Anvisa flexibiliza uso de vacinas e os últimos destaques

Quinta-feira, 04 de fevereiro de 2021

RESUMO DOS MERCADOS

Cotação DiaSemanaMêsAno
Ibovespa (pts)119.724,701,26%4,05%4,05%0,59%
Dólar PTAX (R$)5,3423-0,84%-2,45%-2,45%2,80%
DI Jan 2025 (bps)6,19%-3-15-1554
S&P 500 (pts)3.830,170,10%3,13%3,13%1,97%

BRASIL EM FOCO 

DESTAQUES

O Ibovespa fechou em alta, pelo terceiro dia consecutivo. O clima menos turbulento em Brasília, com um discurso pró-ajuste fiscal dos chefes do Executivo e do Legislativo, contribuiu para a valorização.

AGENDA DO CONGRESSO

Os presidentes da Câmara e do Senado, Arthur Lira (PP-AL) e Rodrigo Pacheco (DEM-MG), assinaram um documento em conjunto defendendo as reformas e a agilidade na vacinação. Entre os temas estão as reformas administrativa e tributária, PEC Emergencial, a PEC dos Fundos Públicos, entre outros compromissos. Ainda ontem, Bolsonaro entregou uma planilha com as prioridades do governo aos novos presidentes do Legislativo. São 35 pontos, sendo 26 da pauta econômica, que inclui a privatização da Eletrobras e nove itens da pauta de costumes. (Valor)

AVALIAÇÃO DE BOLSONARO

Em pesquisa realizada pelo PoderData entre os dias 1 e 3 de fevereiro, 48% dos entrevistados desaprovam o governo, enquanto 40% disseram aprovar e 12% não souberam responder. Quando perguntados sobre o trabalho do Jair Bolsonaro,  41% considerou o presidente ruim ou péssimo, 33% o julgou bom ou ótimo e 22%, regular. (Poder360)

VALE

A empresa confirmou a nota do Governo de Minas Gerais, sobre um possível acordo entre as partes, visando reparar os danos socioeconômicos causados pelo rompimento da barragem em Brumadinho em 2019.A empresa e o governo estadual deverão se reunir hoje para uma possível assinatura do Termo de Reparação. Os valores da indenização não foram divulgados. (Valor)

VACINAÇÃO NO BRASIL

A Anvisa flexibilizou as exigências para aprovação do uso emergencial de vacinas contra Covid-19 no país, retirando a obrigatoriedade de que somente os imunizantes com testes em fase 3 sendo realizados no Brasil fossem avalizados pela agência. Após a simplificação do processo, o Ministério da Saúde visa negociar 30 milhões de vacinas Sputnik V e Covaxin.

A reunião com os representantes dos laboratórios responsáveis deve ocorrer nesta sexta-feira (05), para definir os valores e prazo de entrega. O Instituto Butantan recebeu os 5,4 mil litros do IFA, insumo farmacêutico ativo, que permitirão a produção de 8,4 milhões de doses da vacina contra o coronavírus. O governo de São Paulo espera receber outra remessa de 5,6 mil litros do insumo até o dia 10 de fevereiro, permitindo a produção de mais 8,7 milhões de doses. (Poder360)

RESTRIÇÕES EM SÃO PAULO

O governo do estado irá flexibilizar as restrições impostas desde o dia 25 de janeiro. A partir deste sábado (06), estabelecimentos como bares, restaurantes e shoppings poderão voltar a funcionar nos finais de semana e feriados. O governador João Doria (PSDB-SP) anunciou ainda medidas para auxiliar a retomada do setor, como por exemplo, R$125 milhões em crédito e a suspensão do corte de fornecimento de gás e água dos estabelecimentos por falta de pagamento até o final de março. (G1)

CORONAVÍRUS NO BRASIL

Nas últimas 24h foram registrados 56 mil novos casos e 1.254 mortes. Desde o início da pandemia, o país acumula 227 mil óbitos e 9,3 milhões de casos confirmados de Covid-19. (Ministério da Saúde

OBSERVATÓRIO INTERNACIONAL 

DESTAQUES

Os índices dos Estados Unidos fecharam mistos, apesar dos balanços positivos da Alphabet e da Amazon. A Secretária do Tesouro norte-americano, Janet Yellen, convocou uma reunião com reguladores financeiros após a volatilidade observada semana passada. Ficou no radar dos investidores também os debates sobre o pacote de estímulos de Joe Biden. As bolsas europeias encerraram o dia sem direção definida. O destaque na Europa ficou para a bolsa de Milão que teve forte alta após a notícia de que o ex-presidente do Banco Central Europeu, Mario Draghi aceitou tentar formar um novo governo no país.  

ESTÍMULOS FISCAIS NOS ESTADOS UNIDOS

Joe Biden expôs aos deputados democratas que não estaria disposto a reduzir o valor de US$ 1.400 dos cheques aos americanos, por considerar que estaria quebrando sua promessa de campanha. Os republicanos sugeriram reduzir o valor para US$ 1.000 e enviá-los somente para pessoas que ganhem até US$40.000 ao ano. (Bloomberg)

VOLATILIDADE NOS MERCADOS

A Secretária do Tesouro dos Estados Unidos, Janet Yellen, convocou reguladores financeiros dos EUA para debater sobre a volatilidade observada nos mercados financeiros na semana passada. Devem participar da reunião membros da SEC, o equivalente à CVM no Brasil, do FED, Banco Central dos Estados Unidos, FED de Nova York  e CFTC, Comissão de Negociação de Contratos Futuros e Commodities. (Bloomberg

NOVO GOVERNO NA ITÁLIA

O ex-presidente do Banco Central Europeu, Mario Draghi, aceitou o pedido do presidente da Itália, Sergio Mattarella, para se tornar o primeiro-ministro e formar um novo governo, para guiar o país para fora da pandemia através da recuperação econômica. “Superar a pandemia, completar a campanha de vacinas, oferecer respostas aos problemas diários dos cidadãos, relançar o país são os desafios que enfrentamos” disse Draghi. Líderes partidários da direita e da esquerda já expressaram publicamente os seus respectivos apoio ao novo primeiro-ministro. ( NYT

CORONAVÍRUS

Nos EUA, os casos de Covid-19 já somam 26 milhões e as mortes ultrapassam 450 mil. No mundo, são 104 milhões de infectados e 2 milhões de óbitos. (Johns Hopkins / Financial Times)

HOJE

As bolsas asiáticas fecharam em queda com o Nikkei recuando 1,06%. Na Europa, as bolsas operam no campo positivo, assim como os futuros em Wall Street. Na agenda do dia tem decisão de política monetária no Reino Unido, pedidos de seguro-desemprego nos EUA, venda e produção de veículos no Brasil.

Um comentário em “Anvisa flexibiliza uso de vacinas e os últimos destaques

Deixe uma resposta