O novo presidente da Petrobras e os destaques da semana

Panorama Semanal de 19 a 22 abril

Petrobras, números importantes na economia, Orçamento de 2021, CPI e vacinas, além da Cúpula do Clima são os destaques.

PETROBRAS

A semana mais curta, por conta dos feriados, teve início com a posse da nova presidência da Petrobras. O general da reserva, Joaquim Silva e Luna, substitui o economista Roberto Castello Branco, após críticas do presidente Bolsonaro a sua administração. O grande conflito estava associado à política de preços dos combustíveis conduzido por Castello Branco, que mirava a paridade internacional dos preços do petróleo.

Em seu discurso, o novo presidente da estatal deu ênfase à previsibilidade dos reajustes, porém sem desvinculá-los das variações dos preços externos. Silva e Luna assinalou que pretende ter uma boa comunicação junto ao mercado, sempre com transparência e dentro das regras de compliance e governança estabelecidos pelo arcabouço jurídico da companhia.

ECONOMIA

Na economia, tivemos números positivos nessa semana. O Banco Central divulgou seu IBC-Br, apontando alta de 1,7% no mês de fevereiro, ante elevação de 1,04% em janeiro. O número foi positivamente influenciado pelos serviços e comércio. Dessa forma, o indicador já está acima do nível anterior à pandemia. 

Já a arrecadação federal, no mês de março, foi uma grata surpresa, atingindo R$ 138 bi, 18% em termos reais ante o mesmo período de 2020. 

CORREIOS

Na seara das privatizações, a Câmara dos Deputados aprovou pedido de urgência para o projeto que privatiza os Correios.

INFLAÇÃO

Em relação à inflação, outra boa notícia, com o IGP-M, da FGV, desacelerando na segunda prévia de abril, para 1,17%, contra 2,98% de março. Esse índice tem apresentado variações muito fortes e no acumulado de 12 meses já está acima de 30%.

ORÇAMENTO 2021

Após semanas de impasse, o presidente Jair Bolsonaro assinou (com vetos), na quarta-feira, a lei que destrava programas emergenciais de combate à Covid-19, uma vez que, finalmente tivemos o acordo para o Orçamento de 2021 e o presidente tem até essa quinta-feira para sancioná-lo.

Na visão de muitos analistas, houve uma espécie de “orçamento dentro do orçamento”, já que houve uma alteração na LDO, descontando da meta fiscal os gastos extras com saúde, o programa BEm e o Pronampe, no total de R$ 40 bilhões. A meta primária de déficit é de R$ 247 bilhões e tem autorização para descontar R$ 44 bilhões com o auxílio emergencial, além de três créditos extraordinários de R$ 10,8 bilhões para a Saúde. Assim, segundo cálculos dos especialistas, os gastos contra a Covid, em 2021, podem atingir a cifra de R$ 125 bilhões, que estarão fora da meta fiscal e do Teto dos Gastos. 

Economistas de mercado acreditam que o acordo enfraquece ainda mais a equipe econômica, que alega o uso de expedientes não convencionais para burlar a meta primária. Na prática, o acerto retira a pressão que os gastos com a doença estavam exercendo nas despesas que podem ser cortadas (discricionárias) e sobre as emendas parlamentares.

CPI DA COVID

Em relação à CPI da Covid, a primeira reunião deverá ser semipresencial na terça-feira, dia 27. A eleição para a presidência e a vice-presidência da comissão também ocorrerá nesse dia. A tendência é de que votação para o comando da CPI deva ser secreta, o que impede que ela seja feita pelo sistema de votação virtual usado pelo Senado. O presidente nomeará o relator.

RÚSSIA

No exterior, o presidente da Rússia, Vladimir Putin, fez um duro discurso contra o Ocidente, alertando que o país revidará de forma “simétrica, rápida e dura” a quaisquer tentativas de ultrapassagem das “linhas vermelhas”, em relação à questão da vizinha Ucrânia.

COVID-19

Uma má notícia foi a que reportou um aumento expressivo de casos de Covid-19 na Ásia, especialmente na Índia, onde pacientes estão dividindo camas de hospitais e pode faltar oxigênio. No Japão há igualmente uma tendência de alta nos casos.

Ainda em relação à doença, o Brasil anunciou que negocia adquirir mais 100 milhões de doses da Pfizer. Além disso, o Instituto Butantan retomou a produção da Coronavac com a chegada de 3 mil litros de IFA. Já são mais de 27 milhões de brasileiros que tomaram pelo menos uma dose da vacina.

CÚPULA DO CLIMA

Nesta quinta-feira tem início a Cúpula do Clima, promovida pelo governo Joe Biden, com 40 líderes mundiais. O Brasil terá importante espaço, com um discurso do presidente Bolsonaro, em que se espera que ele reforce algumas promessas feitas em carta ao mandatário americano, na semana passada. Dentre elas a redução nas queimadas e desmatamento na Amazônia. A imagem do Brasil está chamuscada na questão ambiental e uma mudança de postura seria muito bem recebida pela comunidade internacional.

Em linha com esse tema, um ponto de destaque foi a carta assinada por 24 dos 27 governadores do país ao embaixador americano no Brasil, onde comprometem-se com a “emergência climática global”. A decisão é uma forma de sinalizar ao governo Biden que, independente das ações do governo federal, há um compromisso deles em cuidar do meio ambiente.

BOLSA

No pregão da terça-feira, o Ibovespa fechou em queda de 0,72%, a 120.062 pontos. O dólar teve leve avanço de 0,15%, cotado a R$ 5,556.

Obrigado, bom fim de semana e até o próximo Panorama Semanal.

* Dados atualizados até as 10h

Deixe uma resposta