Corrupção na compra da Covaxin e os destaques da semana

Panorama Semanal de 21 a 25 de junho*

DESTAQUES

Denúncias de corrupção na compra da Covaxin e a saída de Ricardo Salles do Ministério do Meio Ambiente foram destaques do noticiário na semana.

COVAXIN

A história da Covaxin veio à tona por meio do servidor do Ministério da Saúde Luís Ricardo Fernandes Miranda, que afirmou que o presidente Jair Bolsonaro foi informado sobre suspeitas na importação da vacina. Miranda, irmão do deputado Luís Miranda, teria sofrido pressão de seus superiores para comprar a Covaxin, cujas doses foram negociadas com a Precisa Medicamentos para trazer o imunizante da Índia. Os valores são superiores aos de outras vacinas. 

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, se irritou com os questionamentos a respeito do assunto. Ainda não foram feitos pagamentos pela importação, e não se sabe se o governo vai manter a compra. As supostas irregularidades são alvo da CPI da Pandemia e do Ministério Público Federal. Os irmãos Miranda depõem nesta sexta-feira na CPI.

CPI DA PANDEMIA

Na CPI, o deputado Osmar Terra, que seria um dos participantes do chamado “gabinete paralelo”, defendeu o presidente Bolsonaro, a imunidade de rebanho, admitiu erros em projeções e criticou o distanciamento social. Em seu depoimento, o médico e pesquisador Pedro Hallal disse que cerca de 400 mil mortes poderiam ter sido evitadas na pandemia, se o governo tivesse seguido as orientações internacionais de combate à Covid-19. Na mesma linha, a médica e pesquisadora Jurema Werneck também foi ouvida esta semana.

500 MIL VÍTIMAS

O número de óbitos no Brasil, que superou meio milhão no fim de semana, já chega perto de 510 mil.

VARIANTE DA COVID-19

No mundo, crescem as preocupações com a variante Delta do vírus, predominante no mundo, e que está se espalhando pela Europa.

SAÍDA DE RICARDO SALLES

No Diário Oficial, saiu a exoneração do ex-ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles. Oficialmente, a exoneração se deu a pedido de Salles, investigado por irregularidades e envolvimento na exportação de madeira.

BANCO CENTRAL

E o Banco Central, em seu Relatório Trimestral de Inflação, projetou para agosto o pico do IPCA acumulado em 8,5% em 12 meses, além do estouro da meta oficial para este ano. Já a projeção do PIB foi elevada de 3,6% para 4,6%. 

EUA

Nos Estados Unidos, os dados sobre pedidos de seguro-desemprego vieram abaixo do esperado. De acordo com o banco central dos EUA (Fed, o Federal Reserve), o mercado de trabalho ainda não dá sinais de recuperação, e segue a política e estímulos. O presidente Joe Biden anunciou o acordo bipartidário para a infraestrutura, cujo total deve ficar em torno de US$ 1,2 trilhão.

CHINA

A China reforçou restrições ao comércio de criptomoedas, e o bitcoin despencou para abaixo de US$ 30 mil.

BOLSA

Com expectativa de alta dos juros no Brasil, o dólar, ontem, fechou em queda de 1,16%, cotado a R$ 4,903. É a primeira vez em um ano que a moeda americana fecha abaixo de R$ 5. O Ibovespa encerrou em alta de 0,86%, aos 129.513 pontos.

Obrigada, bom fim de semana e até o próximo Panorama Semanal.

*Dados atualizados até as 9h do dia 25/6

Deixe uma resposta