CPI da Covid aprova quebra de sigilo telefônico de aliados do governo e os últimos destaques

Sexta-feira, 11 de junho de 2021

RESUMO DOS MERCADOS

BrCotação DiaSemanaMêsAno
Ibovespa (pts)130.076,170,13%-0,04%3,06%9,29%
DI Jan 2025 (bps)7,96%11226231
Dólar PTAX (R$)5,06350,20%-0,06%-3,22%-2,56%
S&P 500 (pts)4.239,180,47%0,22% 0,83%12,86%
 * valores referentes ao fechamento do pregão de 02/06 no Brasil.
BRASIL EM FOCO BRASIL EM FOCO BR

BRASIL EM FOCO

DESTAQUES

Após um dia de pregão volátil e com baixo volume financeiro, o Ibovespa encerrou as negociações perto da estabilidade.O dado do CPI americano impactou a curva DI e causou elevação de taxas em todos os vencimentos. Com rumores sobre a possibilidade de uma nova bolsa brasileira, as ações da B3 foram as que mais caíram ontem, com quedas de 2,44%. A Embraer foi o principal destaque positivo, com forte alta de 15,61%, após anunciar tratativas que podem resultar na fusão da sua subsidiária de mobilidade urbana Eve com a Spac americana Zanite Acquisition.

DÍVIDA BRUTA

Com o aumento da inflação no mês passado, a relação dívida bruta/PIB está sendo revisada. A estimativa é que o índice esteja na faixa de 84%. Além disso, melhorias pelo lado fiscal também estão contribuindo positivamente para o crescimento econômico brasileiro e a arrecadação de impostos. As expectativas dos agentes econômicos melhoram, e com isso, o potencial do país também. (Valor)

COPA AMÉRICA

O STF decidiu liberar a Copa América no Brasil a partir deste domingo, rejeitando três ações que buscavam impedir o evento esportivo, apesar dos ministros alertarem que o campeonato tem potencial para agravar a disseminação do vírus. Propostas que obrigavam os governos federal, estaduais e municipais a apresentarem um plano de redução de danos em relação ao covid não prosperaram, ficando apenas o alerta. A decisão de liberar a Copa América não exime os governos de adotarem as medidas preventivas recomendadas pela OMS. ( Estadão / G1)

MÁSCARAS

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse que a pasta fará um estudo sobre o uso da máscara no país, para atender a demanda do presidente Bolsonaro, que quer desobrigar pessoas já vacinadas ou que já contraíram o vírus. O presidente parece seguir o exemplo de outros países que já começaram a flexibilizar o uso de máscaras, como os EUA, que tinham 29% da população totalmente vacinada (duas doses ou vacina de dose única). Segundo especialistas, pode ser ainda cedo para fazer isso, já que no Brasil apenas 11,06% da população se encontra nessa condição. As chances de reinfecção e surgimento de novas cepas não são descartadas. (Valor / G1)

REFORMA ADMINISTRATIVA

O presidente da Comissão da Reforma Administrativa, deputado Fernando Monteiro (PP-PE), afirmou que os direitos adquiridos pelos trabalhadores que já estão no serviço público serão preservados. As regras atualizadas seriam válidas para novos servidores, e questões como a estabilidade e cláusulas de desempenho ainda serão debatidas. (CBN)

QUEBRA DE SIGILO

A CPI da Covid aprovou, nesta quinta-feira (10), uma série de requerimentos que garantem a quebra de sigilo telefônico e telemático de aliados e integrantes do governo Jair Bolsonaro, incluindo o ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello. Todos os alvos terão que fornecer informações privadas sobre ligações telefônicas e comunicações via internet, incluindo mensagens de Whatsapp, emails e histórico do Google Maps. Também foi aprovada a quebra de sigilo telefônico e telemático do ex-secretário de Saúde do Amazonas Marcellus Campêlo. Ele foi um dos alvos de uma operação da Polícia Federal por conta da Operação Sangria, que investiga a alta cúpula do governo do Amazonas por desvios na Saúde. (Valor)

CORONAVÍRUS NO BRASIL

Nas últimas 24h, foram registrados 88,1 mil novos casos e 2.504 mortes. Desde o início da pandemia, os casos confirmados de Covid-19 são 17,2 milhões, com 482 mil óbitos.Foram aplicadas no Brasil 76,3 milhões de doses de vacina, sendo que 23,5 milhões de pessoas já receberam as duas doses do imunizante. ( Ministério da Saúde / G1)

 

OBSERVATÓRIO INTERNACIONAL 

DESTAQUES

Os índices acionários americanos encerraram ontem em alta, com o Dow Jones, S&P500 e Nasdaq subindo 0,06%, 0,47% e 0,79%, respectivamente. O S&P500 registrou nova máxima histórica após a divulgação dos números de inflação e pedidos de seguro-desemprego. 

INFLAÇÃO CPI

O Departamento de Trabalho americano liberou os dados do CPI para o mês de maio, com números acima das expectativas. Ano contra ano, os preços se elevaram 5,0%, o maior aumento para o mês desde 1992. Os núcleos da inflação, que excluem os itens voláteis como alimentos e combustível, subiram 3,8% em 12 meses. Os principais vetores para esse aumento foram carros usados, passagens de avião e outros itens que são impactados por problemas de oferta e pela reabertura econômica. Os debates sobre a transitoriedade desses aumentos continuam aquecidos, mas o mercado reagiu ao anúncio diferentemente do mês passado, os rendimentos dos treasuries recuaram para a faixa de 1,44%. (WSJ)

PEDIDOS DE SEGURO-DESEMPREGO

Os novos pedidos de seguro-desemprego nos EUA atingiram uma nova mínima pós-covid, com 376 mil pedidos, frente a 385 mil da semana passada. A abertura de vagas de emprego tem sido relevante, com aumento de 1 milhão não preenchidas no mês de abril, para um total de 9,3 milhões de vagas, e empregadores se esforçando para não perder trabalhadores. (WSJ)

INFRAESTRUTURA

Um grupo bipartidário de senadores americanos chegou a um acordo para o pacote de infraestrutura, depois do impasse entre o presidente Biden e a senadora Capito. Isso foi conseguido com um plano sem aumento de impostos, investindo um total de US$1,2 trilhões ao longo dos próximos 8 anos. Ainda haverá discussões com lideranças partidárias para que o entendimento seja referendado. (CNBC / NYT )

CORONAVÍRUS NO MUNDO

Nos EUA, os casos de Covid-19 já somam 33,4 milhões e as mortes ultrapassam 598,7 mil. No mundo são mais de 174,9 milhões de infectados, e os óbitos estão na marca de 3,7 milhões. (Johns Hopkins)

HOJE

Na Ásia, os principais índices fecharam em leve queda. Na Europa, as bolsas operam em alta. Os futuros das bolsas de Nova York apontam para uma abertura positiva. O barril do Brent é negociado a US$ 72,70. O ouro spot recua 0,48%, cotado a US$ 1.889,43 a onça. O yield dos treasuries de 10 anos está em 1,44%. Na agenda do dia, tem confiança do consumidor nos EUA e dados do setor de serviços por aqui.

Deixe uma resposta