FED e Tesouro americano discordam sobre programa de empréstimos de emergência e os últimos destaques

Segunda-feira, 23 de novembro de 2020

RESUMO DOS MERCADOS

Cotação DiaSemanaMêsAno
Ibovespa (pts)      106.042,50-0,59%1,26%12,87%-8,31%
Dólar PTAX (R$)               5,35050,33%-2,46%-7,30%32,75%
DI Jan 2025 (bps)   6,96%16282251
S&P 500 (pts)           3.557,54-0,68%-0,77%8,79%10,12%

BRASIL EM FOCO

DESTAQUES

Apesar da queda na sexta-feira, em decorrência do receio quanto à situação fiscal e ao avanço da Covid-19, o índice da bolsa brasileira encerrou a terceira semana consecutiva de alta subindo 1,26%. Nos últimos cinco pregões, as maiores altas foram de PetroRio ON (27,1%), seguida por Azul PN (19,41%), Gol PN (13,1%), CVC ON (10,9%) e Vale ON (8,2%). No mês, o Ibovespa já acumula quase 13% de ganho. 

CENTRÃO

O deputado federal Arthur Lira (PP-AL) foi o convidado principal para jantar na casa do empresário Flávio Rocha, dono da varejista Riachuelo, onde se encontrou com representantes do comércio, agronegócio e da indústria para debater cenários político e econômico. Antes do jantar, Lira havia estado no BTG Pactual, na Faria Lima. O principal nome do Centrão para presidir a Câmara deu apenas a garantia de que o governo irá votar a PEC Emergencial até o fim do ano. ( Valor)

APAGÃO NO AMAPÁ

O fornecimento de energia no Amapá ainda não foi totalmente reestabelecido. O estado, desde 3 de novembro, vem enfrentando essa situação quando um incêndio no transformador de uma subestação de energia deixou 14 das 16 cidades do Estado sem luz. O Amapá já estava em estado de emergência, mas no sábado, o Ministério do Desenvolvimento Regional publicou portaria em que reconhece o estado de calamidade pública. Na prática, não há diferença entre estado de emergência ou calamidade. Contudo, o estado de calamidade dá mais segurança jurídica e permite ao governo federal antecipar pagamentos de aposentadorias e benefícios assistenciais como BPC (Benefício de Prestação Continuada) e Bolsa Família. (Poder 360)

SITUAÇÃO FISCAL

O ministro da Economia, Paulo Guedes, reafirmou o compromisso do Brasil com as recomendações do FMI sobre suporte à recuperação econômica. Guedes disse que “prorrogamos duas vezes auxílio emergencial. Renovamos a primeira vez em R$ 600. Depois renovamos novamente até o fim do ano mas desta vez em R$ 300. Nós já estamos praticando o que eles estão falando. Temos praticado a retirada gradual ”. O ministro ainda reforçou que o plano do governo é voltar ao padrão fiscal com limitação de despesas e respeito ao teto dos gastos. Os novos estímulos serão via marcos regulatórios para atração do capital privado. (Valor)

VACINA

A vacina contra o coronavírus  produzida por uma parceria entre a Universidade de Oxford (Reino Unido) e a farmacêutica AstraZeneca apresenta eficácia de até 90%, anunciou o laboratório nesta segunda-feira (23) com base em resultados preliminares de testes de fase 3. (Folha)

CORONAVÍRUS NO BRASIL

O país ultrapassou os 6 milhões de casos confirmados e 169 mil óbitos em decorrência da Covid-19. (Ministério da Saúde )


OBSERVATÓRIO INTERNACIONAL 

DESTAQUES EXTERNOS

O avanço de novos casos de Covid-19 nos EUA, as perspectivas reduzidas de estímulo fiscal e a decisão do secretário do Tesouro dos Estados Unidos, Steven Mnuchin, de não estender programas de empréstimos de emergência estabelecidos junto ao Federal Reserve (Fed), elevaram a cautela no pregão de sexta-feira. Na semana, o S&P 500 fechou em queda de 0,77%, mas no mês acumula alta de 8,79%.

ESTÍMULOS ECONÔMICOS

Os dois principais formuladores de política econômica dos EUA, Jerome Powell e Steven Mnuchin, entraram em confronto sobre a possibilidade de preservar os programas de empréstimos de emergência de apoio à economia. A discordância entre o Fed e o Tesouro é rara e surgiu na noite de quinta-feira, quando o secretário do Tesouro divulgou uma carta ao presidente do Federal Reserve exigindo a devolução do dinheiro que o governo fornece ao banco central para que possa emprestar a certos mercados em tempos de estresse. Minutos depois, o Fed emitiu um comunicado instando que “todo o conjunto” de medidas fosse mantido até 2021. (Bloomberg)


VACINA

O Dr. Moncef Slaoui, alto funcionário do esforço governamental de desenvolvimento de vacina, disse que a Food and Drug Administration (FDA) dos EUA provavelmente concederá aprovação em meados de dezembro para a distribuição da vacina produzida pela Pfizer e pela parceira alemã BioNTech, lançando a maior campanha de inoculação da história dos EUA. A Moderna deve buscar aprovação separada no final de dezembro para sua vacina. Assim que aprovada, a já será iniciada a vacinação de profissionais da saúde e de indivíduos do grupo de risco em dezembro mesmo. (Reuters)

TRANSIÇÃO DE PODER

O presidente Donald Trump está enfrentando uma pressão crescente de republicanos para iniciar uma transição para o presidente eleito Joe Biden, ou mesmo admitir a derrota, já que as contestações legais de Trump não conseguiram ganhar força. (Bloomberg)

G-20

Os líderes das principais economias do mundo, reunidos na cúpula do G-20 no domingo, recomendaram esforços vigorosos para combater o coronavírus e reviver a economia global após de dois dias de reuniões virtuais. (WSJ)

CORONAVÍRUS

Nos EUA, o número de internações é registrou recorde pelo 13º dia consecutivo. Como um todo, o número total de infecções chegou a 12,2 milhões e os óbitos a 256 mil. No mundo, os casos ultrapassam 55 milhões e 1,38 milhão de mortes. (Johns Hopkins / Financial Times)

HOJE

Na Ásia, os mercados fecharam em alta e sem pregão no Japão em função do feriado. Os índices na Europa, nesta manhã, operam em alta, assim como os futuros nos EUA. O petróleo sobe em torno de 1%. Hoje saem os dados preliminares do PMI de novembro para os países europeus e para os EUA. Os EUA celebram o dia de Ação de Graças na quinta-feira e a semana fecha com a Black Friday.

Deixe uma resposta