O Talibã no Afeganistão e os destaques da semana

Panorama Semanal de 16 a 20 de agosto*

DESTAQUES

A tomada de poder pelo Talibã no Afeganistão e o consequente caos no país foram o destaque do noticiário no mundo. Por aqui, a briga entre os Três Poderes acirra os ânimos e afeta as expectativas.

TALIBÃ

O grupo islâmico Talibã tentou mostrar ao mundo um viés mais moderado em uma entrevista após a tomada de Cabul, com promessas de que o país não será base para grupos terroristas. Mas os fatos não mostram a propalada mudança. Protestos foram reprimidos com violência. 

PRONUNCIAMENTO DE BIDEN

Nos EUA, o presidente Joe Biden defendeu a retirada das tropas americanas em território afegão. Sua popularidade caiu. 

AFEGANISTÃO

Em Cabul, o caos foi ilustrado com a população desesperada tentando embarcar em aviões para sair do país.

TENSÃO ENTRE OS PODERES

Em Brasília, a guerra é entre os Poderes. Bolsonaro afirmou que vai pedir no Senado a abertura de processo contra ministros do STF. O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, após encontro com o presidente do Supremo, Luiz Fux, disse que a “democracia não pode ser questionada como vem sendo”. 

REFORMAS

No Congresso, destaque para a reforma do Imposto de Renda, sem acordo e adiada, além da polêmica sobre a PEC dos Precatórios e a percepção de maior risco fiscal.

Sobre a PEC da reforma política, aprovada na Câmara e que traz de volta as coligações proporcionais, Pacheco disse que não deve passar no Senado. 

COVID-19

O alerta mundial no combate à Covid-19 vem de Israel, com uma quarta onda da doença, a partir da perda de eficácia da vacina. 

TERCEIRA DOSE

No Brasil, o avanço da variante delta deve demandar uma terceira dose de vacinas em parte da população, de acordo com o Ministério da Saúde.

CORONAVAC

E a Anvisa decidiu não autorizar a CoronaVac em crianças e adolescentes até 17 anos.

CPI DA COVID

Na CPI da Covid, repercutiu o depoimento do auditor afastado do TCU Alexandre Figueiredo Costa Silva Marques. Ele disse ter enviado para seu pai, o militar da reserva Ricardo Silva Marques, um documento sobre a diferença no número de mortes na pandemia em relação ao divulgado oficialmente. Seu pai teria repassado o documento para Bolsonaro e, depois, o relatório (atribuído ao TCU) foi adulterado – o que pode ser considerado crime.

Túlio Silveira, advogado da Precisa Medicamentos, também foi ouvido pelos senadores. Ele intermediou o acordo de compra pelo governo de 20 milhões de doses da vacina Covaxin e passa a condição de investigado na CPI. Já Francisco Maximiano, sócio da Precisa, optou por ficar em silêncio na maior parte de seu depoimento e foi flagrado mentindo no pouco que falou.

O deputado Ricardo Barros, líder do governo do na Câmara, é também investigado pela CPI.

ECONOMIA

Na economia, foco na ata do Fomc, indicando que o Fed (banco central dos EUA) discutiu o início da redução do ritmo das compras de títulos, mas, por outro lado, procurou deixar claro que o movimento não é a senha para a elevação dos juros.

BOLSA

No pregão desta quinta-feira, após forte volatilidade semanal, o Ibovespa fechou em alta depois de três quedas seguidas. O índice registrou alta de 0,45%, para 117.164 pontos. O dólar subiu 0,89%, para R$ 5,423.

Obrigada, bom fim de semana e até o próximo Panorama Semanal.

* Dados atualizados até às 9h30 do dia 20/8.

Deixe uma resposta