Novo bolsa família em novembro e os últimos destaques

NESTA MANHÃ

  • Na Ásia, os índices das principais bolsas fecharam sem direção definida.
  • Na Europa, o movimento é majoritariamente positivo, com exceção do DAX alemão que recua levemente.
  • Os futuros de Wall Street apontam para uma abertura negativa.
  • Os contratos de Brent são negociados a US$ 70,96, próximo da estabilidade. 
  • A cotação do ouro está em US$ 1.794,40 a onça, uma queda de 0,5%.
  • O rendimento dos treasuries de 10 anos foi para 1,30%.
  • O Bitcoin opera em queda e é negociado a US$ 47.500. 

AGENDA DO DIA

  • 8h – Confiança do Consumidor FGV (ago)
  • 9h – IPCA-15 (ago)

RESUMO DO FECHAMENTO ANTERIOR

BrCotação DiaSemanaMêsAno
Ibovespa (pts)120.210,752,33%1,83% -1,31%1,00%
DI Jan 2025 (bps)9,58%-22288393
Dólar PTAX (R$)5,3017-1,25%-2,32% 3,52%2,02%
S&P 500 (pts)15.019,800,52%2,07% 2,37%16,54%

BRASIL

O Ibovespa recuperou o patamar de 120 mil pontos. O real teve uma forte valorização, explicada pela alta do petróleo no mundo, do minério de ferro na China e pelas declarações do presidente da Câmara, Arthur Lira, que defendeu o teto de gastos e disse que não haverá rompimento da responsabilidade fiscal. As taxas dos contratos futuros de juros se ajustaram, porém os vencimentos superiores a jan/28 se mantiveram acima de 10%.

INTERNACIONAL

As bolsas de Nova York terminaram o dia em alta, com os índices S&P 500 e Nasdaq renovando mais uma vez as máximas históricas de fechamento, este último ultrapassando a marca de 15 mil pontos pela primeira vez. O S&P 500 subiu 0,15%.  A perspectiva de avanços no combate à covid-19 nos EUA e a expectativa de aprovação do projeto de infraestrutura na Câmara dos Representantes ajudaram a sustentar os mercados em território positivo. O dólar perdeu força, após as vendas de moradias novas nos Estados Unidos em julho virem abaixo do esperado pelo mercado.  

COVID-19

Nas últimas 24h foram notificadas 894 mortes por Covid-19 e registrados 30,9 mil novos casos da doençaAté o momento, 59,2% da população já recebeu a primeira dosee 56,8 milhões de pessoas, ou 26,8%, foram totalmente imunizadas. No mundo, mais de  4,9 bilhões de vacinas já foram aplicadas(Ministério da Saúde / G1 / Johns Hopkins)

PRINCIPAIS NOTÍCIAS DO BRASIL

REFORMA DO IMPOSTO DE RENDA

O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), afirmou que a Reforma do Imposto de Renda não irá ao plenário da Casa nesta semana, como era esperado. “Vamos mudar a estratégia, o governo vai entrar, ficou ratificado que uma convergência é necessária.” Lira disse que está também conversando com quem tem interesse em aprovar dividendos no Brasil e que irá fazer mais uma rodada de conversa com líderes da Câmara. A votação do parecer foi adiada por três vezes, mas a matéria conta com o patrocínio de Lira, que defende o texto.  Aos investidores, Lira também fez uma defesa enfática sobre o teto de gastos e disse que não haverá rompimento da responsabilidade fiscal. (Broadcast)

PGR

Depois de mais de seis horas de sabatina, a CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) do Senado aprovou, por 21 votos a 6, a recondução de Augusto Aras para o cargo de procurador-geral da República. Ele foi indicado pelo presidente Jair Bolsonaro para um segundo mandato de dois anos. A indicação ainda terá que ser aprovada no plenário do Senado. (Estadão)

NOVO BOLSA FAMÍLIA

O presidente Jair Bolsonaro afirmou que, a partir de novembro, o governo deve voltar a oferecer o Auxílio Brasil para a população, que vai substituir o Bolsa Família com o valor de no mínimo R$ 300. Segundo ele, a proposta do novo benefício pelo ministro da Cidadania, João Roma, “está bastante avançada” e “poucas alterações” serão necessárias. O chefe do Executivo também justificou a descontinuidade do Auxílio Emergencial à população. Segundo ele, o oferecimento do benefício no valor de R$ 600 causava um endividamento de R$ 50 bilhões por mês para a  União. (Poder 360). 

CRISE HÍDRICA

O Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE) avaliou nesta terça-feira (24) que houve “relevante piora” nas condições do setor elétrico e decidiu propor novas medidas para garantir o suprimento de energia no país. Entre elas, estão a flexibilização das restrições operativas na bacia do rio São Francisco e a redução de cotas mínimas em outras bacias, para uso dos estoques energéticos que vinham sendo poupados. Ontem também, o  MME apresentou a proposta de Programa de Incentivo à Redução Voluntária do consumo de energia elétrica para clientes ligados a distribuidoras. Ambas as medidas precisam ainda ser avaliadas pela Creg (Câmara de Regras Excepcionais para Gestão Hidroenergética), grupo liderado pelo MME, que se reunirá hoje (25). (Folha)

PRINCIPAIS NOTÍCIAS DO MUNDO 

PIB ALEMÃO

Produto Interno Bruto da Alemanha subiu 1,6% no segundo trimestre de 2021, em relação ao primeiro trimestre, de acordo com a segunda leitura do dado, divulgada hoje pela agência de estatísticas do país Destatis. Na comparação anual com ajuste de preços, o PIB teve alta de 9,8%, ante estimativas de alta de 9,2% nessa base de comparação. Com ajustes de inflação e calendário, a alta anual foi de 9,4%. Os consumos privado e governamental foram as alavancas do crescimento. O PIB do país segue 3,3% abaixo do patamar registrado no quarto trimestre de 2019, o último antes da pandemia da covid-19. (Valor)

MERCADO IMOBILIÁRIO

As vendas de moradias novas nos Estados Unidos subiram 1,0% em julho ante junho, para uma taxa anual sazonalmente ajustada de 708 mil unidades, segundo o Departamento do Comércio americano. Os dados de junho foram revisados para cima, de 676 mil para 701 mil unidades. Analistas consultados pelo The Wall Street Journal esperavam alta de 3,6% no período, para 700 mil unidades. (WSJ)

ORÇAMENTO AMERICANO

A Câmara dos Representantes dos EUA aprovou uma medida para avançar com o orçamento de US$ 3,5 trilhões, além de marcar para o fim de setembro a votação sobre o pacote de infraestrutura de quase US$ 1 trilhão. O acordo final, por 220 votos a 212, encerra um impasse entre um grupo de democratas de centro e seus líderes sobre a agenda legislativa do partido. (Bloomberg)

ESCASSEZ NO REINO UNIDO

O McDonald’s afirmou ter retirado os milkshakes do cardápio em todos os 1.250 restaurantes britânicos por causa de problemas de abastecimento. A rede de fast-food afirma que também está enfrentando escassez de bebidas engarrafadas. O caso é o mais recente de uma série de problemas decorrentes da falta de peças e produtos na Grã-Bretanha atribuídas a uma combinação de Brexit e a pandemia de covid-19. Na semana passada, a rede de fast-food especializada em frango Nando’s fechou temporariamente cerca de 50 pontos de venda por causa da escassez de aves. Supermercados relataram problemas para colocar alguns produtos nas prateleiras. ( Associated Press)

AFEGANISTÃO

Autoridades da União Europeia afirmaram, após reunião virtual de líderes do G7, que podem apoiar o Afeganistão, com foco em ajuda humanitária, mas ressaltaram que o país precisa manter um compromisso de luta contra o terrorismo e também garantir questões de direitos humanos e das mulheres. A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, qualificou a ajuda ao povo afegão como um “dever moral” e disse que essa é a visão do G7 sobre o assunto. O presidente do Conselho Europeu , Charles Michel, disse ainda que foi pedido aos EUA que garantam a segurança do aeroporto de Cabul “pelo tempo que for necessário”. (Broadcast)

Deixe uma resposta