Manutenção do veto ao reajuste de servidores públicos e os destaques da semana

Panorama Semanal de 17 a 21 de agosto*

A disputa envolvendo o veto de Bolsonaro ao reajuste de servidores públicos no Congresso e a prorrogação do ajuste emergencial até dezembro foram os destaques da semana, período que também registrou, pela primeira vez, o controle na transmissão do coronavírus no Brasil.

Após uma derrota no Senado, o governo recebeu apoio na Câmara dos Deputados, em acordo costurado pelo presidente da Casa, Rodrigo Maia, garantindo a manutenção do veto do presidente Jair Bolsonaro ao reajuste dos servidores até o fim de 2021. Caso o veto fosse derrubado, a medida resultaria em elevação de gastos públicos.

O governo planeja prorrogar o auxílio emergencial até o fim deste ano, mas com parcelas menores, que devem girar em torno de R$ 250. O Programa de Preservação de Renda e do Emprego também deve ser prorrogado, permitindo por mais tempo a suspensão de contratos e a redução de jornada e salário.

No início da semana, boatos a respeito da saída do ministro da Economia, Paulo Guedes, agitaram o mercado. Bolsonaro reafirmou sua confiança no ministro, que também reiterou publicamente sua permanência.

O subsecretário de Política Macroeconômica, Vladimir Kuhl Teles, pediu demissão. Foram alegados “motivos pessoais”.

A arrecadação de impostos ficou em R$ 115,9 bilhões em julho, segundo dados da Receita – uma queda de 17,6% em relação ao mesmo mês do ano passado.

No exterior, destaque para a ata do Fed (Federal Reserve, o banco central americano), que reforça incertezas sobre novas ondas do coronavírus e a questão fiscal nos EUA, além de preocupações acerca do crescimento global.

O Departamento de Comércio dos EUA instaurou novas regras que restringem o acesso da Huawei a chips. Sobre a TikTok, o presidente americano, Donald Trump, mostrou-se satisfeito com o interesse da Oracle, que entraria na disputa com Microsoft e Twitter. Tudo isso são episódios que alimentam as tensões comerciais e diplomáticas com a China.

A candidatura de Joe Biden à Presidência dos Estados Unidos foi formalizada pelos democratas.  

Na Alemanha, foi registrado o maior número de novos casos de Covid-19 em quatro meses.|

No pregão desta quinta-feira, o Ibovespa registrou alta de 0,61%, a 101.467 pontos. O dólar comercial subiu 0,42%, cotado a R$ 5,554. O BC atuou no mercado para segurar a cotação.

Obrigada, bom fim de semana e até o próximo Panorama Semanal.

*Dados atualizados até o dia 21/8, às 9h.

Deixe uma resposta