Segunda Turma do STF vota a favor da suspeição de Moro e os últimos destaques

Quarta-feira, 24 de março de 2021

RESUMO DOS MERCADOS

Cotação DiaSemanaMêsAno
Ibovespa (pts)113.261,80-1,49% -2,55%2,93%-4,84%
Dólar PTAX (R$)5,4951-0,58%-0,24%-0,63%5,74%
DI Jan 2025 (bps)8,00%301477235
S&P 500 (pts)3.910,52-0,76%-0,07%2,61%4,11%

BRASIL EM FOCO 

DESTAQUES

O Ibovespa fechou em queda em linha com as bolsas nos Estados Unidos e com os riscos fiscais do Brasil no radar. Os temores do avanço global da pandemia, aumentando as restrições à circulação de pessoas e os discursos do presidente do FED, Jerome Powell, e da secretária do Tesouro norte-americano, Janet Yellen, pensaram contra as bolsas. No cenário doméstico prevaleceu a divulgação da ata da última reunião do COPOM, além de notícias quanto o avanço do número de infectados pelo coronavírus no país.  

ATA DO COPOM

O Banco Central divulgou a Ata da sua 237° reunião. De acordo com o texto, as projeções de inflação situam-se em torno de 5,0% para 2021 e 3,5% em 2022. Neste cenário a instituição supõe que a trajetória de juros se elevará para 4,50% este ano e 5,50% no próximo. O Comitê ressaltou ainda que os riscos fiscais de curto prazo seguem elevados em razão do agravamento da pandemia e que a “demora na normalização das cadeias produtivas, pressionando custos de produção e inflação em setores específicos, sugere que há também um choque positivo de demanda atuando (…) pressões inflacionárias observadas em 2021 podem contaminar as expectativas de inflação para 2022, gerando risco de uma desancoragem das expectativas no horizonte relevante ” . Por fim, assim como divulgado no comunicado após a reunião na semana passada, o Banco Central entende que o cenário atual já não descreve um grau de estímulos monetários extraordinários. (BCB

SERGIO MORO

A Segunda Turma do STF entendeu que o ex-juiz Sergio Moro foi parcial ao condenar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no caso do tríplex do Guarujá. O julgamento terminou em 3×2. O ministro Kassio Nunes Marques votou contra a suspeição de Moro, mas a ministra Cármen Lúcia, acabou mudando a sua posição de 2018, alegando que, diante de novos fatos, o ex-juiz não teria sido imparcial. A ministra disse, ainda, que o seu voto ficava restrito à condenação de Lula no caso do tríplex, e não nos demais casos da Operação Lava-Jato. Apesar do resultado, o plenário do STF ainda pode ter a palavra final sobre o caso. O colegiado, formado pelos 11 ministros, não deve discutir o mérito do caso, mas sim uma questão processual. (Valor)

DISCURSO DE BOLSONARO

Em pronunciamento em rede nacional, o presidente listou ações do governo para compra dos imunizantes, afirmando que adotaria qualquer vacina desde que fosse aprovava pela avisa. O discurso ocorre quando o país se aproxima dos 300 mil mortos, além de registrar mais de 3.000 óbitos em um único dia. O Palácio do Planalto vem sendo criticado pela demora na compra das vacinas e vem encontrando dificuldades de adquirir o imunizante, em razão da grande demanda global. Mais cedo, Bolsonaro assinou o termo de posse do novo ministro da saúde, Marcelo Queiroga, a cerimônia ocorreu a portas fechadas e a nomeação foi divulgada no Diário Oficial. (Poder360 )

REUNIÃO SOBRE A PANDEMIA

Jair Bolsonaro se reunirá hoje (24), no Palácio do Alvorada, com governadores e representantes do 3 poderes,  para tratar de medidas de combate à pandemia. Entre elas, o toque de recolher, o cronograma de vacinação e uma nova lei que facilite compras na área da saúde. Os presidentes das casas legislativas devem alertar que, se o governo não conseguir controlar a pandemia, verá ficar comprometida a agenda de votações importantes, como a reforma administrativa e tributária. (O Globo / Poder 360)

VACINAÇÃO

Empresários e banqueiros se reuniram com os presidente da Câmara e do Senado, Arthur Lira (PP-AL) e Rodrigo Pacheco (MDB-MG), para discutirem como o setor privado pode ajudar o governo na coordenação da distribuição de vacinas. Entre os presente estavam André Esteves, fundador do BTG Pactual, Luiz Carlos Trabuco Cappi, presidente do conselho de administração do Bradesco, executivos da Ambev, além do empresário Abílio Diniz. 

Um dos pedidos aos presidentes das Casas foi de maior flexibilização da lei que permite a compra de vacinas pelo setor privado, aprovada recentemente. De acordo com o texto sancionado pelo presidente Bolsonaro, o setor privado só poderá adquirir as vacinas caso doe metade ao SUS, além disso, a distribuição para funcionários só poderá acontecer após o grupo prioritário da população e profissionais da saúde serem imunizados. Hoje não há uma previsão de quando isso irá ocorrer. ( Valor)

CORONAVÍRUS NO BRASIL

Nas últimas 24h, foram registrados 82 mil novos casos e 3.251 mortes. Desde o início da pandemia, o país acumula 298 mil óbitos e 12 milhões de casos confirmados de Covid-19. ( Ministério da Saúde)

OBSERVATÓRIO INTERNACIONAL 

DESTAQUES

As bolsas nos Estados Unidos fecharam em queda após o presidente do FED, Jerome Powell, e a secretária do Tesouro, Janet Yellen, afirmarem que não esperam que o pacote de estímulos de US$ 1,9 tri leve a uma inflação persistente. Os investidores seguem receosos quanto a recuperação da demanda após a Alemanha estender as medidas restritivas até o dia 18 de abril.  As bolsas europeias encerraram a sessão sem direção definida.

PACOTE DE ESTÍMULOS

O governo norte-americano afirmou que até hoje serão distribuídos 100 milhões de cheques de ajuda como parte de um pacote de estímulos de US$ 1,9 tri aprovado pelo Congresso. O Tesouro dos Estados Unidos informou na segunda-feira (22) que havia emitido a última rodada de pagamentos. (Reuters)

POWELL E YELLEN

O presidente do FED, em discurso ao Comitê de Serviços da Câmara, afirmou que os preços aumentariam este ano a medida que a pandemia recuasse e os americanos fossem capazes de gastar mais, minimizando que tal movimento levaria a uma inflação “elevada e persistente. Espera-se que a economia aumente nos próximos meses graças ao ritmo de vacinação no país e o pacote de estímulos de US$ 1,9 tri. Segundo Powell, ” Temos vivido em um mundo de fortes pressões desinflacionarias ao redor do mundo (…) Não achamos que um aumento único nos gastos que leve a aumentos temporários de preços interromperia isso”.A secretária do Tesouro, Janet Yellen, alegou estar trabalhando para fornecer  as diretrizes  sobre possíveis cortes de impostos estaduais que não violariam a lei de estímulos, que proíbe estados de usar o dinheiro do subsídio federal para  redução na tributação. (Bloomberg)

CHINA

O governo alemão convocou o embaixador chinês no país, Wu Ken, para “conversas urgentes” com o secretário de Estado, Miguel Berger. Wu foi chamado após Pequim sancionar funcionários europeus em retaliação às medidas tomadas pela União Europeia em resposta à repressão da China à minoria muçulmana uigures. Os embaixadores chineses também foram convocados em outros países europeus para debater sobre as sanções retaliatória de Pequim. (DW)

VACINAÇÃO

A Comissão Europeia estenderá nesta quarta feira os poderes da União Europeia para bloquear potencialmente as exportações de vacinas contra covid-19 para o Reino Unido e outras áreas com taxas de vacinação muito altas. A intenção da medida é evitar falhas nas entregas para a região e adotar uma política de reciprocidade e proporcionalidade. Como não há objetivos numéricos a mudança não deve acarretar um banimento em massa de exportações de vacinas produzidas no continente europeu. ( Reuters)

PFIZER

A farmacêutica informou que começou os testes de uma nova pílula para combater o coronavírus, que poderia ser usada já nos primeiros sinais da doença. Se bem sucedido, o medicamento poderá bloquear a replicação viral antes que os pacientes adoeçam de forma mais grave. De acordo com o diretor científico da empresa, nenhum problema inesperado havia sido observado no estudo até o momento. Caso as pesquisas continuem no ritmo atual, a Pfizer poderá começar um teste muito maior combinado as fases dois e três já no início do segundo trimestre. ( Bloomberg)

CORONAVÍRUS NO MUNDO

Nos EUAos casos de Covid-19 já somam 29 milhões e as mortes ultrapassam 543 mil. No mundo são 124 milhões de infectados e 2,7 milhões de óbitos. ( Johns Hopkins)

HOJE

Na Ásia, os mercados fecharam em forte queda de mais de 1,5%. As bolsas europeias operam, nesta manhã, entre leves ganhos e perdas. Os futuros de Wall Street apontam para uma abertura positiva. Um acidente com um navio no Canal de Suez bloqueou uma das principais rotas do petróleo e o preço da commodity já sobe mais de 2%. Na agenda, além da reunião do Bolsonaro sobre a pandemia, os investidores devem acompanhar a divulgação do PMI de vários países.

Deixe uma resposta