Ministério da Saúde compra de 100 milhões de doses de vacina e os últimos destaques

Sexta-feira, 07 de maio de 2021

RESUMO DOS MERCADOS

Cotação DiaSemanaMêsAno
Ibovespa (pts)119.920,610,30%0,86%0,86%0,76%
DI Jan 2025 (bps)8,04%92424239
Dólar PTAX (R$)5,2897-1,81%-2,11% -2,11%1,79%
S&P 500 (pts)4201,620,82%0,49% 0,49%11,86%

BRASIL EM FOCO

DESTAQUES

A bolsa brasileira teve um dia dividido após a decisão do COPOM de elevar as taxas de juros em 0,75 p.p. Commodities tiveram um dia de forte alta, enquanto diversos ativos domésticos sofreram. Os juros fecharam o dia em alta ao longo de toda a curva. Com a sinalização de mais aumentos de juros, o câmbio se valorizou, alcançando o menor patamar desde janeiro.

VACINAÇÃO

O Ministério da Saúde divulgou a compra de 100 milhões de doses adicionais da vacina da Pfizer por R$6,6 bilhões, totalizando 200 milhões de vacinas contratadas. As primeiras 100 milhões de doses desse pacote deverão ser entregues até setembro, e as outras, até o final do ano. Com isso, a Pfizer seria a segunda vacina mais relevante no Brasil, atrás apenas da AstraZeneca/Oxford. Desde que Paulo Guedes e Bolsonaro emitiram declarações polêmicas em relação à China e à pandemia, o Instituto Butantan vem percebendo menores chegadas de insumos para a produção de CoronaVac. (Valor / G1)

CPI DA COVID

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, depôs ontem na CPI da Covid. Queiroga disse que não tomou conhecimento de nenhum programa de distribuição de cloroquina desde que iniciou sua gestão. O ministro também se recusou a avaliar a eficácia da cloroquina para o tratamento da doença, dizendo se tratar de uma questão técnica que será resolvida com o tempo, o que causou protestos dos senadores. Contribuindo às polêmicas, senadores da oposição defenderam condução coercitiva para que o ex-ministro Eduardo Pazuello deponha na CPI. Isso aconteceu  porque Pazuello se encontrou ontem (06) com o ministro da SeGov, Onyx Lorenzoni, depois de alegar ter tido contato direto com pessoas infectadas para não comparecer à comissão na quarta-feira (05). Tal ideia foi descartada por Omar Aziz (PSD-AM) e Renan Calheiros (MDB-AL), presidente e relator da CPI respectivamente. (Valor / Estadão)

REFORMA TRIBUTÁRIA

Após as intervenções do presidente da Câmara  Arthur Lira (PP-AL), o ministério da Economia ficou mais confiante com a possibilidade de fatiar a reforma tributária para que ela seja implementada. A ideia agora é planejar mudanças em 5 etapas ao invés de 4: seriam discutidos também a diminuição de impostos sobre PJ, mas com cobrança de dividendos, e o fim da isenção de IR para produtos financeiros, como LCIs e LCAs. (Folha)

CORONAVÍRUS NO BRASIL

Nas últimas 24h, foram registrados 73,4 mil novos casos e 2.550 mortes. Desde o início da pandemia, o país atingiu a marca de 416,9 mil óbitos e 15 milhões de casos confirmados de Covid-19. Já foram aplicadas no Brasil 51,6 milhões de doses de vacina, sendo que 17,3 milhões de pessoas já receberam as duas doses do imunizante. (Ministério da Saúde / G1)

OBSERVATÓRIO INTERNACIONAL 

DESTAQUES

Os índices americanos tiveram um dia forte ontem, com o Nasdaq interrompendo quedas e subindo 0,37%, o S&P500 se valorizando 0,82% e o Dow Jones registrando nova máxima histórica após subir 0,93%. O otimismo foi motivado pelos dados positivos de seguro desemprego e expectativas de que os impostos corporativos subirão menos com o plano de Biden do que se imaginava anteriormente.

SEGURO-DESEMPREGO

Os pedidos iniciais de seguro-desemprego nos Estados Unidos caíram para 498 mil na semana passada, uma nova mínima desde o início da pandemia do Covid-19. A expectativa era de 527 mil pedidos. Apesar desses números declinantes, muitos americanos ainda estão recebendo auxílios desemprego. Empresas estão tendo dificuldade de contratar e há quem diga que além do medo de pegar covid e não ter com quem deixar os filhos, o excesso de benefícios para os trabalhadores desempregados também conta para diminuir o ímpeto pela busca de emprego. (Valor / WSJ)

IMPOSTOS

O presidente Biden afirmou ontem que um imposto corporativo entre 25% e 28% pode ajudar a financiar o pesado investimento planejado para infraestrutura ao longo dos próximos anos, sugerindo, assim, que pode aceitar uma taxa mais baixa que a proposta anteriormente, para conseguir o apoio dos Republicanos para obter os recursos (Reuters)

VENDAS NO VAREJO

As vendas no varejo em março da Zona do Euro superaram as expectativas, crescendo 2,7% versus fevereiro.e 12%, quando comparadas ao número de março de 2020, de acordo com os dados da Eurostat. (Reuters)

CORONAVÍRUS NO MUNDO

Nos EUA, os casos de Covid-19 já somam 32,60 milhões e as mortes ultrapassam 580 mil. No mundo são 155,66 milhões de infectados e os óbitos bateram a marca de 3,25 milhões. (Johns Hopkins)

HOJE

Na Ásia, as bolsas fecharam com movimentos mistos. Japão em alta, China em queda. Na Europa, os índices operam no positivo, com destaque para o DAX alemão que sobe 1,27%. O preço do petróleo está estável, com o Brent negociado a US$ 68,13. O ouro está em alta cotado a US$ 1.820,20. Os futuros das bolsas de NY apontam para uma abertura com ganhos. Na agenda do dia, o dado mais esperado é o relatório de emprego nos EUA (Payroll).

Deixe uma resposta