Planejamento Financeiro Pessoal – o primeiro passo para começar a investir

|
Compartilhe o post:

Educação Financeira #1

Antes de começar este primeiro módulo do nosso curso de educação financeira para te ajudar a começar a investir, precisamos avisar uma coisa: não existe mágica nem receita de bolo. Ninguém fica milionário(a) da noite para o dia. Além disso, cada um precisa entender o que funciona para si. Você pode organizar seu orçamento diversas formas, e a que vamos mostrar hoje neste post é só uma delas. 

Você vai ver:

  • Como montar um planejamento financeiro
  • Como começar a investir
  • O que é perfil de investidor e como descobrir o seu
  • Que tipos de classificação e estratégias de investimentos existem

Planejando o orçamento 

Como montar um planejamento financeiro para começar a investir?

1 – Mapeando

Liste suas receitas e despesas, ou seja: todo o dinheiro que entra na conta e o que você gasta. Registre detalhe por detalhe, do cafezinho à conta de luz. 

Para isso vale usar o bloco de notas do celular, aplicativos, tabelas, ou até um pedaço de papel. O importante é não esquecer de anotar nada.

Depois, é hora de fechar a conta. Faça o somatório de tudo o que você ganha e subtraia o que você gasta. É o resultado dessa operação que revela como anda sua saúde financeira.

Se sobrar dinheiro, você está de parabéns: o primeiro passo para começar o seu planejamento já foi dado. Já se o resultado for nulo, é bom ligar o sinal de alerta. Isso significa que apesar de não ter dívidas, você ainda não tem um dinheirinho sobrando, que pode vir a ser necessário. Mas, se você anda gastando mais do que ganha, está mais do que na hora de rever as contas. 

2- Reestruturando

Separe as despesas por categorias, da seguinte forma:

  • fixas: que têm um custo certo todo mês. Tipo aluguel, condomínio, etc. 
  • variáveis: as que também são mensais, mas têm valor variável. Contas de água, luz, gás…
  • extras: essas não vêm mensalmente, mas seu pagamento é indispensável. IPTU e matrícula de colégio, por exemplo.
  • livres: aquelas que não têm frequência mensal e que podem ser dispensadas, como um jantar fora ou uma ida ao teatro.

3 – Planejando para o futuro

  • Atribua a cada despesa um valor realista.
  • Prepare-se para os gastos extras: vá separando ao longo do ano o dinheiro pra quitá-los.
  • Determine uma parcela mensal para investir.
  • Fique sempre de olho nas contas e respeite seu orçamento.

Fonte: Anbima

Organizando o orçamento no fim do mês

Para organizar ainda mais o seu planejamento financeiro antes de começar a investir, você pode dividir seu orçamento em quatro partes:

  1. Aposentadoria
  2. Sonhos
  3. Despesas livres
  4. Despesas gerais (fixas + variáveis + uma parcela para as extras)

É você quem define a porcentagem destinada a cada grupo. Afinal, sua prioridade pode ser se aposentar cedo, fazer uma viagem… Ou, se a fonte de renda diminuir, você pode focar nas despesas gerais, e por aí vai.

Mas atenção: esse é um modelo padrão de planejamento. Você pode (e deve) adicionar ou retirar categorias livremente para se organizar do jeito mais adequado.

Fonte: Anbima

Como começar a investir

Transformando sonhos em objetivos

Investir é um instrumento para alcançar seus sonhos. Por isso, antes de começar é preciso definir seus objetivos financeiros.

  • Você quer juntar dinheiro para quê? O que você quer é trocar de carro? Reservar para a aposentadoria? Monte uma lista de objetivos.
  • Qual a quantidade de dinheiro que você precisa juntar? Saber o valor exato a ser gasto é importante. Estabeleça uma meta financeira.
  • Em quanto tempo você espera alcançar sua meta? Estabeleça um prazo real.
  • Você já tem algum valor separado para isso? Dê uma olhada nas suas economias e analise se já tem algum valor poupado para investir.
  • Quanto você consegue poupar por mês? Defina um valor para investir todo mês, mas sem atrapalhar as suas despesas.
  • A meta e o prazo que você estabeleceu são realistas? Realizar um sonho é incrível. Calcule se tudo é mesmo viável, até pra não se decepcionar depois.
Dica

Uma boa dica para te ajudar é usar aquelas calculadoras eletrônicas disponíveis na internet. Elas já montam um orçamento certinho, de acordo com o seu perfil de investidor!

Fonte: Anbima

Perfil e estratégia 

Depois de se planejar, organizar o seu orçamento mensal e colocar os sonhos no papel, você tem mais uma coisa muito importante a fazer antes de finalmente começar a investir de fato: descobrir o seu perfil de investidor e como definir as suas estratégias.

Nós preparamos um vídeo pra você entender melhor o que a gente tá falando:

plano de ação de investir começa com o entendimento das estratégias que podem ser usadas. Elas são importantíssimas para te ajudar a organizar seus investimentos, saber como aplicar suas economias mensalmente e diversificar suas aplicações.

Tipos de estratégias de investimentos 

ORGANIZAÇÃO POR OBJETIVOS

Longo prazo (+ 10 anos)
Aposentadoria, por exemplo

Médio prazo (3 a 10 anos)
Conquistar a casa própria, etc.

Curto prazo (Até 3 anos)
Viagens de férias, carro novo…

ORGANIZAÇÃO DE PRODUTOS POR PERFIL

Alto risco: Para otimizar ganhos com foco no longo prazo.

Médio risco: Para otimizar ganhos com foco no médio e longo prazos.

Baixo risco: Com foco no curto prazo ou para a reserva de emergência.

ENTENDENDO CADA PERFIL 

Conservador : Aquele que procura segurança com investimentos de baixo risco.

Moderado: Disposto a eleger mais produtos de risco médio e alto para potencializar ganhos.

Arrojado: Pode investir em ainda mais ativos de risco médio e alto para potencializar ganhos.

A PROPORÇÃO DOS INVESTIMENTOS

A forma de montar a sua carteira será uma decisão sua. E o ideal é procurar diversificar os tipos de investimentos escolhidos.

Mas não custa nada, literalmente, pedir conselhos aos nossos assessores. Eles estão à sua disposição para indicar as melhores oportunidades, sempre de acordo com o seu perfil.

Fonte: Anbima

Reserva de emergência

Imprevistos podem acontecer. E, pra você não ser pego de surpresa nessas horas, recomendamos que você faça sua reserva de emergência. É ela que permite certa tranquilidade para você investir em outros produtos, e vale para todos os perfis.

Dá uma lidinha aqui para entender melhor:

Nossa estrategista chefe, Sandra Blanco, resume quase tudo que aprendemos até agora. Confira o vídeo!

No próximo módulo você vai aprender alguns conceitos essenciais para a hora de investir.  Confira!

Compartilhe o post:

Posts Similares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.