Palácio do Planalto se prepara para a CPI da Covid e os últimos destaques

Segunda-feira, 26 de abril de 2021

RESUMO DOS MERCADOS

Cotação DiaSemanaMêsAno
Ibovespa (pts)120.530,060,97%-0,48%3,34%1,27%
DI Jan 2025 (bps)7,72%0-26-33207
Dólar PTAX (R$)5,4787-0,33%-2,74%-3,84%5,43%
S&P 500 (pts)4180,171,09%-0,13%5,22%11,29%

BRASIL EM FOCO 

DESTAQUES

Após alívio com a sanção para o Orçamento 2021, os juros futuros na sexta-feira (23) fecharam estáveis e na semana recuaram ao longo de todos os vértices. A perspectiva do encaminhamento de reformas estruturantes também foi bem recebida e os ativos de bolsa tiveram um dia positivo, com o impulso extra das bolsas no exterior. A temporada de balanços do 1º trimestre continua nesta semana que se inicia.

CPI DA COVID

O Palácio do Planalto pediu a diversos ministérios um relatório com as ações tomadas no combate à pandemia, se antecipando a possíveis acusações que o governo poderá sofrer durante as sabatinas da CPI da Covid no Senado. Ao todo, são 23 acusações mapeadas pelo governo, divididas entre 13 ministérios diferentes. O objetivo é conseguir blindar o presidente Bolsonaro e o ex-ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, contra acusações de omissão durante a pandemia e na crise de falta de oxigênio em Manaus. (Valor)

MINISTÉRIOS

Com a sanção do Orçamento 2021, que assegurou R$33,5 bilhões para o Congresso, diferentes programas estruturantes de governo foram vetados e há clima de insatisfação na Esplanada dos Ministérios. Recursos para obras em andamento e meio ambiente foram reduzidos, programas habitacionais para os mais pobres foram completamente vetados e o censo de 2021 foi cancelado. O arrocho foi feito principalmente na linha dos investimentos, visto que estavam entre os poucos gastos que não tinham a execução autorizada durante a vigência provisória do Orçamento. Com isso, o governo consegue assegurar que o veto terá o efeito integral esperado, pois o ministério não gastou um centavo daquela dotação. ( Broadcast)

REFORMAS

Hoje começam as audiências públicas sobre a reforma administrativa na CCJ da Câmara. O parecer de admissibilidade deve ser dado depois do dia 14 de maio, último dia de eventos da CCJ. Além disso, o texto preliminar para a MP da Eletrobras também deve ser entregue esta semana. (Poder360)

MERCOSUL

O ministro da economia Paulo Guedes participou, na última sexta-feira, de uma audiência no Senado na qual defendeu maior flexibilização para as regras do Mercosul. A proposta é dar mais liberdade para os integrantes do bloco negociarem acordos individualmente e Guedes também comentou sobre a possibilidade de reduzir a tarifa externa comum em 10%. Para Guedes, o Mercosul se transformou em uma “bolha” que atrapalha a integração dos países membros aos “grandes fluxos de comércio e investimentos”. ( G1)

CORONAVÍRUS NO BRASIL

Nas últimas 24h, foram registrados 32,6 mil novos casos e 1.305 mortes. Desde o início da pandemia, o país acumula 390.797 óbitos e 14,3 milhões de casos confirmados de Covid-19. Já foram aplicadas no Brasil 41,4 milhões de doses de vacina, sendo que 12,5 milhões de pessoas já receberam as duas doses do imunizante. (Ministério da Saúde / G1)

OBSERVATÓRIO INTERNACIONAL

DESTAQUES

Os índices americanos reverteram as quedas fortes da quinta-feira e fecharam novamente perto das máximas. Os resultados positivos do PMIs dos EUA impulsionaram o otimismo dos investidores limitando as perdas acumuladas na semana.

PMI

O índice de gerentes de compras (PMI) de serviços bateu um novo recorde ao subir para 63,1 pontos em abril, superando com folga o consenso de 61,0 pontos. O PMI do setor industrial também registrou nova máxima histórica, subindo para 60,6 pontos em abril frente 59,1 em março, ficando ligeiramente acima da expectativa do mercado de 60,5 pontos. Leituras acima de 50 indicam expansão da atividade e, quanto mais alta, mais forte está o ritmo. ( Valor / WSJ)

IMÓVEIS NOVOS NOS EUA

O total de vendas em março levou o segmento de volta ao patamar de 2006, sugerindo recuperação do setor após as tempestades de inverno que impactaram os números de fevereiro. As compras realizadas por novas famílias subiram 20,7%, superando as estimativas. A demanda por mais espaço também impulsionou as vendas. O preço médio anual em relação ao ano anterior avançou para US$ 330.800. (Bloomberg

IMPOSTOS NOS EUA

Joe Biden deve revelar seu programa de aumento de impostos em um discurso na quarta-feira à noite no Congresso. A proposta é financiar os cerca de US$ 1 trilhão do “Plano de Famílias Americanas” destinado para americanos de baixa renda e classe média. A elevação de alíquota pode chegar à 43,4% sobre  ganhos de capital para aqueles que receberem US$ 1 milhão ou mais. Esse movimento deve encontrar resistência no Congresso dado que o Senado está dividido 50-50 e na Câmara a margem dos democratas é estreita. ( Bloomberg)

VACINA J&J

O Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA (CDC) e a Agência de Alimentos e Medicamentos (FDA) recomendaram a revogação da suspensão temporária contra a vacina da J&J nos EUA, após pausa de 10 dias para investigar os coágulos raros em mulheres que receberam essas vacinas. Segundo especialistas, “os benefícios superam claramente o risco de uma perspectiva populacional e individual”. (Istoé)

COVID NA ÍNDIA

Os EUA devem enviar vacinas e materiais hospitalares para a Índia. O objetivo é combater o surto gravíssimo de Covid pelo qual o país está passando, com quase 350 mil novos casos por dia e 2,7 mil mortes nas últimas 24h. O primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, declarou que “uma tempestade abalou a nação” e reforçou a importância da vacinação em seu programa de rádio mensal.  (NYTCNN)

CORONAVÍRUS NO MUNDO

Nos EUA, os casos de Covid-19 já somam 32 milhões e as mortes ultrapassam 572,2 mil. No mundo são 146,8 milhões de infectados e os óbitos bateram a marca de 3,1 milhões. (Johns Hopkins)

HOJE

Na Ásia, os índices encerraram a sessão sem direção definida. As bolsas europeias operam entre leves ganhos e perdas, assim como os futuros das bolsas de Wall Street. O ouro e o preço do barril do petróleo abrem a semana em queda. Na agenda do dia tem o Índice de Evolução de Emprego do CAGED.

Deixe uma resposta