Coronavírus: especialista acredita em recuperação econômica e diz que o momento é de investir em Ações

Luiz Alves, gestor da Versa Asset, foi o primeiro convidado da série de lives que está sendo realizada pela Órama em seu perfil no Instagram durante esta semana, sob o comando da estrategista chefe da Órama, Sandra Blanco, para analisar os impactos do coronavírus no mercado financeiro.

Após o choque da pandemia de coronavírus, a economia brasileira deve se recuperar mais rapidamente este ano do que após a crise de 2008. Uma questão preocupante é o patamar em que estará a inflação dentro de alguns meses. A afirmação é do gestor da Versa Asset, Luiz Alves, em conversa com a estrategista chefe da Órama, Sandra Blanco, na noite desta terça-feira, no perfil da Órama no Instagram.

A live foi a primeira da série que a Órama está promovendo ao longo desta semana, sempre às 18h30, para debater os impactos da Covid-19 na economia nacional, no mercado financeiro e no universo dos investimentos (ver programação ao fim do texto).

Para Alves, a recuperação da economia se dará em formato V, com mais rapidez, em razão da experiência com a crise de 2008, quando grandes instituições financeiras ao redor do mundo quebraram e os mercados demoraram a se estabilizar.

“Agora, a China e a Coreia do Sul já nos deram caminhos. Além disso, o setor financeiro (brasileiro) está saudável, e as empresas terão onde buscar auxílio, para pagar sua folha de pagamentos, por exemplo. O problema maior é quando o sistema financeiro quebra e as empresas não têm onde buscar ajuda”, avalia.

Ao mesmo tempo, ele se preocupa com os níveis que a inflação pode alcançar. “Também achamos que o Banco Central não tem espaço para cortar mais os juros. Vai ser bastante cauteloso quanto a isso”, diz.

Estratégia durante a crise

Falando sobre o posicionamento da Versa Asset, Alves explica que a gestora de recursos financeiros, que trabalha com Fundos Multimercado e de Ações, tentou se preparar desde as primeiras notícias do isolamento da China. Assim, a queda do valor de inúmeras Ações no mercado foi oportunidade.

“Quando a Bolsa bateu ao redor de 80 mil pontos, muitas Ações caíram e identificamos muito valor em diversas empresas. Os hedges geraram um caixa enorme para os Fundos, o que possibilitou comprarmos muitas Ações a valores deprimidos. O potencial das carteiras agora é espetacular, estamos muito animados, pois vamos ver uma reversão rápida dessa situação e momentos muito profícuos no futuro”, relata.

Entre os exemplos, Alves citou a rede varejista Hering, que tinha Ações vendidas a R$ 32, que caíram a R$ 26 e chegaram a R$ 12. Ele pondera que a marca não tem dívidas, não tem lojas próprias e tem como questão a ajuda aos franqueados. Então, da mesma forma que a empresa navegou pela greve dos caminhoneiros, no ano passado, deve fazer o mesmo agora, guardadas as devidas proporções.

“É uma empresa que sempre entregou bom retorno aos acionistas, então continuamos vendo como uma oportunidade”, diz o gestor. “O varejo todo vai dar uma travada, mas empresas assim são excelentes chances para o investidor, pensando no futuro”, completa.

Questionado por Sandra Blanco sobre o perfil do Fundo Versa, conhecido por ser alavancado, Alves respondeu que o momento atual é uma prova de fogo. 

“Se o Fundo cair 50%, ele precisa subir 100% para compensar? Isso não é verdade. É um movimento fatiado em vários dias, o retorno exponencial vale tanto para a queda como para a alta. Passamos por toda essa crise comprando, sem reduzir posições em carteira, graças à formatação que experimentamos ao longo do tempo”, afirma.

Oportunidade

Alves também defende que o momento é o melhor da década para começar a investir em Ações e Fundos de Ações. Para o gestor da Versa Asset, o momento atual já é o da digestão, ainda que penosa, do enxugamento da liquidez. Por isso, ele diz que a hora é de comprar e pensar no futuro.

“No longo prazo, o movimento da Bolsa é para cima, sempre. Tenho muita convicção que, daqui a um ano, quem comprou agora estará sorrindo de orelha a orelha”, finaliza.

Fonte: G.Lab

Deixe uma resposta