Avanço nas vacinas da Moderna contra Covid-19 e os últimos destaques

BRASIL EM FOCO

Seguindo o desempenho positivo das bolsas no exterior, o Ibovespa recuperou os 100 mil pontos com a ajuda das ações da Vale e Petrobrás também. O principal índice brasileiro teve alta de 1,77% os 100.440,3 pontos. No câmbio, o dólar Ptax avançou 1,5%, sendo cotado, na venda, a R$ 5,4288. No mercado de juros futuros, os contratos de DI com vencimento em janeiro de 2025 recuaram 6 pontos base e eram negociados à taxa de 5,59%.

O aumento de 9,6% da importação chinesa de minério de ferro no primeiro semestre impulsionou as ações da Vale que fecharam em alta de 7,03%, a R$ 61,70, a maior cotação histórica da empresa em termos ajustados. Os papéis da Petrobras também tiveram dia de ganhos com as ações ordinárias subindo 3,46% e as PN avançando 3,34%, em linha com os preços do petróleo. O contrato para setembro do Brent avançou 0,42%, a US$ 42,90 o barril. (Valor)

O Banco Central divulgou que IBC-Br avançou 1,31% em maio ante abril. Na comparação com maio de 2019, o índice de atividade apresentou queda de 14,24%. O IBC-Br é calculado mensalmente e é tido como uma prévia do PIB, que tem frequência trimestral. O resultado de maio veio bem abaixo da mediana das estimativas colhidas pelo Valor Data, de alta de 4,4%.

Ex-ministros da Fazenda e ex-presidentes do Banco Central assinaram uma carta conjunta na qual enfatizam que é preciso convergir a recuperação econômica e a preservação ambiental. O grupo alerta que os custos da degradação do meio ambiente podem ser mais graves que a própria pandemia: “O prejuízo do desmatamento tem levado diversos parceiros comerciais importantes e investidores estrangeiros no Brasil a expressarem veementemente seu descontentamento e preocupação, que certamente se traduzirão em menores fluxos de comércio e investimentos no país”. (Folha)

O Ministério da Economia avalia reforçar em R$ 6 bilhões o Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe), diante do rápido esgotamento de recursos nessa linha de crédito. Mas, a ideia é reformular a divisão de risco, elevando a participação dos bancos privados nas perdas de 15% para 50%, nas operações com pequenas empresas. Hoje o governo cobre 85% e os bancos 15% em todas as operações. Essa divisão seria mantida no caso das micro empresas. Para reforçar e modificar o Pronampe é preciso aprovação do Congresso, ou seja, uma nova medida provisória ou um projeto de lei. (Valor)

O governo federal acabou com o prazo de 90 dias para que um funcionário demitido possa ser recontratado pelo mesmo empregador. Esse exceção vai durar enquanto enquanto estivermos em estado de calamidade, ou até o final de 2020, mas na recontratação devem ser mantidos os mesmos termos do contrato rescindido, ou seja, sem redução de salário, por exemplo. (Poder 360)

Rodrigo Maia afirmou que a Câmara volta a discutir a reforma tributária “com ou sem a participação dos senadores” ainda essa semana. A PEC era analisada em uma comissão mista que foi suspensa desde que os trabalhos no Congresso começaram a ser conduzidos de forma remota. Maia defende a simplificação e unificação de tributos que incidem sobre bens e serviços na criação de um Imposto sobre Valor Agregado (IVA). O presidente da Câmara ainda argumentou que a discussão é “urgente e vai ser base importante da recuperação da confiança no nosso país, da recuperação do ambiente de negócios e do setor privado“. (Correio Braziliense)

Segundo o Painel Coronavírus do Ministério da Saúde, o  Brasil ultrapassou os 74 mil mortos e 1,93 milhão de casos confirmados. Nas últimas 24h foram registrados 1.300 óbitos e 41.857 novos infectados. 

OBSERVATÓRIO INTERNACIONAL

Nos EUA, em um pregão volátil, com o mercado analisando os primeiros resultados de lucros do segundo trimestre de grandes bancos, os índices se firmaram no terreno positivo no fim do dia e o S&P 500 avançou 1,34% aos 3.197,52 pontos.

No geral, os investidores esperam que os lucros corporativos entre as empresas do S&P 500 recuem 45% no segundo trimestre, em relação ao período do ano anterior, de acordo com o FactSet. As empresas financeiras do S&P 500 deverão sofrer um impacto ainda maior – uma queda de aproximadamente 57%. (WSJ)

Joe Biden anunciou um novo plano para gastar US$ 2 trilhões em quatro anos para aumentar significativamente o uso de energia limpa nos setores de transporte, eletricidade e construção. O plano é parte de um conjunto de propostas para combater as mudanças climáticas e criar oportunidades econômicas além de fortalecer infraestrutura. (NYT)

O presidente dos EUA, Donald Trump, assinou legislação que retira o tratamento especial a Hong Kong como uma forma de responsabilizar a China pela lei de segurança nacional que impôs a Região Administrativa Especial. (Reuters)

No Reino Unido, o nível de atividade econômica veio bem abaixo do esperado. O produto interno bruto cresceu 1,8% em maio, em comparação com abril, e a expectativa de mercado era de um crescimento de 5,5%. (WSJ)

Em relação à pandemia, a vacina contra a Covid-19 da Moderna produziu anticorpos para o coronavírus em todos os pacientes testados. Embora o estímulo à produção de anticorpos neutralizantes não prove que uma vacina seja eficaz, ela é considerada um passo inicial importante nos testes. As ações da Moderna subiram 18% nas negociações após o fechamento do mercado, mais que triplicando o valor da empresa até agora, neste ano. (Bloomberg)

No mundo, o número de casos de Covid-19 ultrapassou os 13,32 milhões, com mais 579 mil óbitos. (Johns Hopkins)

Nesta manhã, as bolsas asiáticas fecharam sem direção definida, com Japão em alta, China no vermelho e Hong Kong próximo à estabilidade. Na Europa, os índices operam em alta, assim como os futuros nos EUA. O petróleo sobe mais de 1%.

RESUMO DOS MERCADOS

Dia Semana Mês Ano
DI Jan 2025 5,59% -6 bps 2 bps -9 bps -86 bps
Dólar PTAX (R$) 5,4288 1,50% 1,59% -0,86% 34,69%
Ibovespa (pts) 100.440,30 1,77% 0,41% 5,66% -13,15%
S&P 500 (pts) 3.197,52 1,34% 0,39% 3,14% -1,03%
As informações contidas neste material têm caráter meramente informativo, não constitui e nem deve ser interpretado como solicitação de compra ou venda, oferta ou recomendação de qualquer ativo financeiro, investimento, sugestão de alocação ou adoção de estratégias por parte dos destinatários. Este material é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da Órama Investimentos, incluindo agentes autônomos e clientes, podendo também ser  divulgado no site e/ou em outros meios de comunicação da Órama. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da Órama.

Deixe uma resposta