Pagamento de propina na compra das vacinas e os destaques da semana

Panorama Semanal de 28 de junho a 2 de julho*

DESTAQUES

Mais denúncias sobre propinas na compra de vacinas foram o destaque da semana no noticiário. 

DOMINGUETTI NA CPI

Na CPI da Covid, o representante comercial Luiz Paulo Dominguetti afirmou que o ex-diretor de logística do Ministério da Saúde Roberto Dias pediu US$ 1 como propina por dose de vacina. Dominguetti se apresentou como representante da indiana Davati Medical Supply, para tentar intermediar a venda de mais 200 milhões de doses da AstraZeneca ao governo. Em seu depoimento, ele também exibiu um áudio em que o deputado Luis Miranda estaria negociando vacinas, mas depois disse que não tinha certeza da informação. A negociação, disse Miranda, seria sobre luvas. Houve confusão e o celular de Dominguetti foi apreendido. Roberto Dias, tido como indicação do líder do governo na Câmara, Ricardo Barros, foi exonerado.

Há quem acuse Dominguetti de querer criar “fumaça” e desacreditar Luis Miranda, o do áudio. Ele é irmão do servidor do Ministério da Saúde Luis Ricardo Miranda, que, na semana passada, denunciou a existência de um esquema sobre outra vacina, a Covaxin, com a intermediação da Precisa Medicamentos. Após o caso vir à tona, o Ministério da Saúde suspendeu os contratos para a compra da Covaxin, por orientação da Controladoria-Geral da União, “para que análises mais aprofundadas sejam feitas”.

WIZARD NA CPI

O empresário Carlos Wizard também depôs na CPI esta semana. Ele é suspeito de participar do “gabinete paralelo”, para orientar o presidente Jair Bolsonaro, independentemente do Ministério da Saúde. Wizard negou a existência do “gabinete paralelo” e, protegido por um habeas corpus, não respondeu às perguntas dos senadores. Os parlamentares exibiram vídeos das redes sociais em que Wizard defendia o uso de tratamentos com ivermectina e cloroquina. 

BOLSONARO

O presidente Jair Bolsonaro, em evento oficial, afirmou que “não vai ser com mentiras ou com CPI integrada por sete bandidos que vão nos tirar daqui”.

PEDIDO DE IMPEACHMENT

Uma frente de políticos e organizações de oposição protocolou um “superpedido” de impeachment – que reúne argumentações de mais de 100 pedidos já na Câmara dos Deputados – contra Bolsonaro. O presidente da Câmara, Arthur Lira, afirmou que nada será feito neste momento. “Tem que esperar”, disse.

COVID-19 NO BRASIL

Com o avanço da vacinação, a taxa de transmissão no Brasil recuou para 0,98, o menor índice dos últimos 40 dias, segundo medição do Imperial College, de Londres. A média móvel de óbitos por Covid-19 em sete dias apresentou tendência de queda pelo quinto dia consecutivo. Mas patamar ainda é elevado.

ECONOMIA

Na Economia, destaques para a alta na conta de luz, os números do desemprego e as reações à polêmica proposta de reforma tributária apresentada na semana passada. Estão previstos na proposta itens como o fim da isenção de impostos sobre dividendos, com taxação de 20%; a taxação também dos rendimentos dos fundos imobiliários, em 15%; o aumento da faixa de isenção do Imposto de Renda para R$ 2.500, entre outros.

CONTA DE LUZ

A Aneel aumentou em 52% a cobrança extra na conta de luz.

DESEMPREGO

De acordo com o IBGE, o desemprego no Brasil registrou 14,7% no trimestre até abril. A taxa, recorde, equivale a 14,8 milhões de desempregados.

PRIVATIZAÇÕES

E, na maior oferta de ações do ano no país, a BR Distribuidora foi privatizada. A transação arrecadou R$ 11,4 bi para a Petrobras.

BOLSA

No pregão desta quinta-feira, o dólar registrou alta de 1,45%, cotado a R$ 5,044. O Ibovespa encerrou em queda de 0,90%, aos 125.666 pontos.

Obrigada, bom fim de semana e até o próximo Panorama Semanal.

* Dados atualizados até as 9h do dia 2/7

Deixe uma resposta