O Sete de Setembro e os destaques da semana

Panorama Semanal de 6 a 10 de setembro*

DESTAQUES

Turbulência, volatilidade, recuo. Esta foi a semana do Sete de Setembro, marcada pela forte crise institucional entre os Poderes, discursos ameaçadores, receio de golpe, manifestações populares, bloqueio de caminhoneiros e uma “Declaração à Nação” do presidente Jair Bolsonaro, escrita com a ajuda do ex-presidente Michel Temer, chamado para apagar o incêndio.

IPCA

Para complementar o cenário conturbado politicamente, o IPCA foi divulgado e, literalmente, não deixou barato: ficou em 0,87%, o maior percentual para um mês de agosto desde o ano 2000. A inflação acumulada em 12 meses chega a 9,68%. 

PROTESTOS

Os atos pró-Bolsonaro no feriado de 7 de setembro ocorreram em diversas capitais e reuniram números expressivos de apoiadores, mas bem abaixo do esperado e anunciado pelo governo. Algumas tentativas de invasão ao STF foram contidas pela PM. São Paulo e DF foram as localidades onde houve maior tensão. 

Grupos contra o governo também se fizeram presentes em protestos nas capitais do país, mas em número menor. No fim do dia, houve panelaços. 

BOLSONARO X MORAES

Em discurso, Bolsonaro afirmou, entre outras declarações, que não cumpriria decisões do ministro do STF Alexandre Moraes, a quem chamou de “canalha”. 

FUX

O presidente do Supremo, Luiz Fux, reagiu: “O Supremo Tribunal Federal também não tolerará ameaças à autoridade de suas decisões. Se o desprezo às decisões judiciais ocorre por iniciativa do chefe de qualquer dos Poderes, essa atitude, além de representar atentado à democracia, configura crime de responsabilidade, a ser analisado pelo Congresso Nacional.” 

GREVE DOS CAMINHONEIROS

Na sequência dos protestos, em apoio a Bolsonaro, caminhoneiros bloquearam rodovias federais em 16 estados. Destaque para cartazes com ataques ao STF. O movimento parece ter ido além do esperado, e o próprio presidente Bolsonaro gravou um áudio pedindo aos caminhoneiros a liberação das estradas, alegando que os bloqueios prejudicam a economia e os mais pobres. A decisão de intervenção por parte de Bolsonaro teria sido também influenciada por Temer. 

DISCURSO PRESIDENCIAL

Na quinta-feira, Bolsonaro divulgou a sua “Declaração à Nação” afirmando que nunca teve “a intenção de agredir quaisquer Poderes”. No texto, Bolsonaro recuou e disse que suas “palavras, por vezes contundentes, decorreram do calor do momento e dos embates que sempre visaram o bem comum”. Em outro trecho, declara que nunca teve intenção de agredir quaisquer dos Poderes. “A harmonia entre eles não é vontade minha, mas determinação constitucional que todos, sem exceção, devem respeitar”. Bolsonaro ressaltou ainda qualidades de Alexandre Moraes como “jurista e professor”, afirmando, no entanto, que existem “naturais divergências” com algumas decisões do ministro do STF. Nas redes, os apoiadores de Bolsonaro não demonstraram satisfação com o tom mais moderado.

MARCO CIVIL DA INTERNET

No início da semana, Bolsonaro editou uma Medida Provisória que muda o Marco Civil da Internet, impedindo que as redes sociais bloqueiem contas. O objetivo alegado foi proteger a “liberdade de expressão”. Na quinta-feira, a ministra do STF Rosa Weber deu 48 horas para que o presidente explique a decisão, tida como inconstitucional por muitos especialistas.

CÓDIGO ELEITORAL

E a Câmara dos Deputados aprovou o texto base no novo Código Eleitoral. A apreciação dos destaques deve acontecer nesta sexta-feira.

EUROPA

Na Europa, o Banco Central Europeu (BCE) anunciou a decisão de manter os juros perto de zero, mas as compras de títulos serão feitas em um ritmo mais lento – o que, segundo a presidente do BCE,  Christine Lagarde, não é, necessariamente, o início do processo de retirada de estímulos. 

BOLSA

No pregão desta quinta-feira, após a declaração de Bolsonaro, o Ibovespa encerrou em alta de 1,72%, aos 115.360 pontos, um dia depois da queda de 3,78% por causa dos eventos de Sete de Setembro. O dólar recuou 1,96%, e fechou cotado a R$ 5,223.

Obrigada, bom fim de semana e até o próximo Panorama Semanal.

*Dados atualizados até as 9h30 de 10/9

Deixe uma resposta