IBGE indica crescimento no volume de serviços e os últimos destaques

RESUMO DOS MERCADOS

   Cotação  Dia Semana Mês Ano
Ibovespa (pts)98.363,20-0,48%-2,84%-1,01%-14,95%
Dólar PTAX (R$)5,2854-0,15%0,01%-3,40%31,13%
DI Jan 2025 (bps)5,98%2287-47
S&P 500 (pts)3.340,970,05%-2,51%-4,55%3,41%

BRASIL EM FOCO
DESTAQUES: em um sessão com bastante volatilidade, o principal índice da B3 registrou novas perdas, acumulando 2,84% de queda na semana. O resultado só não foi pior, pois a Vale teve alta de 6,05% após anúncio de proventos e CSN subiu 3,77% com alta de preços do aço.

SETOR DE SERVIÇOS: em julho de 2020, o volume de serviços no Brasil cresceu 2,6% em relação a junho, na série com ajuste sazonal. No acumulado do ano, o volume de serviços caiu 8,9% frente a igual período de 2019. (IBGE)

DÍVIDAS TRIBUTÁRIAS DE IGREJAS: o presidente Jair Bolsonaro vetou trechos da lei que perdoa dívidas tributárias de igrejas. A Secretaria-Geral da Presidência disse, em nota enviada à imprensa no domingo (13), que o presidente é favorável à não tributação, mas sancionar a lei poderia implicá-lo em crime de responsabilidade. No Twitter e em outras redes sociais, Bolsonaro comentou :” [..] fui obrigado a vetar dispositivo que isentava as Igrejas da contribuição sobre o Lucro Líquido, tudo para que eu evite um quase certo processo de impeachment. Confesso, caso fosse Deputado ou Senador, por ocasião da análise do veto que deve ocorrer até outubro, votaria pela derrubada do mesmo.” (Poder 360)

VETO PRESIDENCIAL: um outro veto que deve ser apreciado pelo Congresso é relativo o à prorrogação da desoneração da folha de pagamento de 17 setores até 2021. O líder do governo no Congresso, senador Eduardo Gomes (MDB-TO), voltou a defender que Executivo e Legislativo cheguem a um acordo. No início da semana passada, a ideia de que a derrubada desse veto poderia ter como contrapartida a aprovação das reformas foi veiculada, mas o desencontro de informações indica que não há consenso sobre o tema. (Valor)

TETO DOS GASTOS:  em um texto de opinião publicado na FolhaRodrigo Maia defendeu o teto dos gastos, apontou suas limitações, atacou os “fura teto” e apontou medidas que podem melhorar a situação fiscal do Brasil. Têm surgido propostas para contornar o teto que, a título de resolver a tensão criada pelo mecanismo, podem acabar por inutilizá-lo, em um momento em que estamos no limiar da sustentabilidade da dívida pública. Perder o controle fiscal pode jogar o País em mais uma década perdida“. Maia apontou que os efeitos mais evidentes das reforma das previdência para o Orçamento serão sentidos a partir de 2023. Até lá, propôs mudanças pontuais e temporárias para abrir espaço no teto dos gastos como a redução temporária do salário dos servidores conjuntamente com a redução da jornada de trabalho.

CORONAVÍRUS NO BRASIL: o país ultrapassou os 4,33 milhões de casos confirmados e 131,6 mil óbitos em decorrência da Covid-19. (Ministério da Saúde)


OBSERVATÓRIO INTERNACIONAL 
DESTAQUES EXTERNOS: as bolsas em Nova York fecharam a semana sem direção única. A pressão de venda de ações do setor de tecnologia continuou, mas outros setores como indústria, materiais e financeiro ajudaram a atenuar as perdas.

TIKTOK: a Oracle venceu a disputa pelas operações americanas do aplicativo TikTok, derrotando a Microsoft. A Oracle deve ser anunciada como “parceira de tecnologia confiável” da TikTok nos Estados Unidos, e o negócio provavelmente não será estruturado como uma venda direta. (WSJ)

VACINA  COVID-19: a retomada dos testes clínicos da farmacêutica britânica AstraZeneca para sua vacina contra a COVID-19 vem impulsionando as ações da empresa na bolsa de  Londres. O CEO da Pfizer, Albert Bourla, disse que é “provável” que os EUA tenham uma vacina ao público antes do final do ano, acrescentando que ele está “bastante confortável” com o fato de que a vacina que sua empresa está desenvolvendo com BioNTech é segura. (Reuters / Bloomberg)

PACOTE DE ESTÍMULOS: nos EUA: na semana passada não houve progresso nas negociações do pacote de estímulos. O líder da maioria no Senado Mitch McConnell afirmou que “Gostaria de poder dizer que vamos ter outro pacote, mas não parece que irá andar dessa forma no momento”. Já a presidente da Câmara Nancy Pelosi afirmou: “Eu sou otimista. Acho que devemos ter um acordo. Isso é o que todos nós queremos ”.  (Bloomberg)

CORONAVÍRUS: Nos EUA os infectados ultrapassaram os 6,52 milhões e as mortes chegaram a 194 mil. No mundo, o número de casos confirmados é de 29 milhões e os óbitos somam 924 mil. (Johns Hopkins)

HOJE: na Ásia, os mercados fecharam em território positivo. Os índices na Europa operam mistos entre leves perdas e ganhos. Os futuros de Wall Street apontam para uma abertura em alta. Hoje à noite saem os dados da produção industrial da China.

As informações contidas neste material têm caráter meramente informativo, não constitui e nem deve ser interpretado como solicitação de compra ou venda, oferta ou recomendação de qualquer ativo financeiro, investimento, sugestão de alocação ou adoção de estratégias por parte dos destinatários. Este material é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da Órama Investimentos, incluindo agentes autônomos e clientes, podendo também ser  divulgado no site e/ou em outros meios de comunicação da Órama. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da Órama.

Deixe uma resposta