As expectativas do mercado para 2021 o boletim Focus e os últimos destaques

Terça-feira, 11 de maio de 2021

RESUMO DOS MERCADOS

Cotação DiaSemanaMêsAno
Ibovespa (pts)121.909,03-0,11%-0,11%2,54%2,43%
DI Jan 2025 (bps)8,16%101036251
Dólar PTAX (R$)5,22270,02%0,02% -3,35%0,50%
S&P 500 (pts)4.188,43-1,04%-1,04% 0,17%11,51%

BRASIL EM FOCO 

DESTAQUES

O Ibovespa e o dólar fecharam ontem perto da estabilidade, enquanto investidores se posicionaram mais cautelosos com os DIs, aguardando informações sobre os rumos da política monetária na ata  da última reunião do Copom do Bacen que sai hoje.

BOLETIM FOCUS

Na visão do mercado, em 2021, a inflação deve se elevar a 5,06% (versus 5,04% na semana passada), e o PIB chegar a 3,21% (versus 3,14% na leitura anterior). A expectativa para a Selic se manteve em 5,50% e a do dólar recuou para R$ 5,35 (versus R$ 5,40 na semana passada). Para o fim de 2022, os economistas projetam uma inflação de 3,61%, com a taxa básica de juros indo para 6,25%. O PIB deve crescer 2,33%, dado o câmbio de R$ 5,40. (BCB / Valor)

ORÇAMENTO

A liberação de R$ 3 bilhões em emendas parlamentares privilegiando aliados, ação que está na mira de uma investigação do Tribunal de Contas da União (TCU), consolidou a aproximação do governo de Jair Bolsonaro com o Centrão e fez com que o Palácio do Planalto criasse uma ‘taxa de fidelidade’ de deputados e senadores, usada como referência para distribuir verbas e cargos. (OGlobo)

 REFORMA ADMINISTRATIVA

A pressão da base governista ameaça empurrar a reforma administrativa para 2023. Lira diz que entrega PEC com mudanças nas carreiras públicas até julho ao Senado, mas deputados aliados do presidente se alinharam ao lobby dos servidores e querem evitar desgastes políticos a um ano das eleições. (Folha)

CONFIANÇA

Segundo a FGV/IBRE, o Índice de Confiança do Consumidor (ICC) ficou em 17,3 pontos, abaixo do Índice de Confiança Empresarial (ICE) em abril. Essa é uma das maiores diferenças da série histórica, que começou em setembro de 2005. Respectivamente, os índices marcaram 72,5 e 89,8 pontos, patamares ainda pessimistas (abaixo dos 100 pontos). Segundo economistas, a fraqueza do mercado de trabalho, o orçamento sob estresse e a piora da pandemia explicam o desânimo maior das famílias, combinação que é negativa para o consumo. ( IBRE / Valor)

CPI DA COVID

Foi definida a agenda da CPI da Covid pelas próximas três semanas. Hoje será ouvido o presidente da Anvisa, falando sobre o processo de liberação de vacinas contra a covid. Diferentes representantes de empresas farmacêuticas e ministros serão ouvidos ao longo dessas próximas semanas, incluindo o ministro Paulo Guedes. (Valor)

ELEIÇÕES 2022

Enquanto a CPI se desenrola, Bolsonaro recupera parte da sua popularidade, segundo a pesquisa Atlas, realizada na semana passada, a avaliação de que seu governo é ótimo ou bom saiu de 25% para 31%. Também foi verificado que ele e o ex-presidente Lula estão tecnicamente empatados (37% versus 33,2% respectivamente) em uma simulação de primeiro turno para 2022, e muito distantes da intenção de voto para o terceiro colocado, Ciro Gomes, com 5,7%. (Valor)

CORONAVÍRUS NO BRASIL

Nas últimas 24h, foram registrados 25,2 mil novos casos e 889 mortes. Desde o início da pandemia, o país atingiu a marca de 423,2 mil óbitos e 15,2 milhões de casos confirmados de Covid-19. Já foram aplicadas no Brasil 53,9 milhões de doses de vacina, sendo que 18,1 milhões de pessoas já receberam as duas doses do imunizante. ( Ministério da Saúde / G1)

OBSERVATÓRIO INTERNACIONAL 

DESTAQUES

Em um dia negativo para as bolsas internacionais, os rendimentos dos treasuries de 10 anos avançaram. O S&P 500 caiu 1,04% e o Nasdaq tombou 2,55%, em um dia de sangria do setor de tecnologia. Só o Dow Jones ficou perto da estabilidade com  recuo  de 0,10%.

TECNOLOGIA

O setor tecnológico da Nasdaq sofreu perdas duras no pregão de ontem (10), com investidores preocupados com os dados de inflação que sairão amanhã. As expectativas para a inflação americana são as mais altas desde 2006. Esse mau humor contaminou a sessão asiática e europeia nesta manhã. (Bloomberg)

INFLAÇÃO

As maiores expectativas sobre a inflação não trouxeram choques apenas para as ações de tecnologia. Segundo a Bloomberg, empresas ligadas ao petróleo também sofreram, enquanto o ouro está próximo do seu valor mais alto dos últimos três meses. Na semana passada, os lingotes de ouro tiveram a maior valorização semanal desde novembro do ano passado. ( Bloomberg)

TRANSFERÊNCIAS

O presidente Joe Biden negou ontem que os generosos auxílios para desempregados estejam prejudicando o crescimento econômico. Entretanto, ele deverá tornar o recebimento dos cheques mais difícil para os trabalhadores que estejam negando oportunidades de empregos. (WSJ)

COVID ÍNDIA

Uma nova cepa do coronavírus foi identificada na Índia. Segundo a OMS, essa é a quarta variante já identificada e é mais transmissível que o normal. Ainda não há indícios que as vacinas disponíveis atualmente sejam menos efetivas para o combate a esse vírus. (WSJ)

CORONAVÍRUS NO MUNDO

Nos EUA, os casos de Covid-19 já somam 32,7 milhões e as mortes ultrapassam 582,1 mil. No mundo são 158,9 milhões de infectados e os óbitos bateram a marca de 3,3 milhões. (Johns Hopkins)

HOJE

A realização de lucros com as ações do setor de tecnologia que começou em Wall Street reverberou nos mercados do mundo. As bolsas na Ásia registraram quedas de mais de 2%. Na Europa, os índices das bolsas também recuam mais de 2%. Os futuros de Wall Street apontam para um dia negativo. O petróleo recua 1%. Os treasuries de 10 anos estão sendo negociado a 1,61%. Na agenda do dia tem a ata do Copom e o IPCA de abril.  

Deixe uma resposta