IPCA sobe 1,06% em dezembro, acumulado em 12 meses fica em 4,23% e os últimos destaques

Quarta-feira, 23 de dezembro de 2020

RESUMO DOS MERCADOS

Cotação DiaSemanaMêsAno
Ibovespa (pts)116.636,200,70%-1,18%7,11%0,86%
Dólar PTAX (R$)5,1473-0,19%0,96%-3,46%27,71%
DI Jan 2025 (bps)5,86%-8-5-76-59
S&P 500 (pts)3.687,26-0,21%-0,60%1,81%14,13%

BRASIL EM FOCO 

DESTAQUES

A bolsa no Brasil se descolou do exterior e terminou o dia em alta, apesar da volatilidade presente e da liquidez reduzida. Riscos fiscais e preocupações com a pandemia continuam no radar dos investidores. Petróleo, frigoríficos, papel e celulose foram os destaques entre as maiores altas do Ibovespa, com PRIO3 subindo 5,44%, SUZB3 4,45%, BEEF3 4,11%, JBSS3 3,57%  e KLABN11 3,49%.

INFLAÇÃO

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15) subiu 1,06% em dezembro e ficou 0,25 ponto percentual (p.p.) acima da taxa de novembro (0,81%). O acumulado em 12 meses é de 4,23%. Habitação (1,50%) apresentou a segunda maior variação no índice do mês, influenciado pela alta do item energia elétrica (4,08%). (IBGE)

ÚLTIMO DIA

A Câmara encerrou a última sessão do ano, sem votar a proposta que aumenta os repasses da União para municípios. A medida se transformou em instrumento de manobra para medir as forças das eleições para o comando da Câmara. A equipe econômica se mobilizou para que a PEC 391/2017 não fosse votada, visto que implicaria em um custo de R$ 35 bilhões aos cofres públicos. ( Agência Câmara de Notícias)

NOVO MARCO DO CÂMBIO

A Câmara dos Deputados aprovou, nesta terça-feira (22), o texto-base do Projeto de Lei 5387/19, do Poder Executivo, que muda várias regras cambiais, abrindo espaço para instituições financeiras e bancos brasileiros investirem no exterior recursos captados no país ou no exterior, além de facilitar o uso da moeda brasileira em transações internacionais. Um acordo de procedimentos feito entre a maioria dos partidos deixou para o próximo ano a análise dos destaques.  ( Agência Câmara de Notícias)

TETO DOS GASTOS

O aumento de despesas obrigatórias, principalmente por causa da alta da inflação, deve levar o Ministério da Economia a fazer um corte entre R$ 10 bilhões e R$ 20 bilhões no Orçamento do próximo ano, segundo integrantes da pasta.  Esse é um cálculo preliminar da tesourada que o governo terá de adotar para cumprir em 2021 o teto de gastos — regra fiscal que impede o crescimento das despesas públicas acima da inflação. (Folha)

VACINA

A primeira leva de vacinas contra a Covid-19 desenvolvida pela AstraZeneca, em parceria com a Universidade de Oxford, no Reino Unido, deve ser entregue ao Ministério da Saúde a partir de 8 de fevereiro. A informação foi divulgada, nesta terça-feira (22), pela presidente da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), Nísia Trindade. O PNI (Programa Nacional de Imunização) receberá 1 milhão de doses de 8 a 12 de fevereiro e mais 1 milhão na semana seguinte. (Poder 360)

CORONAVÍRUS NO BRASIL

Cientistas descobriram uma nova mutação do coronavírus no estado do Rio de Janeiro. O estudo não indica que a nova variante seja mais transmissível ou agressiva, apenas relata sua descoberta. Em São Paulo, o governo anunciou que todo o estado voltará à fase vermelha e terá sua quarentena endurecida durante o Natal (25 a 27 de dezembro) e o Ano Novo (1 a 3 de janeiro). Durante o período, apenas setores essenciais poderão abrir, como serviços de saúde e supermercado. O Brasil registrou 55 mil novas infecções e 968 mortes em 24h e ultrapassou a marca de 188 mil óbitos e 7,3 milhões de casos de Covid-19.  (Ministério da Saúde)


OBSERVATÓRIO INTERNACIONAL

DESTAQUES EXTERNOS

As preocupações relacionadas à nova cepa do coronavírus identificada na Inglaterra pareceram ofuscar o otimismo dos agentes financeiros com a aprovação de um novo pacote de estímulos fiscais nos Estados Unidos e os índices em Nova York encerraram a sessão sem direção única.

PACOTE DE ALÍVIO

O presidente Donald Trump ameaçou não sancionar o projeto de lei de alívio do coronavírus de US$ 892 bilhões. Trump disse que deseja que o Congresso aumente o valor dos cheques de estímulo para US$ 2.000 para indivíduos ou US$ 4.000 para casais, em vez dos US$ 600. Esse pacote de alívio foi um acordo bipartidário, cuja votação a favor, de 92 a 6 no Senado e 359 a 53 na Câmara, está bem acima da maioria de dois terços necessária para anular um possível veto presidencial. (Reuters)

PIB DOS EUA

O produto interno bruto americano aumentou 7,5% em relação ao período anterior, ou a uma taxa anualizada de 33,4%, de acordo com a terceira estimativa do Departamento de Comércio divulgada terça-feira. Os gastos pessoais, que representam cerca de dois terços do PIB, aumentaram a um ritmo revisado para cima de 41%. A recuperação recorde da economia dos EUA no terceiro trimestre foi liderada por manufatura, saúde e restaurantes, indicando que esses setores se beneficiaram mais com as reaberturas após os bloqueios iniciais da pandemia. (Bloomberg)

EXPECTATIVAS

A economia dos EUA enfrenta um paradoxo: parece estar desacelerando, com a imposição de medidas restritivas com o recrudescimento do vírus em algumas regiões, mas ao mesmo tempo, com a aprovação das vacinas, uma recuperação possivelmente mais forte parece estar se aproximando. As últimas leituras econômicas, a serem divulgadas hoje, devem mostrar que as famílias dos EUA cortaram gastos em novembro, o que seria a primeira queda desde abril, de acordo com economistas consultados pelo The Wall Street Journal. O relatório do Departamento de Comércio também deve mostrar uma queda na renda familiar no mês passado, à medida que os efeitos dos programas de ajuda federal no início deste ano diminuem. Um relatório do Departamento do Trabalho deve indicar outro aumento nos pedidos de seguro-desemprego semanais. (WSJ)

CORONAVÍRUS

Nos EUA, os casos de Covid-19 já somam 18,3 milhões e as mortes ultrapassaram 322 mil.No mundo são 78 milhões de infectados e 1,7 milhões de óbitos. (Johns Hopkins / Financial Times)

MERCADOS HOJE

Na Ásia, os mercados fecharam em alta. Os índices da Europa, em sua maioria, avançam, apenas a bolsa de Londres em queda. Os futuros dos EUA apontam para uma abertura positiva. O mercado acompanha a divulgação dos dados de seguro-desemprego nos EUA e desemprego no Brasil.

Deixe uma resposta