Governo antecipa término da isenção de IOF para crédito e os últimos destaques

Quinta-feira, 26 de novembro de 2020

RESUMO DOS MERCADOS

Cotação DiaSemanaMêsAno
Ibovespa (pts) 110.132,500,32%3,86%17,22%-4,77%
Dólar PTAX (R$)    5,3508-0,98%0,01%-7,29%32,76%
DI Jan 2025 (bps)    6,94%-7-22049
S&P 500 (pts)    3.629,65-0,16%2,03%11,00%12,35%

BRASIL EM FOCO

DESTAQUES

O Ibovespa fechou acima dos 110 mil pontos e já acumula 17,22% de alta em novembro. A entrada do investidor estrangeiro nas ações ligadas a commodities e também do setor financeiro ajudam a explicar o desempenho positivo no mês como um todo.

PRESIDÊNCIA DAS CASAS

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), decidiu levar ao plenário virtual da corte a ação do PTB (Partido Trabalhista Brasileiro) que visa discutir a possibilidade de reeleição de Rodrigo Maia para a presidência da Câmara dos Deputados e de Davi Alcolumbre para o comando do Senado. O caso deve ser julgado no dia 4 de dezembro.(Folha)

PEC DO PACTO FEDERATIVO

A ideia do governo é colocar o texto da PEC do Pacto Federativo para ser votada diretamente no plenário das casas. A dificuldade desse movimento deriva da necessidade de unanimidade entre os líderes para que fosse dispensada a tramitação nas Comissões, em especial, na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). A oposição vem se manifestando nos bastidores, se o governo não cumprir os trâmites legais, o STF pode ser acionado. A alternativa seria chegar a um acordo sobre o texto ou a CCJ ser autorizada a analisar o tema, o que também pode levar a atrasos na votação. ( Valor)

AVALIAÇÃO DO GOVERNO

A pesquisa PoderData desta quarta-feira (25) revela uma inversão das das curvas de aprovação e desaprovação do governo. No levantamento feito entre 23 a 25.de novembro, a desaprovação ao governo federal subiu de 43% para 48%  enquanto a aprovação do governo oscilou de 45% para 42% em 15 dias – dentro da margem de erro. Os que acham a administração regular são 10% dos entrevistados. Na avaliação do trabalho do presidente, 40% dizem que o desempenho de Bolsonaro é ruim ou péssimo. Outros 36% respondem que é bom ou ótimo. Os percentuais são idênticos aos de 15 dias atrás. Houve variação no grupo que escolhe “regular” como resposta: de 21% para 19%. Os que dizem não saber avaliar são 6%. (Poder 360)

LEI DE FALÊNCIAS

O Plenário do Senado aprovou em votação simbólica o projeto de Lei de Falências, que amplia o financiamento a empresas em recuperação judicial, permite o parcelamento e o desconto para pagamento de dívidas tributárias e possibilita aos credores apresentar plano de recuperação da empresa, entre outras medidas.  (Agência Senado)

RETORNO DO IOF

O governo federal decidiu antecipar do fim do ano para hoje o término da isenção de IOF em operações de crédito, para compensar o gasto com a gratuidade temporária de tarifa de energia para moradores do Amapá que foram afetados pelo apagão. O IOF foi zerado para estimular a economia durante a pandemia. (Valor)

CORONAVÍRUS NO BRASIL

47 mil novos casos de covid-19 foram registrados ontem e o país já ultrapassou 6,16 milhões de casos confirmados. As mortes diárias estão em 654 e o Brasil acumula 170,7 mil óbitos em decorrência do coronavírus. (Ministério da Saúde)


OBSERVATÓRIO INTERNACIONAL 

DESTAQUES EXTERNOS

Às vésperas do feriado nos EUA, os índices acionários de Wall Street deram uma pausa no rali e fecharam sem direção definida.

DADOS ECONÔMICOS

O PIB preliminar do 3º trimestre dos EUA veio em linha com a expectativa do mercado de expansão de 33,1% na taxa anualizada. O número de pedidos de seguro desemprego, por sua vez, foi pior que o esperado, com 778 mil pessoas solicitando o benefício na semana passada, sugerindo que a explosão de novas infecções por Covid-19 e imposição de restrições  estão impulsionando as demissões e dificultando a recuperação do mercado de trabalho  (Investing)

QUESTIONAMENTO DOS RESULTADOS

Um grupo de apoiadores do Donald Trump, que doaram recursos para que o presidente dos EUA levantasse seus questionamentos sobre as eleições americanas, estão insatisfeitos e movendo processos contra a campanha de Trump por ter falhado em apresentar provas contundentes de fraude na eleição de 3 de novembro. (Bloomberg)

SUPREMA CORTE

A Suprema Corte dos EUA, por 5 a 4, ficou do lado das casas de culto cristãs e judaicas, que alegavam que a limitação de pessoas em cerimônias religiosas, estabelecida pelo governador em função do surto de covid-19, violaria a 1ª Emenda da Constituição americana que versa sobre liberdade religiosa. A decisão marcou a atuação no tribunal da nova nomeada do presidente Donald Trump, a juíza conservadora Amy Coney Barrett. (Reuters)

CORONAVÍRUS

O mundo bateu, na terça-feira (24), o recorde de mortes por Covid-19 registrados 12.785 óbitos em um único dia. Nos EUA, número total de infecções chegou a 12,7 milhões e os óbitos a 262 mil. No mundo, os casos ultrapassam os 60 milhões e 1,42 milhão de mortes. (Johns Hopkins / Financial Times)

MERCADOS HOJE

Na Ásia, os mercados fecharam sem direção definida. Os índices na Europa, nesta manhã, operam sem um catalisador. Os futuros americanos apontam para uma abertura positiva. Hoje é feriado nos EUA e saem dados do Caged no Brasil.

Deixe uma resposta