Queda da taxa Selic e os últimos destaques

BRASIL EM FOCO

No Brasil, os investidores aguardavam a decisão do Copom sobre a taxa Selic. A perspectiva dos juros renovando mínimas históricas, com um cenário de reformas estruturantes à frente impulsionaram os ativos de maior risco. Com isso, o Ibovespa teve forte alta de 2,16%, a 95.547 pontos. Todavia, o dólar Ptax também teve forte valorização de 2,37%, sendo cotado, na venda, a R$ 5,2499. No mercado de juros futuros, os contratos de DI com vencimento em janeiro de 2025 eram negociados à taxa de 5,63%, recuando 13 pontos base.

O Comitê de Política Monetária (Copom) decidiu, por unanimidade na noite de quarta-feira, reduzir a taxa Selic em 75 pontos base, indo para 2,25% a.a. (BCB). Esta foi a oitava queda consecutiva, levando a taxa mais uma vez para nova mínima histórica. O resultado era esperado pela maior parte do mercado financeiro.

O Ministro da Economia Paulo Guedes afirmou que  “Estamos voltando para as reformas. Nos próximos 60 e 90 dias, iremos acelerar“. Guedes apontou que o Brasil vai atravessar uma primeira onda, a da pandemia. A nossa segunda onda será uma recessão auto-infligida, que pode se transformar numa depressão se as medidas corretas não forem adotadas. (Valor)

Na quarta, o novo ministro das Comunicações, Fábio Faria, tomou posse e defendeu um “armistício patriótico” diante da pandemia do novo coronavírus de modo que a “arena eleitoral” fique para 2022. Faria ainda elogiou a comunicação direta que o presidente tem para com os seus apoiadores. O evento contou com a presença de Dias Toffoli, presidente do STF, Rodrigo Maia, da Câmara dos Deputados, além de Jair Bolsonaro. O presidente do Senado, Davi Alcolumbre, não compareceu por questões particulares, mas parabenizou o novo ministro. (CNN)

No STF (Supremo Tribunal Federal), com votos da maioria, a decisão foi pelo prosseguimento do inquérito das fake news, que apura a disseminação de notícias falsas e ameaças a integrantes da corte.  (Folha)

Ainda sobre o inquérito das fake news, o plenário do STF decidiu rejeitar o pedido de habeas corpus, ajuizado pelo ministro André Mendonça (Justiça), em favor de Abraham Weintraub, para retirar o ministro da Educação do investigação. (Folha)

Entre os indicadores econômicos, o IBGE divulgou que em abril de 2020, o volume de serviços no Brasil caiu 11,7% frente a março, na série com ajuste sazonal. Este é o resultado negativo mais intenso desde o início da série histórica (janeiro de 2011). Na comparação com abril de 2019, a queda foi de 17,2%. (IBGE)

Boa notícia para o agronegócio. Em cerimônia em Brasília, foi anunciado o Plano Safra 20/21, que destinará R$236,3 bilhões para produtores rurais com as presenças do presidente Jair Bolsonaro e da ministra da Agricultura, Tereza Cristina.  (UOL)  

A manhã de quinta-feira se inicia com a notícia que o Ministério Público do Rio de Janeiro prendeu no ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro, Fabrício Queiroz, em Atibaia, no interior de São Paulo. Ele e o senador são investigados pelo esquema da rachadinha na Assembleia Legislativa do Rio. Queiroz deve vir para o Rio, onde é investigado. (O Globo)

O Brasil completou na quarta-feira, três semanas com o ritmo de registros de mortes por Covid-19 entrando em estabilização. Quando se considera uma média semanal de óbitos (para descontar os atrasos de notificação dos finais de semana), desde o dia 26 de maio o país está em um patamar médio de 985 vítimas por dia, sem oscilar mais que 6% desse valor. Segundo o Painel Coronavírus do Ministério da Saúde, o Brasil atingiu 46.510 mortes e, ao todo, 955.377 casos confirmados.

OBSERVATÓRIO INTERNACIONAL

Nos EUA, a sequência de altas cedeu lugar à maior cautela em relação a uma segunda onda de Covid-19 em território americano e também na China. O S&P registrou queda de 0,36%, aos 3.113,49 pontos.

A Covid-19 ainda está tirando cerca de 800 vidas americanas por dia – um ritmo que, se mantido nos próximos meses, renderia mais de 200.000 mortos no final de setembro. Arizona, Flórida, Nevada, Oregon e Texas relataram seus maiores aumentos de um dia em novos casos esta semana. (NYT)

O presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, manteve o tom de cautela em seu segundo dia de pronunciamentos e pediu aos congressistas que mantenham os pacotes de ajuda federal às famílias e pequenas empresas por mais tempo. A fala de Powell ecoa em meio a um crescente debate sobre a possibilidade de se estender programas temporários, que foram criados para proteger os americanos mais vulneráveis da pandemia. Ele afirmou que “A economia está agora começando a se recuperar. É uma fase crítica e acho que a [manutenção] desse apoio é adequada neste momento.” (Bloomberg)

O ex-conselheiro de Segurança Nacional  dos EUA, John Bolton escreveu em um novo livro intitulado “The Room Where It Happened” no qual descreve algumas situações de bastidores que presenciou quando trabalhava para Trump. Ele oferece evidências de momentos críticos de Trump, principalmente no que se refere ao impeachment e a questão do “quid pro quo” envolvendo a Ucrânia. Em um outro trecho ele menciona que o presidente Donald Trump pediu ao líder chinês Xi Jinping para ajudá-lo a ganhar a reeleição comprando mais produtos agrícolas dos EUA. (WSJ)

Trump reagiu a esse livro tentando descreditar o autor em uma série de posts no Twitter falando que o livro é feito de “mentiras  e fake stories“.

No mundo, o número de casos ultrapassou os 8,4 milhões, com mais 449 mil óbitos por coronavírus. Os EUA atingiram o número de 2.163.290 infectados e mais de 117 mil mortes. (Johns Hopkins)

As bolsas na Ásia fecharam sem direção definida, com destaque para leves altas nos índices da China continental. Na Europa, os índices operam em queda e os futuros em Wall Street oscilam entre leves quedas e leves altas. 

RESUMO DOS MERCADOS

Dia Semana Mês Ano
DI Jan 2025 5,64% -13 bps -2 bps -33 bps -80 bps
Dólar PTAX (R$) 5,2499 2,37% 4,22% -3,25% 30,25%
Ibovespa (pts) 95.547,30 2,16% 2,97% 9,32% -17,38%
S&P 500 (pts) 3.113,49 -0,36% 2,37% 2,27% -3,63%
As informações contidas neste material têm caráter meramente informativo, não constitui e nem deve ser interpretado como solicitação de compra ou venda, oferta ou recomendação de qualquer ativo financeiro, investimento, sugestão de alocação ou adoção de estratégias por parte dos destinatários. Este material é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da Órama Investimentos, incluindo agentes autônomos e clientes, podendo também ser  divulgado no site e/ou em outros meios de comunicação da Órama. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da Órama.

 

Deixe uma resposta