COPOM aumenta taxa Selic e os últimos destaques

NESTA MANHÃ

  • As bolsas da China e Hong Kong fecharam em campo positivo, o índice Hang Seng avançou 1,2%. No Japão foi feriado, por isso, não houve pregão.  
  • Na Europa, as bolsas avançam, puxadas pelas ações dos setores de tecnologia e automobilístico. O Euro STOXX 50 sobe 1,08%.
  • Os futuros dos índices de Nova York apontam para uma abertura com lucros.
  • Os contratos de Brent recuam 0,46%, a US$ 75,84.
  • ouro spot opera em alta, negociado a US$ 1.774,20 a onça.
  • yield dos treasuries de 10 anos está estável em 1,32%, após o Fed sinalizar que poderá começar a retirada de estímulos em breve. 
  • Bitcoin é negociado a US$ 43.775.

AGENDA DO DIA

  • Feriado no Japão
  • 08:00 – UK: Decisão de Política Monetária  
  • 09:30 – EUA: Pedidos Iniciais de Seguro desemprego

RESUMO DO FECHAMENTO ANTERIOR

Cotação DiaSemanaMêsAno
Ibovespa (pts)112.282,281,84%0,76%-5,47%-5,66%
DI Jan 2025 (bps)9,78%-6-4225413
Dólar PTAX (R$)R$ 5,2783-0,49%-0,60%2,62%1,57%
NASDAQ (pts)14.896,851,02%-0,98%-2,37%15,58%

BRASIL

Em dia de decisão de política monetária no Brasil e nos EUA, o Ibovespa fechou em alta, recuperando as perdas da semana, O alívio veio do anúncio de um acordo para o pagamento da dívida da Evergrande e também das sinalizações de Brasília de compromisso com teto dos gastos. O desfecho da reunião do FOMC também ficou no radar dos investidores e o discurso mais duro de Powell moderou as quedas nos contratos de juros futuros.

INTERNACIONAL

Os índices das bolsas de Nova York registraram um dia de ganhos. Os mercados reagiram positivamente à divulgação do comunicado do FOMC, sem prazos específicos para o início da redução dos estímulos. Porém, a empolgação foi atenuada pelo discurso do presidente do FED sinalizando que o tapering pode ser anunciado já no próximo encontro. O dólar no exterior avançou, com o índice DXY subindo 0,26%. Já o rendimento do T-note de dez anos caiu para 1,304%, ante 1,324% do último fechamento.

COVID-19

Nas últimas 24h foram notificadas 876 mortes por Covid-19 e 36.473 novos casos registrados  Até o momento, 39,1% da população já tomou a segunda dose ou a vacina de dose única, totalizando 83,3 milhões de pessoas que completaram o esquema vacinal. A dose de reforço foi aplicada em 426 mil pessoas. No mundo, mais de 5,960 bilhões de vacinas já foram administradas. ( Ministério da Saúde / G1 /Johns Hopkins)

PRINCIPAIS NOTÍCIAS DO BRASIL

TAXA SELIC

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central elevou em 1 ponto percentual a taxa Selic na reunião de ontem, de 5,25% a.a. para 6,25% a.a. A decisão está em linha com a projeção do time de Estratégia da Órama. No texto pós-comunicado , o Copom mostra-se preocupado com o balanço de riscos e sugere que a política monetária deve perseguir perfil contracionista doravante, decisão que nos parece bastante adequada, face às pressões inflacionárias. Os membros do Comitê também enfatizam a importância das reformas estruturantes para que não se eleve a taxa de juro estrutural da nossa economia, o que nos parece já estar em curso. Diante do exposto, os diretores indicam que provavelmente haverá uma alta de igual magnitude no próximo encontro elevação essa que já havíamos antecipado em nossas estimativas recém-divulgadas. Projetamos que a Selic deverá encerrar o ano de 2021 em 8,25% a.a.

PEC DOS PRECATÓRIOS

O deputado Hugo Motta (Republicanos-PB) foi escolhido como relator da PEC dos Precatórios. Motta afirmou que trabalhará para que o teto de gastos seja respeitado. Ele indicou que não concorda com a sugestão do vice-presidente da Câmara, Marcelo Ramos (PL-AM), de excluir essas dívidas do teto. Segundo estudo da Consultoria de Orçamento da Câmara, a proposta do governo de congelar o pagamento dos precatórios ao nível de 2016, corrigido pela inflação, pode gerar uma “bola de neve” de R$ 672,4 bilhões a R$ 1,448 trilhão até o fim de 2036, quando acabaria o teto de gastos. Valor)

REFORMA ADMINISTRATIVA

O relator da Reforma Administrativa na Câmara, deputado Arthur Maia (DEM-BA), protocolou um novo parecer ao projeto e incluiu juízes e promotores do Ministério Público entre as categorias em que novos ingressantes não terão mais “privilégios”. Para os atuais funcionários públicos, nada muda. (Valor)

REFORMA ELEITORAL

O plenário do Senado Federal aprovou, nesta quarta-feira (22), em segundo turno, a PEC da Reforma Eleitoral, por 66 votos a 3. Foram retirados do textoa volta das coligações partidárias para eleições proporcionais e  trechos que colocavam na Constituição amarras ao STF e ao TSE que haviam sido aprovadas pela Câmara.  Também ficou de fora da PEC a mudança no número mínimo de assinaturas necessárias para tramitação de iniciativa popular. Pela proposta dos deputados, essa quantidade seria de 100 mil. Atualmente, é necessário o apoio de 1% do eleitorado nacional, o que equivale a aproximadamente 1,5 milhão de assinaturas. (Folha / CNN)

CPI DA COVID

Em depoimento ontem à CPI da Covid, o diretor executivo da operadora da Saúde Prevent Senior, Pedro Benedito Batista Júnior, admitiu que a empresa alterava os prontuários de pacientes infectados pelo coronavírus, mas sustentou que a informação constava nos atestados de óbitos. Dois casos concretos, porém, contradizem a versão do depoente, que irritou os senadores, e Benedito foi incluído na lista de investigados da CPI. (O Globo

PRINCIPAIS NOTÍCIAS DO MUNDO  

EVERGRANDE

A gigante imobiliária chinesa que está à beira da falência, em comunicado à Bolsa de Valores de Shenzhen, por meio de sua subsidiária Hengda, afirmou ter negociado um plano para pagar os juros de um título vencido, estimado em US$ 35,9 milhões, sem mencionar o pagamento dos juros de outra dívida que vence hoje (23).  A situação do grupo, com uma dívida acumulada de mais de US$ 300 bilhões, ainda mantém os mercados internacionais em suspense. O Banco do Povo da China (PBoC) injetou 120 bilhões de yuans (cerca de US$ 18,5 bilhões) no sistema financeiro local, com o objetivo de manter a liquidez do sistema bancário. (G1 / Broadcast)

POLÍTICA MONETÁRIA NOS EUA

O comunicado do FOMC e o discurso do presidente do FED, Jerome Powell, trouxeram sinalizações mistas sobre o futuro da política monetária nos EUA. O tom da fala foi mais duro que o escrito pelo Comitê e o entendimento que prevaleceu foi o de que o Federal Reserve está pronto para começar a reverter seus programas de estímulo à pandemia em novembro e pode aumentar as taxas de juros já no próximo ano, em meio a riscos de um salto mais longo do que o previsto na inflação. Powell disse que as autoridades não tomaram uma decisão formal sobre a rapidez com que reduzir as compras, mas a maioria concordou que um processo gradual “que termina em meados do próximo ano provavelmente será apropriado”. (WSJ)

POLÍTICA MONETÁRIA DO JAPÃO

O presidente do Banco do Japão (BoJ), Haruhiko Kuroda, em coletiva de imprensa após a decisão do banco central japonês de manter sua política monetária inalterada, disse que a crise de liquidez da gigante do setor imobiliário chinês Evergrande não deverá se tornar um problema global. Para ele, é apropriado ver isso como uma questão da empresa em particular e do setor imobiliário da China, todavia tenha reconhecido que os mercados têm reagido com nervosismo. (UOL )

Deixe uma resposta