Reprovação de Bolsonaro segue alta e os últimos destaques

NESTA MANHÃ

  • após uma sequência de quedas, na Ásia, as ações fecharam com ganhos. Os índicesShanghai Composite da China e Hang Seng de Hong Kong subiram 1%.
  • Na Europa, as bolsas operam majoritariamente no negativo. O índice Euro STOXX 50 recua 0,36%.
  • Os futuros dos índices de Wall Street apontam para uma abertura com perdas
  • Os contratos de Brent operam em em queda de 0,50% a US$ 75,29.
  • ouro spot avança 0,45% e é cotado a US$ 1.761,63 a onça.
  • yield dos treasuries de 10 anos subiu para 1,34%.
  • Bitcoin é negociado a US$ 47,4 mil.

AGENDA DO DIA

  • 06:00 – Zona do Euro: CPI (ago)
  • 18:00 – Brasil: Protocolo de um novo texto da PEC 32 – Reforma Administrativa

RESUMO DO FECHAMENTO ANTERIOR

Cotação DiaSemanaMêsAno
Ibovespa (pts)113.794,28-1,10%-0,43%-4,20%-4,39%
DI Jan 2025 (bps)10,08%+4-1255443
Dólar PTAX (R$)R$ 5,25940,03%0,84%2,26%1,21%
NASDAQ (pts)15.181,920,13%0,44%-0,51%17,80%

BRASIL

O Ibovespa fechou abaixo de 114.000 pontos, precipitado pelas ações de siderúrgicas e mineradoras, após a queda de 8,09% do minério de ferro. A desvalorização da commodity reflete a redução da produção de aço na China e a crise da dívida da incorporadora Evergrande.

INTERNACIONAL

As bolsas de Wall Street fecharam mistas, com os agentes digerindo os dados de vendas no varejo e de pedidos iniciais de auxílio-desemprego. O pessimismo do mercado internacional em relação à recuperação econômica, que mostra uma possível desaceleração, e o impacto das possíveis decisões do Fed deram o tom do dia. O Dow Jones recuou 0,18%, o S&P 500 cedeu 0,16% e o Nasdaq subiu 0,13%.  

COVID-19

Nas últimas 24h foram notificadas 643 mortes por Covid-19 e registrados 34,4 mil novos casos da doença. Até o momento, 36,47% da população já tomou a segunda dose ou a dose única de vacinas contra a Covid-19, totalizando 77,8 milhões de pessoas que completaram o esquema vacinal. A dose de reforço foi aplicada em 233.641 pessoas. No mundo, mais de 5,804 bilhões de vacinas já foram administradas. ( Ministério da Saúde / G1 /Johns Hopkins)

PRINCIPAIS NOTÍCIAS DO BRASIL

MACROECONOMIA

O secretário de Política Econômica do Ministério da Economia, Adolfo Sachsida, reclamou das revisões do mercado para um crescimento menor da economia neste e no próximo ano e fez um apelo para que os dados sejam analisados de forma concreta. Segundo Sachsida, o carregamento estatístico para o PIB de 2022 calculado pela SPE é de 1,2%. Ele reconheceu, ainda que sem ênfase e de forma indireta, que no ano que vem haverá uma combinação de políticas fiscal e monetária contracionistas, ao afirmar que essas duas vão trabalhar para combater a inflação, que ele admitiu ser alta e prejudicial aos mais pobres. (Valor)

REFORMA ADMINISTRATIVA

Os líderes da Comissão Especial da PEC 32 entraram em acordo para adiar a votação da reforma administrativa para a próxima terça-feira (21). O acordo se deu por pressão dos partidos da oposição, que alegaram que o relator fez modificações estruturais no texto, concedendo benefícios a policiais. O relator, deputado Arthur Maia (DEM/BA), deve apresentar um novo texto substitutivo até amanhã (17) às 18h. (O Globo)

CONSUMO DAS FAMÍLIAS

A Intenção de Consumo das Famílias atingiu 72,5 pontos com crescimento mensal de +1,9%. é oquarto mês consecutivo de alta, considerando a série com ajuste sazonal. O principal destaque positivo foi o indicador de Perspectiva de Consumo, que cresceu +3,7%. Com as condições de consumo favorecidas pela maior parcela da população já vacinada, o item Nível de Consumo Atual alcançou o maior patamar desde maio de 2020. Com isso, setembro revelou um resultado positivo, com as famílias confiantes no crescimento do mercado de trabalho e no seu potencial de compras futuras.Porém, as dificuldades ocasionadas pela maior inflação e taxas de juros já começam a exigir maior cautela das famílias. (CNC)

PESQUISA DATAFOLHA

Após uma semana tensa no âmbito político, o presidente Jair Bolsonaro segue com a reprovação em tendência de alta, a qual chegou a 53%, pior índice de seu mandato, conforme a pesquisa Datafolha realizada entre os dias 13 e 15 de setembro, com margem de erro de dois pontos para mais ou menos. O presidente é avaliado como bom ou ótimo por 22%. Para 24% ele é considerado regular, mesmo índice de julho. (Folha)

DECRETO PRESIDENCIAL

O presidente Jair Bolsonaro decidiu aumentar a alíquota de IOF sobre operações de crédito para pessoas jurídicas e físicas entre 20 de setembro a 31 de dezembro de 2021. A arrecadação adicional é calculada em R$ 2,14 bilhões e ajudará a bancar a ampliação do Bolsa Família, rebatizada de Auxílio Brasil, entre outras finalidades. O decreto assinado pelo presidente entra em vigor imediatamente, segundo nota da Secretaria-Geral da Presidência da República, e ainda deve ser publicado no Diário Oficial da União. O efetivo aumento do Auxílio Brasil dependerá de medida legislativa própria. (Broadcast)

PRINCIPAIS NOTÍCIAS DO MUNDO  

DIPLOMACIA E VACINA

O presidente da Assembleia-Geral da ONU, Abdulla Shahid, enviou aos Estados-membros uma carta na qual endossava um pedido das autoridades nova-iorquinas para que as mesmas regras impostas aos habitantes da cidade fossem seguidas no prédio da ONU. Na noite da última quarta, dia 15, o Secretário Geral da ONU António Guterres deu uma entrevista à agência Reuters na qual negou que tivesse meios para garantir tal exigência e lembrou que a sede da organização é considerada território internacional. Jair Bolsonaro confirmou que vai participar do evento presencialmente e reiterou que ainda não tomou nenhuma dose da vacina. ( G1)

ZONA DO EURO

Christine Lagarde, presidente do Banco Central Europeu (BCE), disse que o apoio monetário e fiscal conjuntos ainda são necessários para a economia da zona do euro seguir em expansão no futuro próximo. Lagarde alertou que, apesar do bloco ter retomado o nível de atividade do período anterior à pandemia, a trajetória de crescimento esperada à época não foi retomada. Os suportes econômicos seguirão necessários, segundo ela, para atingir os objetivos de longo prazo da UE, como a planejada transição verde e tecnológica. ( Bloomberg)

VENDAS NO VAREJO

O forte resultado das vendas no varejo dos EUA em agosto, que tiveram uma inesperada alta mensal de 0,7%, disfarçou uma queda nas vendas de carrosque sofrem com a falta de estoques em meio a persistentes problemas na cadeia de suprimentos. O impacto da disseminação da variante delta do coronavírus no setor de serviços ficou evidente, uma vez que a receita de restaurantes nos EUA ficou estável no mês passado ante julho. (WSJ)

SEGURO-DESEMPREGO

Os pedidos semanais de seguro-desemprego nos EUA aumentaram mais que o previsto no início de setembro, puxados pela alta na Louisiana, estado devastado pela passagem do furacão Ida. Entre 5 e 11 de setembro, 332.000 pessoas se inscreveram para receber o auxílio por desemprego. Isso representa 20.000 a mais que na semana anterior, cujos números foram revisados em alta, até 312.000 novas matrículas. (Bloomberg)

TARIFAS COMERCIAIS

O Ministério das Finanças da China informou em comunicado que estenderá a isenção de tarifas para alguns produtos de Estados Unidos e Canadá, que venceram ontem (16), até 16 de abril do próximo ano. A lista inclui commodities como peixe para alimentação, entre outros itens, como graxa e óleo lubrificante, motores hidráulicos e sensores de temperatura. Os itens haviam sido alvo de tarifas retaliatórias, após os EUA imporem tributos contra produtos chineses ainda em 2019, durante o governo de Donald Trump. Já o Canadá havia imposto tarifas contra produtos do país sob o argumento de que Pequim realizava dumping. (Broadcast)

PACTO MILITAR AUKUS

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Zhao Lijian, afirmou que as razões para a aliança entre Estados Unidos, Reino Unido e Austrália, anunciada anteontem (15), são “extremamente irresponsáveis”. “As exportações de tecnologia submarina nuclear altamente sensível para a Austrália, pelos EUA e Reino Unido, provam mais uma vez que eles estão usando exportações nucleares como uma ferramenta para um jogo geopolítico e adotando padrões duplos” , afirmou Zhao, em coletiva à imprensa. Zhao afirmou que o trato entre os países minou “seriamente” a paz e a estabilidade regional, “intensificando a corrida armamentista e minando os esforços internacionais pela não proliferação [de armas]”. (Broadcast / BBC)

Deixe uma resposta