IBC-Br registra baixa de 4,63% em 2020 e os últimos destaques

Terça-feira, 19 de janeiro de 2021

RESUMO DOS MERCADOS

Cotação DiaSemanaMêsAno
Ibovespa (pts)121.241,600,74%0,74%1,87%1,87%
Dólar PTAX (R$)5,27880,14%0,14%1,58%1,58%
DI Jan 2025 (bps)6,48%-11-118383
S&P 500 (pts)*3.768,250,00%0,00%0,32%0,32%
*fechamento do dia 15 de janeiro 

BRASIL EM FOCO 

DESTAQUES

Em dia de vencimento de opções e com menor liquidez global, por conta do feriado nos EUA, a bolsa brasileira repercutiu o início da vacinação por aqui, em meio a certa cautela quanto à velocidade da imunização. Os dados positivos do PIB e produção industrial da China, divulgados na madrugada de segunda, também contribuíram para o avanço das ações ligadas à commoditiies.

IBC-BR

O Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), considerado prévia do Produto Interno Bruto (PIB), registrou alta de 0,59% em novembro na comparação com outubro. A expectativa dos economistas consultados pela Bloomberg, era de uma alta de 0,5% na comparação mensal. No acumulado do ano de 2020, a baixa é de 4,63% e, em doze meses, a queda é de 4,15%. (BCB)

VACINAÇÃO NO BRASIL

Depois de São Paulo imunizar a primeira brasileira contra a Covid-19 no domingo (17), outros 15 estados iniciaram a vacinação na segunda (18). Espera-se que mais 5 se juntem a esse grupo hoje (19). Ao todo, 17 unidades da Federação já receberam as doses da CoronaVac, que teve o uso emergencial autorizado no domingo pela Anvisa. (Poder 360)

ELEIÇÕES NA CÂMARA

A Mesa Diretora da Câmara decidiu que a eleição para o comando da Casa será presencial para todos os deputados e acontecerá no dia 1º de fevereiro, provavelmente à noite. A informação foi dada pelo presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que foi voto vencido na reunião. Maia defendia a possibilidade de os deputados do grupo de risco votarem remotamente e queria que a eleição fosse realizada no dia 2. (Agência Câmara de Notícias)

IMPEACHMENT DE BOLSONARO

Questionado sobre os pedidos de impeachment do presidente Jair Bolsonaro, Maia afirmou que o momento atual não é de discussão do impeachment e que o foco do Parlamento precisa ser o combate à pandemia e aos seus efeitos sociais e econômicos. Mas ressaltou que “é inevitável que tenhamos uma CPI da Câmara ou do Congresso, mais à frente. Certamente, essa investigação vai chegar aos responsáveis por toda essa desorganização, falta de logística”. (Agência Câmara de Notícias)

POPULARIDADE BOLSONARO

No último fim de semana, Bolsonaro perdeu 20 pontos no ranking do Índice de Popularidade Digital (IPD), elaborado pela consultoria Quaest. João Dória, por sua vez, ganhou 18,7 pontos e encostou em Luciano Huck, o segundo lugar das 22 personalidades da política analisadas. Essa métrica avalia o desempenho das personalidades nas plataformas Facebook, Instagram, Twitter, YouTube, Wikipedia e Google. A  escala é de 0 a 100, em que o maior valor representa o máximo de popularidade. Mesmo com a queda, Bolsonaro continua com 66,3 pontos e Dória 43,9 pontos. (Folha)

CORONAVÍRUS NO BRASIL

Nas últimas 24h foram registrados 23 mil novos casos e 452 mortes. Desde o início da pandemia, o país acumula 210 mil óbitos e 8,5 milhões de casos confirmados de Covid-19. (Ministério da Saúde)


OBSERVATÓRIO INTERNACIONAL

DESTAQUES EXTERNOS

Com o feriado de Martin Luther King nos EUA, os índices na Europa terminaram a sessão próximos da estabilidade, com ganhos limitados pelo avanço da pandemia de Covid-19 pelo mundo.

LOCKDOWN NA ALEMANHA

A chanceler alemã, Angela Merkel, como parte de um pacote de medidas para tentar controlar o contágio de coronavírus, deve concordar com os líderes regionais e estender o lockdown em duas semanas para a maioria das lojas e escolas. Hoje, o bloqueio programado vai até 31 de janeiro e deve ser prorrogado até meados de fevereiro. (Reuters)

EURO

A União Europeia anunciará o plano para fortalecer o papel internacional do euro, buscando diminuir o domínio do dólar americano e isolar o bloco de riscos financeiros, incluindo sanções dos EUA. (Bloomberg)

RESTRIÇÕES A VIAGENS

O presidente eleito Joe Biden rejeitou um esforço do presidente Trump para suspender a proibição da maioria das viagens para os EUA da Europa, Reino Unido e Brasil. As restrições impostas no ano passado se aplicavam a qualquer estrangeiro presente nesses países nas duas semanas anteriores a chegarem nos EUA e estaria em vigor até 26 de janeiro. Mas a nova secretária de imprensa de Biden na Casa Branca, Jen Psaki, escreveu no Twitter, na noite de segunda-feira, que o governo Biden não suspenderá as restrições de viagem em 26 de janeiro. (WJS)

JANET YELLEN

A indicada para ser Secretária do Tesouro dos EUA será ouvida no Comitê de Finanças do Senado, hoje às 10h. Provavelmente, Yellen apresentará tópicos de política cambial a fiscal e comentará que os baixos custos dos empréstimos significam que é hora de “agir de forma grande”, como já vem defendendo em outros fóruns. Esse encontro também servirá para os legisladores examinarem o plano de alívio de US$ 1,9 trilhão proposto pelo presidente eleito Joe Biden. (Bloomberg)

CORONAVÍRUS

Nos EUA, os casos de Covid-19 já somam 24 milhões e as mortes ultrapassaram 399 mil. No mundo, são 95 milhões de infectados e 2 milhões de óbitos. (Johns Hopkins / Financial Times)

HOJE

Na Ásia, os índices fecharam sem direção definida, com alta de 2,70% do Hang Seng e o índice chinês CSI recuando 1,47%. As bolsas europeias operam entre leves ganhos e perdas. Nos EUA, os futuros apontam para uma abertura positiva. A agenda do dia é fraca, os investidores estarão de olho no discurso da Janet Yellen.

Deixe uma resposta