divulgação do Relatório Trimestral de Inflação e os últimos destaques

RESUMO DOS MERCADOS

Cotação  Dia Semana Mês Ano
Ibovespa (pts)97.012,101,33%-1,30%-2,37%-16,11%
Dólar PTAX (R$)5,57140,73%5,34%1,83%38,23%
DI Jan 2025 (bps)6,19%-29-1628-26
S&P 500 (pts)3.246,590,30%-2,20%-7,25%0,49%

BRASIL EM FOCO
 DESTAQUES: o mercado brasileiro ontem teve forte impacto das sinalizações positivas vindas do Banco Central e Tesouro Nacional quanto ao controle da inflação e à necessidade de refinanciamento da dívida do governo. As principais altas foram de IRBR3 (+12.38%), B3SA3 (+5.51%), QUAL3 (+4.96%) e PRIO3 (+4.73%).


INFLAÇÃO: o presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, na coletiva de divulgação do Relatório Trimestral de Inflação tranquilizou o mercado ao afirmar que considera absolutamente tranquilo o cenário de inflação e avalia que as pressões recentes sobre os preços são temporárias e até o fim deste ano. O quadro favorável à manutenção dos juros baixos é confirmado por um conjunto de projeções de inflação que mostra uma trajetória de preços abaixo ou próxima da meta até 2023. No documento, o BC ainda revisou a sua projeção para a queda do Produto Interno Bruto (PIB) deste ano, de 6,4% para 5%. (BCB / Valor)

REFORMA TRIBUTÁRIA: para dar andamento à reforma tributária, que está na Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, um forte opositor a um novo imposto nos moldes da antiga CPMF, considera abrir espaço para a negociação dessa medida anexando-a à própria PEC 45. (Valor)

LIVE DO BOLSONARO: na live de ontem, o Presidente contou com a presença do Ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, em meio às críticas sobre a condução da política ambiental da pasta em relação às queimadas na Amazônia e no Pantanal. O ministro afirmou que a “perseguição aos pecuaristas” no Mato Grosso tem relação com o aumento do fogo no Pantanal. Já Bolsonaro afirmou que a esquerda  “se aproveita” dos incêndios para criticar o governo. (Poder 360)

CORONAVÍRUS NO BRASIL: o país ultrapassou os 4,65 milhões de casos confirmados e 139,8 mil óbitos em decorrência da Covid-19. (Ministério da Saúde)


OBSERVATÓRIO INTERNACIONAL 
 DESTAQUES EXTERNOS: as incertezas quanto à aprovação do pacote de estímulos nos EUA elevaram mais uma vez a volatilidade dos índices de ações.

PACOTES DE ESTÍMULOS:  Os democratas da Câmara começaram a redigir um novo projeto de estímulo que incluía cerca de US$ 2,4 trilhões de gastos. A proposta poderia ser votada na Câmara na próxima semana, mas dificilmente terá o apoio do Senado, que desde agosto não conseguiu aprovar uma ajuda de US$ 1 tril. Colocando mais pressão sobre o Congresso, em depoimento ao Senado dos EUA, o presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, disse que o fracasso em aprovar novos estímulos à economia aumenta as preocupações sobre uma retomada mais lenta do crescimento econômico. (Bloomberg)

SEGURO-DESEMPREGO: os EUA tiveram 870 mil novos pedidos por seguro-desemprego na semana passada. A expectativa era de 860 mil requisições indicando que a recuperação da economia continua lenta. (WSJ)

ELEIÇÕES EUA: o líder da maioria no Senado, Mitch McConnell, disse no Twitter que o vencedor da eleição de 3 de novembro tomará posse normalmente em 20 de janeiro e que a transição será ordenada, assim como tem acontecido a cada quatro anos desde 1792. Seus comentários, assim como de outros congressistas, buscam reafirmar o compromisso com o processo democrático em resposta à recusa do presidente Donald Trump em se comprometer com uma transição pacífica. 

CORONAVÍRUS: Nos EUA os infectados ultrapassaram os 6,97 milhões e as mortes chegaram a 202,8 mil. No mundo, o número de casos confirmados é de 32,2 milhões e os óbitos somam 983 mil. (Johns Hopkins)

HOJE: na Ásia, os mercados fecharam sem direção definida. Os índices na Europa operam em queda de mais de 1% com o avanço dos casos de Covid-19 no radar. Os futuros de Wall Street também apontam para uma abertura negativa. Hoje saem os dados dos pedidos de bens duráveis dos EUA para agosto.

Deixe uma resposta