Projeção de recuo intenso no PIB global pelo FMI e os destaques da semana

Panorama Semanal de 22 a 26 de junho*

O noticiário da semana oscilou entre um tom cauteloso, com possibilidade de novos lockdowns devido ao aumento de casos da Covid-19 em estados americanos, e um tom otimista, com reabertura econômica ou flexibilização de restrições ao redor do globo. Projeções piores do Fundo Monetário Internacional (FMI) também foram destaque. No Brasil, repercutiu o novo marco do saneamento básico aprovado no Senado.

Por aqui, o número de casos da Covid-19 continua crescendo. E o auxílio emergencial será prorrogado em mais três parcelas.

Na esfera política, foco no caso que investiga as “rachadinhas” que envolvem o senador Flávio Bolsonaro. O processo mudou de mãos e foi para a segunda instância. Já o advogado Frederick Wassef, dono da casa em Atibaia onde Queiroz, ex-assessor de Flávio foi preso, disse que o presidente Jair Bolsonaro nunca soube ou teve conhecimento “desses atos”. O advogado deixou o caso.

Carlos Alberto Decotelli foi nomeado para o Ministério da Educação.

O Senado aprovou a PEC que adia as eleições municipais de 4 de outubro para 15 de novembro. O texto segue para a Câmara.

Na Economia, inflação e juros no radar, além das projeções do FMI. O IPCA-15 de junho ficou em 0,02%, segundo o IBGE, com alguma pressão dos alimentos sobre a inflação.

E a ata do Copom reiterou a posição do BC de que a “conjuntura econômica prescreve estímulo monetário extraordinariamente elevado, mas reconhece que o espaço remanescente para a utilização de política monetária é incerto e deve ser pequeno“.

O FMI projeta uma recessão global mais intensa para este ano, equivalente a um recuo de 4,9% no PIB mundial. Para o Brasil, a estimativa do órgão é de -9,1%. Em abril, a projeção era de -5,3%. 

Nos EUA, o número de pedidos de auxílio-desemprego segue elevado e preocupa. Na política, foi notícia o comício do presidente Donald Trump, em Tulsa, Oklahoma, que reuniu menos pessoas do que o esperado. Em um estádio com 19 mil cadeiras, havia cerca de 6 mil ocupadas.

Nesta sexta-feira, a presidente do Banco Central Europeu, Christine Lagarde, afirmou que a zona do euro “provavelmente superou” o pior da crise econômica, mas ressaltou que a recuperação será irregular.

China e Índia chegaram a um acordo para reduzir os conflitos na fronteira com o Himalaia, depois de violentos confrontos das últimas semanas.

Vídeos de uma forte explosão no Irã provocaram tensão nas redes sociais quanto à possibilidade de testes nucleares no país. A explosão, no entanto, parece ter ocorrido em um tanque de gás industrial.

Uma nuvem de gafanhotos oriunda da Argentina gerou apreensão e ganhou espaço na imprensa. Uma frente fria pode impedir que a nuvem chegue ao Brasil.

No pregão desta quinta-feira, o dólar fechou cotado a R$ 5,33, em alta de 0,21%.O Ibovespa subiu 1,7% e encerrou em 95.983 pontos.

Obrigada, bom fim de semana e até o próximo Panorama Semanal.

* Dados atualizados até às 9h do dia 26/6.

Deixe uma resposta