projeto de lei retira o monopólio postal dos Correios e os últimos destaques

RESUMO DOS MERCADOS

   Cotação  Dia Semana Mês Ano
Ibovespa (pts)99.334,400,84%1,90%5,00%-14,11%
Dólar PTAX (R$)5,5675-0,33%0,51%-1,30%38,13%
DI Jan 2025 (bps)6,43%1-141-2
S&P 500 (pts)3.488,67-0,66%0,33%3,74%7,98%

BRASIL EM FOCO

DESTAQUES: na contramão do mercado internacional, um clima mais tranquilo em Brasília corroborou para a alta do índice no Brasil. A maior valorização foi das ações ON da JBS que subiram 9,20%.

PRIVATIZAÇÃO DOS CORREIOS: O ministro das Comunicações, Fábio Faria, entregou ao presidente Jair Bolsonaro o projeto de lei que retira o monopólio postal dos Correios. O texto, que teve origem no Ministério da Economia, passará agora pela Subchefia de Assuntos Jurídicos (SAJ) e pela Casa Civil antes de ser enviado ao Congresso. Esse é o primeiro passo para a privatização da estatal. O objetivo do governo é que o projeto seja votado no Congresso até o final de 2021. Também deve ser criada a Agência Nacional de Comunicações (Anacom), que acumularia as competências da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e a regulação sobre os serviços do Sistema Nacional de Serviços Postais. (Valor)

RENDA CIDADÂ; para caber no Orçamento, as discussões sobre o Renda Cidadã estão cogitando diminuir a expansão anunciada em relação ao Bolsa Família. O programa dos governos PT atinge  cerca de 14 milhões de famílias, o número inicial de Bolsonaro era um acréscimo de 6 milhões. Agora, já gira em torno dos 3 milhões de novos contemplados. O objetivo é elevar o valor médio dos atuais R$ 190 do Bolsa Família para R$ 240 o que demandaria R$ 17,5 bilhões acima do orçamento atual. ( Folha

DECISÃO NO STF: A maioria dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) votou pela manutenção da ordem de prisão do traficante André Oliveira Macedo, conhecido como André do Rap líder do PCC. (Folha)

POPULARIDADE DO GOVERNO: a última pesquisa PoderData, divulgada nesta quarta-feira (14), mostra que o governo do presidente Jair Bolsonaro é aprovado por 52% dos brasileiros. Outros 41% desaprovam, e 7% não souberam ou não responderam. (Poder 360)

CORONAVÍRUS NO BRASIL: o país ultrapassou os 5,14 milhões de casos confirmados e 151,7 mil óbitos em decorrência da Covid-19. (Ministério da Saúde)


OBSERVATÓRIO INTERNACIONAL 

DESTAQUES EXTERNOS: o impasse sobre o pacote de estímulos em Washington continua e as ações em Wall Street registraram um dia de queda. Os resultados corporativos mistos e novas medidas de restrição sendo impostas na Europa para conter o avanço de Covid-19 adicionaram incertezas ao cenário.

PACOTE DE ESTÍMULOS: a presidente da Câmara, Nancy Pelosi, e o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, ainda não chegaram a uma acordo. Um dos pontos de divergência agora, para além do tamanho do pacote, inclui também medidas de políticas públicas, como a estratégia de testes para a Covid-19. Os dois devem se falar novamente hoje. A proposta de US$ 1,88 trilhão da Casa Branca, apresentada no fim de semana, gerou alguns apelos dos democratas para que a oferta seja aceita. Mas Pelosi insiste nos US$ 2,2 tri. Mnuchin, por sua vez, disse ontem à Conferência Global do Milken Institute que chegar a um acordo em relação ao pacote de estímulos antes da eleição “seria difícil”.  (WSJ)

BREXIT: os líderes da União Europeia estão reunidos em Bruxelas hoje e devem pressionar a Grã-Bretanha por concessões em relação às negociações do Brexit. Os pontos de maior controvérsia dizem respeito aos direitos de pesca, competição justa e solução de disputas. (Reuters)

NOVAS RESTRIÇÕES: o presidente da França, Emmanuel Macron, anunciou que Paris e outras cidades francesas terão toque de recolher para conter o ressurgimento nos casos de Covid-19 no país. A medida passa a valer no sábado e ficará em vigor por quatro semanas. No Reino Unido, os londrinos serão proibidos de confraternizar com outras famílias em ambientes fechados a partir deste fim de semana. A Alemanha e Itália relatam números recordes de novas infecções. (Bloomberg)

CORONAVÍRUS: o número de mortos pela doença no mundo ultrapassou os 1,98 milhão e os casos confirmados somam 38,5 milhõesNos EUA os infectados são 7,9 milhões e os óbitos chegaram a 216,9 mil.  (Johns Hopkins)

HOJE: na Ásia os mercados fecharam em queda. Os índices na Europa operam caindo fortemente, mais de 2%, com novas medidas de restrição sendo adotadas em diversos países. Os futuros de Wall Street também apontam para uma abertura negativa, com a dificuldade de aprovação de um pacote de estímulos antes das eleições. Hoje saem dados de novos pedidos de seguro-desemprego nos EUA e o IBC-Br no Brasil. 

Deixe uma resposta