concordam que a recuperação da economia dependerá da evolução da pandemia no território brasileiro, das medidas de isolamento e da atuação dos governos Federal e estaduais. Eles esperam que a recuperação seja em V, ou seja, depois da queda abrupta, haverá um retorno rápido.

“Por outro lado, se for preciso ficar mais tempo em casa, com a economia trancada por quatro, cinco, seis meses, a recuperação pode ser em U, mais demorada. Dessa forma, em vez de um PIB de 0,4%, a projeção é de um PIB negativo.”, projeta Espirito Santo.

Os especialistas aproveitaram também para responder à pergunta de um investidor iniciante sobre reserva de emergência. Com a taxa Selic a 3,75% ao ano, os dois acreditam que títulos pós-fixados do Governo Federal podem garantir a segurança do investimento.

Segundo Azevedo, o Órama DI é um produto disponível na plataforma com essa característica de reserva de emergência, pois aplica em títulos públicos atrelados à Selic e garante rentabilidade melhor do que a Poupança, no cenário atual.

O nosso blog  tem conteúdos especiais sobre os impactos do coronavírus na economia e nos mercados, assim como orientações para os investidores. Todos os dias, às 10h, há o “Panorama Diário”, com as principais notícias do Brasil e do mundo.

Fonte: G.Lab

Deixe uma resposta