A queda da PEC do voto impresso e os destaques da semana

Panorama Semanal de 9 a 13 de agosto*

DESTAQUES

A cena política dominou o noticiário semanal com temas como a derrubada da PEC do voto impresso e a votação da reforma eleitoral. A nova investigação do Supremo envolvendo o presidente Jair Bolsonaro também é destaque.

VOTO IMPRESSO

Cercada de polêmica e forte repercussão nas redes sociais, a análise do voto impresso no Congresso ganhou outro “tempero”. Às vésperas de sua votação, as Forças Armadas marcaram um desfile de tanques na Praça dos Três Poderes, e o evento levantou hipóteses sobre uma tentativa de o governo pressionar os parlamentares na votação. No fim das contas, a PEC não atingiu os 308 votos necessários e foi arquivada. Mas o assunto do voto impresso ainda acirra ânimos e posicionamentos.

REFORMA ELEITORAL

Já a votação da reforma eleitoral surpreendeu. A proposta do “distritão” foi rejeitada, mas a volta das coligações proporcionais foi aprovada. O texto segue agora ao Senado.

PEC DOS PRECATÓRIOS 

A PEC dos precatórios ganhou novamente os holofotes com a autorização para que o Executivo possa descumprir a regra de ouro das contas públicas sem o aval do Congresso.

LEI DE SEGURANÇA NACIONAL

Outro tema quente foi a aprovação pelo Senado do projeto de lei que revoga a Lei de Segurança Nacional e inclui na legislação crimes contra o Estado Democrático, como golpes e fake news em eleições. A Lei de Segurança Nacional, segundo seus críticos, estava sendo usada contra os opositores do governo. O projeto segue para sanção do presidente da República.

STF X BOLSONARO

O Tribunal Superior Eleitoral apresentou uma notícia-crime contra o presidente Bolsonaro, por ter divulgado – e distorcido – dados de uma investigação da PF, em segredo de Justiça. Trata-se de um ataque hacker ao tribunal. O ministro Alexandre de Moraes, do STF, acolheu o pedido para apurar o caso.

ROBERTO JEFFERSON

Em outra frente, Moraes determinou a prisão do ex-deputado Roberto Jefferson por ataques às instituições democráticas. O pedido da prisão foi feito pela PF no inquérito sobre milícias digitais.
Na CPI da Pandemia, o líder do governo da Câmara, Ricardo Barros, afirmou que a comissão atrapalha as negociações do Brasil por vacinas, e o clima esquentou entre os senadores.
O relator Renan Calheiros afirmou que o relatório final da CPI deve citar Bolsonaro por crime de responsabilidade na gestão do combate à Covid-19.

VACINAÇÃO NO BRASIL

Enquanto isso, o processo de imunização avança pelo país, mas há gargalos na distribuição de doses pelo Ministério da Saúde. Com o andamento das vacinas, a média móvel de óbitos segue abaixo de mil. E a Anvisa recebeu o pedido da UFRJ para iniciar os testes das fases 1 e 2 de sua vacina contra a Covid-19, a S-UFRJvac.

ECONOMIA

No horizonte econômico, o foco ficou na inflação, com a divulgação do IPCA, que acelerou para 0,96%, a maior taxa do mês de julho desde 2002. Em 12 meses, o índice acumula 8,99%, acima do teto da meta para o ano.

IBC-BR

Indicador da atividade calculado pelo Banco Central, o IBC-br, que é uma espécie de prévia do PIB, avançou  1,14% em junho, acima das expectativas.

EUA

Nos EUA, o Senado aprovou o orçamento de US$ 3,5 trilhões.

No Afeganistão, com a saída das tropas dos EUA do país, os conflitos se intensificam. O Talibã avança e já tomou as 2a e 3a maiores cidades do país. A capital, Cabul, deve ser o próximo alvo.

CENÁRIO INTERNACIONAL

No âmbito global, um relatório elaborado pelo IPCC revelou que mudanças climáticas sem precedentes já são inevitáveis e irreversíveis. Segundo o documento, a temperatura média do planeta deve subir 1,5º C em 20 anos.

BOLSA

No pregão desta quinta-feira, influenciado pelo adiantamento da votação sobre a reforma do IR, o Ibovespa recuou 1,11%, fechando a 120.700 pontos. O dólar registrou alta de 0,67%, cotado a R$ 5,256.


Obrigada, bom fim de semana e até o próximo Panorama Semanal.* Dados atualizados até as 9h30 de 13/8

Deixe uma resposta