Bolsonaro na ONU e os destaques da semana

Panorama Semanal de 20 a 24 de setembro*

DESTAQUES

Alertas relativos à China, taxas de juros, a participação brasileira na ONU e a CPI da Pandemia estiveram entre os principais destaques da semana no noticiário.

EVERGRANDE

Na China, o caso da incorporadora Evergrande gerou temores sobre uma possível bolha imobiliária com consequências globais. Ao longo da semana, a tensão foi se dissipando, com a negociação de um acordo e a injeção do BC chinês de US$ 17 bilhões para dar liquidez e acalmar o mercado.

ECONOMIA CHINESA

Em paralelo, a desaceleração da economia chinesa afetou o preço do minério de ferro, que caiu consideravelmente.

IPCA-15

A inflação brasileira, medida pelo IPCA-15, registrou alra recorde de 1,14% em setembro. 

SELIC

Nos EUA e no Brasil, as atenções se voltaram para as taxas de juros. Por aqui, o Copom elevou a Selic em 1 ponto percentual, para 6,25% ao ano e indicou uma nova alta de 1 ponto. Nos EUA, o Fed (banco central americano) manteve suas taxas de referência inalteradas, mas Jerome Powell, presidente da instituição, afirmou que a retirada dos estímulos pode ter início em novembro.

BOLSONARO NA ONU

Nota polêmica foi a participação da comitiva presidencial na Assembleia Geral da ONU, em Nova York. Em seu discurso, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que não há corrupção no governo, criticou o chamado passaporte de vacinação e defendeu o tratamento precoce contra a Covid-19. O presidente também destacou o desempenho da economia e a questão ambiental na Amazônia. 

BOLSONARO NO EXTERIOR

Em seu encontro com o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, Bolsonaro disse que não se vacinou. O prefeito de Nova York, Bill de Blasio, afirmou, então, que ele não deveria ter ido à cidade. Durante a viagem, o presidente comeu na rua por não poder entrar em restaurantes sem a comprovação da vacina.

QUEIROGA COM COVID

Repercutiu ainda a notícia de que o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, testou positivo para Covid-19. A Anvisa recomendou quarentena para a comitiva brasileiro.

CPI DA PANDEMIA

Na CPI da Pandemia, avançaram as investigações em torno do plano de saúde Prevent Senior – por ter realizado um estudo com hidrocloroquina sem conhecimento dos pacientes ou famílias. A empresa teria orientado os médicos a mudar nos prontuários os diagnósticos de pacientes com Covid-19, de acordo com o diretor-executivo Pedro Benedito Batista Junior,  agora investigado na CPI. O Ministério Público de São Paulo criou uma força-tarefa para investigar o caso. Houve tumulto e bate-boca nas sessões da CPI.

MP DAS FAKE NEWS

O presidente Bolsonaro encaminhou um projeto de lei para tentar emplacar as medidas que não conseguiu ao editar a MP das Fake News, que foi rejeitada no Senado e suspensa pelo Supremo. O texto restringe o poder das redes sociais de tirar do ar postagens falsas.

REFORMA ELEITORAL

O Senado aprovou a PEC da minirreforma eleitoral.

BOLSA

No pregão desta quinta-feira, o Ibovespa registrou alta de 1,59%, para 114.064 pontos. O dólar teve leve alta, de 0,1%, e fechou cotado a R$ 5,309. Integrantes do MTST ocuparam a sede da B3, em São Paulo, para protestar contra a política econômica e o governo.

*Dados atualizados até as 9h30 do dia 24/9.

Deixe uma resposta