Casa Verde e Amarela e BR do Mar devem ser votadas na Câmara esta semana e os últimos destaques

Terça-feira, 01 de dezembro de 2020

RESUMO DOS MERCADOS

Cotação DiaSemanaMêsAno
Ibovespa (pts)108.893,30-1,52%-1,52%15,90%-5,84%
Dólar PTAX (R$)5,3317-0,33%-0,33%-7,63%32,28%
DI Jan 2025 (bps)6,78%88433
S&P 500 (pts)3.621,63-0,46%-0,46%10,75%12,10%

BRASIL EM FOCO

DESTAQUES

Último dia de novembro se encerrou com uma realização, insuficiente, porém, para afetar a forte alta acumulada de 15,90% no mês, o melhor desempenho mensal para o Ibovespa, desde março de 2016. A vitória de Biden e as boas notícias sobre o desenvolvimento das vacinas animaram os investidores, que retomaram o apetite ao risco, migrando em especial para países emergentes. O fluxo de capital estrangeiro foi importante para a sustentação dos ganhos, mas a incerteza fiscal continua no radar. 

ATIVIDADE NO CONGRESSO

Com o fim das eleições municipais, duas propostas do Executivo têm previsão de votação nesta semana na Câmara: a Casa Verde e Amarela e a BR do Mar. O primeiro projeto é o programa habitacional lançado em agosto pelo ministro Rogério Marinho, do Desenvolvimento Regional e o segundo é o marco da navegação de cabotagem defendido pelo Ministério da Infraestrutura, de Tarcísio de Freitas. Na reta final do calendário legislativo, as reformas de Paulo Guedes continuam sem data para deliberação. 

Na visão do ministro da Economia, Maia quer avançar com a tramitação da reforma tributária, o que não é aceito por Lira. Ao mesmo tempo, Lira teria interesse em tocar as pautas prioritárias do governo para mostrar capacidade política de comandar a Câmara, mas Maia estaria segurando a pauta. Para auxiliares de Guedes, a conta pela paralisia nas votações acaba caindo sobre as costas do ministro, que é o autor das medidas, sem desgaste para o Congresso ou para a ala de articulação do Palácio do Planalto. (Folha)

ELEIÇÕES DAS CASAS

Está marcada para o dia 08, a apreciação no STF sobre a possibilidade de reeleição de Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre para as presidências da Câmara e do Senado. Maia já se manifestou que “o julgamento do Supremo não sou eu quem decido, é o Supremo. Não trabalho por hipótese. Não sou candidato à reeleição porque a Constituição não permite”. A orientação do presidente Jair Bolsonaro é seguir trabalhando pela candidatura de Arthur Lira (PP-AL), deputado do centrão que se tornou um antagonista de Maia na Casa. Arthur Lira tem tentado manter, ao menos, a aparência de não ser o candidato do presidente, uma vez que sem os votos da oposição dificilmente conseguirá a cadeira hoje ocupada por Maia. No Senado, o governo, no entanto, vê com simpatia a recondução de Davi Alcolumbre (DEM-AP), que é visto dentro do Palácio do Planalto como um aliado.

CORONAVÍRUS NO BRASIL

Passadas as eleições municipais, várias cidades estão rediscutindo novas medidas de restrição para o enfrentamento da Covid-19. A cidade de São Paulo vai regredir para a fase amarela do Plano São Paulo, assim como as outras regiões do estado que já estavam na fase verde. Foram 21 mil, os novos casos de covid-19 registrados ontem e o país já ultrapassou 6,3 milhões de casos confirmados. As mortes diárias estão em 287 e o Brasil acumula 173 mil óbitos em decorrência do coronavírus. A média móvel de 7 dias de óbitos está em 521 e de infecções em 34,7 mil. (Ministério da Saúde / Financial Times)


OBSERVATÓRIO INTERNACIONAL 

DESTAQUES EXTERNOS

A alta das bolsas no mês foi expressiva nos EUA e em todo o mundo. Os os três principais índices de Wall Street registraram ganhos de dois dígitos e recordes de fechamento. A redução da incerteza política nos EUA e as vacinas com boa eficácia nos testes foram os principais catalisadores para o bom desempenho do mercado acionário global. O índice MSCI All Country World Index, que contempla ações de 23 países desenvolvidos e 26 emergentes, encerrou novembro com alta acumulada de 13,46%, no melhor mês de sua história.

DESEMPENHO GLOBAL

As ações da Europa, que vinham registrando desempenho inferior às americanas nos últimos anos, tiveram um mês de novembro também excepcional. O Stoxx 600 subiu 13,73%, maior ganho já registrado desde o início da série histórica, em 1986. Em Londres, o FTSE 100 anotou ganhos de 12,28% — os maiores desde janeiro de 1989. Em Frankfurt, a alta foi de 15,01%, melhor mês desde abril de 2009. E em Paris, o CAC 40 fechou o período em alta de 20,12%, em sua melhor performance mensal desde fevereiro de 1988. Na Ásia, o índice amplo do MSCI de ações asiáticas sem ativos japoneses teve alta de quase 10% no mês. O Nikkei 225, índice da bolsa do Japão, avançou 15,04% em novembro, maior ganho desde 1994. (Valor)

EQUIPE DO BIDEN

O presidente eleito Joe Biden começou a nomear membros de seu gabinete e da Casa Branca, com o compromisso de construir uma administração que reflita a diversidade da nação. Os cargos do Gabinete exigem a aprovação do Senado, enquanto a equipe administrativa da Casa Branca é nomeada diretamente pelo presidente eleito. Confira a lista dos nomes já anunciados aqui

VACINA

A Pfizer e a BioNTech buscaram autorização regulatória para sua vacina na União Européia, preparando o caminho para uma possível aprovação lá antes do final do ano. A Agência Europeia de Medicamentos disse que poderia emitir um parecer dentro de semanas, com uma reunião sobre a avaliação marcada para 29 de dezembro no máximo. (Bloomberg

CORONAVÍRUS

Na União Europeia, a média móvel de 7 dias para as infecções vem se reduzindo, assim como nos EUA, mas ambos continuam acima de 100 mil casos. Nos EUA, o total de infecções chegou a 13,5 milhões e os óbitos a 268 mil. No mundo, os casos ultrapassam 63 milhões e 1,47 milhão de mortes. (Johns Hopkins / Financial Times)

MERCADOS HOJE

Na Ásia, os mercados fecharam em alta, com os índices em torno de 1%. Os índices na Europa também operam no positivo, assim como os futuros americanos apontam para um dia de ganhos. Hoje, saem o PMI industrial da Alemanha, EUA, UK e Brasil.

Deixe uma resposta