Arrecadação federal tem aumento de 20% em junho e os últimos destaques

Quinta-feira, 22 de julho de 2021

RESUMO DOS MERCADOS

BrCotação DiaSemanaMêsAno
Ibovespa (pts)125.929,250,42%-0,02% -0,69%5,81%
DI Jan 2025 (bps)8,15%6-59250
Dólar PTAX (R$)5,25160,10% 3,09% 4,99%1,06%
S&P 500 (pts)4.358,690,82%0,73% 1,42%16,04%

BRASIL EM FOCO

DESTAQUES

O Ibovespa fechou o dia em leve alta, diante das notícias positivas na parte econômica e controversas na parte política. A minirreforma ministerial que o presidente Bolsonaro está promovendo acendeu o sinal de alerta em alguns investidores, mas as boas notícias relacionadas à arrecadação federal e a melhor perspectiva do IBRE para a economia contribuíram mais para o Ibovespa fechar no terreno positivo, apesar da alta dos DIs.

ARRECADAÇÃO FEDERAL

A arrecadação com impostos registrou uma alta real de 46,77% em junho na comparação com o mesmo mês do ano passado, chegando a R$137,17 bilhões. Com o desempenho do mês, o recolhimento no semestre atingiu a marca de R$881,99 bilhões, uma elevação real de 24,49% frente ao mesmo período do ano passado. Ajustando os fatores atípicos, como as compensações tributárias, houve aumento de 19,98% em termos reais. Esses resultados confirmam a recuperação da arrecadação a partir da retomada econômica e a previsão do ministro Paulo Guedes para esse ano é que novos recordes sejam estabelecidos. (Correio Braziliense /  Valor)

PROJEÇÃO IBRE

Diante da recuperação dos serviços e normalização dos padrões de consumo do país, o IBRE revisou as estimativas de aumento de PIB em 2021, dos anteriores 4,8% para 5,2% de crescimento. O Instituto espera que haja variação positiva de 0,1% no segundo e no terceiro trimestres deste ano, com participação menos intensa da indústria e mais representativa dos serviços. Os economistas responsáveis pelo relatório falam de novo ciclo de “moderado otimismo” no início do segundo semestre , considerando a aceleração para a vacinação da população brasileira, mas não esquecendo o maior nível de endividamento, que pode atrapalhar maiores desenvolvimentos para o setor terciário. (Valor)

CONFIANÇA DA INDÚSTRIA

A Confederação Nacional da Indústria divulgou que, em julho, os 30 setores industriais consultados pela CNI estão confiantes com a economia e a situação de suas empresas. Este é o terceiro mês consecutivo em que o índice de Confiança do Empresário Industrial permaneceu acima dos 50 pontos para todos os setores. Houve alta de 0,3 ponto na comparação com junho, para 62 pontos, maior nível em 11 anos para o período. (Valor)

REFORMA MINISTERIAL

O presidente Bolsonaro deve desmembrar as pastas de Previdência e Trabalho do ministério da Economia para promover uma reforma ministerial. Com a criação do ministério do Emprego e Previdência Social, acontecerá uma dança das cadeiras. Onyx Lorenzoni  assumirá essa pasta como ministro. O senador Ciro Nogueira (PP-PI), um dos líderes do Centrão, receberá o comando da Casa Civil. O general Luiz Eduardo Ramos, atual chefe da pasta, assumirá a Secretaria Geral da Previdência, atualmente ocupada por Onyx. As trocas ocorrem em um momento que as pesquisas apontam para rejeição recorde a Bolsonaro e ao governo. (Valor /  Poder360)

IMPEACHMENT NO STF

A ministra do STF Cármen Lúcia negou um pedido do PT ao Tribunal para determinar que o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), analise pedido de impeachment contra o presidente Jair Bolsonaro. Para a ministra, deferir o pedido seria uma violação ao princípio da separação dos poderes. Os petistas apresentaram a denúncia por crime de responsabilidade depois que Bolsonaro participou de um ato em que manifestantes pediam, entre outras coisas, a volta do AI-5. Para eles, Lira estaria cometendo abuso de poder. Atualmente há 120 pedidos de impeachment parados na Câmara contra Bolsonaro. ( O Globo)

CORONAVÍRUS NO BRASIL

Nas últimas 24h, foram registrados 54,5 mil novos casos e 1.424 mortes. Desde o início da pandemia, os casos confirmados de Covid-19 estão em 19,5 milhões, com 545,6 mil óbitos. Foram aplicadas no Brasil 127,7 milhões de doses de vacina, sendo que 35,6 milhões de pessoas foram totalmente imunizadas, por terem recebido a segunda dose ou tomado a vacina de dose única. (Ministério da Saúde  / G1)

OBSERVATÓRIO INTERNACIONAL 

DESTAQUES

Os índices acionários americanos estenderam a alta, com o Dow Jones, S&P500 e Nasdaq avançando 0,83%, 0,82% e 0,92%, respectivamente. Os resultados corporativos acima da expectativa continuam impulsionando o bom desempenho das ações, principalmente das small-caps do Russel2000, que subiu 1,8% ontem.

INFRAESTRUTURA

Senadores republicanos bloquearam o início dos debates relacionados ao plano bipartidário de infraestrutura, estando com a expectativa de atingir um acordo final no início da semana que vem. Senadores democratas haviam tentado iniciar ontem os trâmites tanto do plano de infraestrutura quanto do pacote de auxílio às famílias, educação e saúde, mas não foram bem sucedidos. A principal fonte de discordâncias é sobre como obter receitas para custear os investimentos trilionários  que serão feitos. ( Bloomberg / WSJ)

FALTA DE CASAS

A oferta de casas americanas “mais simples” está nos menores níveis em quase 50 anos, porque de acordo com dados  divulgados pela Associação Nacional de Construtores de Casas dos EUA, as casas menores estão sendo cada vez menos construídas. Enquanto nos anos 70 foram construídas em média 418 mil casas com até 130 m² por ano, em 2020 foram construídas aproximadamente 65 mil delas. Isso tem gerado consequências negativas, como o patrimônio acumulado na forma de moradia entre as pessoas que demoram mais para adquirir suas propriedades. Aqueles que compram suas casas entre os 35 e 44 anos acumulam em média US$72 mil a menos do que aqueles que o fazem entre 25 e 34 anos. ( WSJ)

EXPECTATIVA DE VIDA

A expectativa de vida nos EUA diminuiu 1,5 anos em 2020, para 77,3 anos, por causa da pandemia, overdose de drogas e homicídios, a maior redução em gerações. Com isso, a expectativa de vida voltou aos patamares de 2003, e desde 1943, ano em que os EUA entraram na segunda guerra mundial, não há perdas tão intensas. Segundo especialistas, retornar aos patamares pré-pandemia não é esperado em 2021, e a situação pode continuar regredindo caso novas cepas agressivas surjam. (WSJ)

CORONAVÍRUS NO MUNDO

Nos EUA, os casos de Covid-19 já somam 34,2 milhões e as mortes ultrapassam 609,8 mil. No mundo são mais de 191,9 milhões de infectados, e os óbitos alcançaram a marca de 4,12 milhões. (Johns Hopkins)

HOJE

Na Ásia, as bolsas da China e Hong Kong fecharam em alta. O índice Hang Seng registrou ganhos de 1,83%. No Japão não houve sessão em razão do feriado. Na Europa, as bolsas avançam, o EuroStoxx sobe 1,27%Os futuros das bolsas de Wall Street também apontam para uma abertura positiva. O otimismo sobre os lucros corporativos está pesando mais do que os percalços do crescimento e o surto de coronavírus. Cerca de 86% das companhias do S&P500 que reportaram resultados superaram as previsões dos analistas. O barril Brent voltou a subir, sendo negociado a US$ 72,99. O ouro spot retrai 0,47%, cotado a US$ 1.795,24 a onça. O yield dos treasuries de 10 anos voltou para 1,30% e o dólar está estável. O Bitcoin recuperou o patamar de US$ 32.000. Na agenda do dia, o BCE se reúne para decisão de política monetária e os agentes acompanham a solicitação de seguro-desemprego nos EUA.

Deixe uma resposta